2006/11/10

No dia de S. Martinho vai à adega e prova o vinho

Dioniso
Pintura de Caravaggio, final do séc. XVI
Galeria Uffizi - Florença - Itália

O ditado é português e a tradição bem portuguesa também. Aliás, tradição que não se estende só ao S. Martinho, mas a todo o ano. Faz parte da arte de bem receber do nosso povo o convite para entrar na adega e provar o bom vinho de cada um. Normalmente acompanhado por um bom chouriço ou presunto caseiros. Tradição agradável, simpática e, porque não dizê-lo, bem saborosa também. Mas cuidado com as provas…
A propósito lembrei-me da lenda do vinho, uma mistura remota da mitologia grega com muito imaginário popular.
Dioniso, deus grego do vinho (correspondente a Baco, o deus romano) numa das suas muitas viagens reparou numa planta que não havia na sua terra – a videira. Então resolveu levar algumas sementes quando pensou em regressar a casa. Como não tivesse onde as transportar, lembrou-se de o fazer dentro de um osso de galo. E começou a sua caminhada de volta a casa. Mas as sementes germinaram e não cabiam no osso de galo. Então Dioniso passou as plantinhas para um osso de leão. Prosseguiu viagem. Mas as plantas continuaram a desenvolver-se e não cabendo dentro do osso de leão foram passadas para um osso de burro.
E aí está a explicação: se se bebe um pouco de vinho, fica-se alegre e canta-se como o galo; se se bebe um pouco mais, mas dentro dos limites, fica-se forte como o leão; mas se se abusa, oh, então fica-se estúpido como o burro!
(Composição integral de Zaida Nunes)

7 comentários:

al cardoso disse...

Entao um bom dia de S. Martinho para voces, mas cuidado que agua pe ou o vinho novo, embora nao pareca embebeda como o outro.

Um bom fim de semana.

Anónimo disse...

para beber com o vinho novo, vai uma Tibornada de Bacalhau?

tem um bom dia.

Tozé Franco disse...

Ainda hoje, na companhia do Carlos Moura e outros amigos, pusemos à prova a tradição do dia de S. Martinho com um almoço "levezinho": Sarabulho, sopa de castanhas, vários doces de mel e... castanhas e ainda as ditas cujas assadas, acompanhadas de um bom tinto...
E viva a Confraria das Peraltas que cultivam o gosto pela Gastronomia da Serra da Lousã.
O que tinhamos perdido se não fosse o S. Martinho...

asn disse...

Ora vivam, caros amigos
Qual das sugestões atrás referidas a melhor?
Por mim, tenho andado aqui numa indecisão, se hei-de ir ao Jantar d aniversário a ARAL (Ass radioamadores de Leiria) ou não.
O Tozé aguçou-me a imaginação, depois desta descrição dum convívio a preceito e a pretexto de S. Martinho. Decidi-me, ainda estou a tempo. São 6 e tal da tarde, o dito cujo é às 8, ainda que seja lá para as bandas da Nazaré, aqui vou eu...
E viva o S. Martinho...e a ARAL (parabéns pelo seu 26º aniversário!) e nós todos!
...
Mas vou assim a modos que ainda chocado. Lembrei-me de ir espreitar o abrupto do Pacheco e então não é que ele anda praí a dizer que os bloguistas são, na sua esmagadora maioria, uns pacóvios, INcultos, que só sabem dizer mal de tudo e de todos, que nem sabem o que dizem, o que vêm e o que ouvem ahhh e o que escrevem... ele sim é que é o maior da cantareira!
Bendito país que, mesmo assim, ainda tem alguns bloguistas catedráticos!... diz o nosso Mestre que, com MUITO boa vontade ainda haverá praí uns 10% de blogues aceitáveis!
ok chefe!

Flor disse...

António, não concordo com esse tal de Pacheco que nem sei quem é, mas fico contigo, que foi o primeiro bloguista que li, após muito tempo e que me deu vontade de ter um também.

Há um convite no meu blog para vc,
Um abraço


fique a vontade de aceitá-lo ou não, ok

Carlos Ponte disse...

Ah, já percebi! Há por aí muito boa gente a abusar da bebida, não acha António?
Um abraço,
Carlos Ponte

asn disse...

Se calhar!...Não quero fazer falsos testemunhos (até porque não posso afiançar nada a esse respeito) mas, ao se lerem certas cogitações, publicadas em folha de jornal público e tudo fica-se na dúvida!
Um abraço, Carlos Ponte.