2007/03/26

Os pinos de ferro galvanizado do Largo da Sé, em Leiria, grandes amigos que eles são dos bate-chapas e das fábricas de tinta para automóveis!
É certo que a ideia é desmotivar as pessoas a andar de automóvel nesta zona, mas a alternativa, que seria motivá-las a frequentá-la em passeios a pé, está a ser conseguida? Está patente que não e que não se antevê uma luzita que seja ao fundo do túnel para animar o Centro Histórico de Leiria, durante o dia. O comércio bem se queixa e luta com bastantes dificuldades! Não se pode estacionar, diz que. Mas só durante o dia, que à noite, para o pessoal ir para os bares e cervejarias vale tudo!
Vá-se lá entender isto. Para trabalhar ou nos portamos segundo as posturas municipais de trânsito ou levamos com a respectiva multa (a não ser que se pague com língua de palmo o estacionamento, privado e camarário, com polícia privativa e tudo); já para a folia da noite, fecha-se os olhos, faz-de-conta que não há regras...
É assim a vida?!

Posted by Picasa

3 comentários:

chanesco disse...

Caro António

O meu amigo sempre atento.
Vai ver que com alguma sorte (ou azar) quem bater nesse pinos ainda vai encontrar um cartãosinho com a morada do bate-chapas/pintor que hipoteticamente até será familiar ou amigo do vereador do urbanismo.
Esta sua constatação faz-me lembrar uma história que se contava antigamente numa aldeia perto da minha em que o proprietário de uma oficina de pneus tinha um adcordo com o responsável municipal pelo arranjo das estradas que retardava o arranajo dos buracos. Depois dos buracos tapados espalhava tachas pelas estaradas das redondezas.
È claro que isro era história mas muitos acreditavam nela.

Um abraço extensivo à Avó Zaida

al cardoso disse...

Talvez resulte para os carros, ja que os portugueses nao diferenciam uma area pedestre, de uma zona automovel!
Mas e sem duvida um perigo para aqueles que podem andam com a cabeca no ar, quando se derem conta estaram a tropecar nos pinozinhos!!!

Um abraco d'Algodres.

António Melenas disse...

È assim a vida, meu caro Amigo, mas todos nós temos obrigação de estar atentos, denunciar a o que está mal e apresentar sugestões para que melhore. O meu amigo é dos que assim procede.
Congratulo-me consigo
Um abraço
Ah e gostei da música de fundo. è do género que nós (os menos novos) apreciamos