2007/04/14

Antigos Combatentes Portugueses

Mais um ciclo infernal da minha vida profissonal como TOC. Hoje é Sábado. O dia está bonito, cheio de Sol. Apetece andar na rua. Passear. Viver sem pressas. Sem prazos. Sem papéis e contas. Sem relatórios. Sem estatísticas. Ja é 1 e meia da tarde. Estou no escritório a pensar abalar daqui para fora, para já. Estou saturado.
Pus no leitor do computador, o CD de hoje, que vem com o "Público". Música Portuguesa. Daquela que ficou no ouvido das gerações de 60 e 70? Está a arrastar-me para a melancolia.
Antes de ir para a rua dei uma vista de olhos no jornal. No "EspaçoPúblico" ressaltou à minha vista um artigo assinado por João Mira Gomes, Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar. Escreve a lembrar a Memória dos portugueses sobre o significado de mais um Aniversário da batalha de La Lys, celebrada no passado dia 9 do corrente mês, Dia do Combatente Português.
E veio-me ao espírito questionar-me e às consciências em geral, do significado e da revolta emocional por tanta morte e sofrimentos inenarráveis dos combatentes de todas as guerras, em todos os tempos. E de todos os Zé Manéis Solipas que, não morrendo em combate, sofreram e desperdiçaram a sua juventude? E ficaram afectados na sua saúde psíquica e física para o resto dos seus dias! E, muitos, nessa sequência, acabam por morrer sem que isso pareça afectar a sensiblidade de quem tem a obrigação de zelar pelo equilibrado uso do poder legislativo sem o qual nada se pode fazer neste país. Como é da Constituição, aliás.
Por isso registei, com alguma expectativa, uma passagem da crónica do Snr. Secretário de Estado: "Também se está a trabalhar no regime mais geral dos Antigos Combatentes, através da revisão e regulamentação da Lei 9/2002.".
É que esta Lei já vem do tempo em que Paulo Portas detinha o mesmo cargo deste snr. secretário do actual Governo de Sócrates!
Não será tempo mais que suficiente para, duma vez por todas, se regulamentar com a justiça devida, esta Lei?
Que Deus nos oiça e inspire os homens que detêm o poder temporal de resolver esta questão candente dos Antigos Combatentes nas suas várias vertentes: rede nacional de apoio às vítimas de stress pós-traumático militar, correcção de injustiças na actualização de algumas pensões, contagem para efeitos de reforma da bonificação do tempo de serviço militar em zonas de intervenção operacional de 100%.
Não nos devemos esquecer que os últimos portugueses combatentes no ex-Ultramar já estão com 60 e mais anos! E que muitos, a maior parte deles, já nem sequer fazem parte do mundo dos vivos!
Haja moral! Faça-se justiça!

3 comentários:

asn disse...

Ouviram as notícias de hoje?
O Snr Ministro da Defesa Nacional já veio dizer que o sistema de pagamento do suplemento de pensão dos reformados vai ser revisto. Isto é, vai ser redistribuído por mais, dividindo a actual pensão ANUAL de 300 Euros por dois e passando o leque de beneficiários a ser maior. Só não percebi qual é o critério a adoptar.
Não seria melhor pegar nessa "PIPA DE MASSA" e entregá-la aos pobres, declarada e comprovadamente pobres?
Esmolas para os ex-Combatentes, NÃO, OBRIGADO!

Anónimo disse...

Nós temos culpa do que se tem passado , deveriamos um Sábado ou Domingo fazer uma manifestação . O resto é combinar . Há quem aos 49 anos de idade teve Reforma e não foi Antigo Combatente , pena que estes governantes não tenham estado lá , senão outro galo cantaria.

Anónimo disse...

Não votarei em quem não teve nem tem , consideração pelos Antigos Combatentes . Deveriamos ter a Aposentação como as forças de Segurança ( ERAMOS OBRIGADOS, E ONDE ESTÁ O RECONHECIMENTO ?
Não estamos a lidar com gente JUSTA