2007/11/05

Pinheiro Manso - Um símbolo

Passo em frente a este portão há mais de 25 anos. Lembro-me do tempo em que este pinheiro teria pouco mais de 1.5m de altura.
Como se sabe, o Pinheiro Manso é uma árvore de crescimento lento. Não sei se foi plantado de propósito neste local. Dada a actividade da empresa em cuja entrada está prantado é de presumir que sim, que o fundador desta fábrica de resinas, tenha tido a sensibilidade suficiente para dar o devido destaque à árvore (o pinheiro bravo, o mais comum) que tem sido o seu sustentáculo durante tantos anos.
Esta foto é muito recente e ocorreu-me que a poderia mostrar neste blogue imediatamente após ter passado pelo sítio da
Tapada de Mafra.
Outros motivos me levaram a tomar esta iniciativa. Conheci a Tapada de Mafra como a palma das minhas mãos. Ali passei 3 meses intensíssimos da minha juventude, de julho a Setembro de 1968. Por todos aqueles caminhos e bosques marchámos, treinámos luta anti-guerrilha, sofremos os rigores do Verão tórrido e das frígidas noites das suas matas e riachos. Estou-me a ver, como se fosse hoje, em passo de corrida, mochila às costas, G3 na mão, a percorrer kilómetros e kilómetros, a saltar, a rastejar colado ao chão sob rajadas de metralhadora ligeira, a "Dreyse" lembram-se?, petardos a rebentarem ao nosso lado, atravessar uma poça/lago em rappell...enfim, a treinar todo o tipo de artes e manhas para fazermos guerra nas 3 frentes de combate a que estávamos nós, portugueses, sujeitos, em África. Era ouvir o nosso Sargento, alto, magro, ágil que nem um felino, persuasivo: Ou aprendem a matar ou morrem, escolham!...

-O pinheiro manso (Pinus pinea), não é uma árvore muito grande, normalmente atinge os 20/25 m de altura. A sua copa é arredondada e por isso também é conhecido como o pinheiro chapéu de sol. A sua pinha é quase esférica e dentro dela está a semente que é o pinhão.
Podemos encontrar pinheiros mansos em todos os países mediterrâneos. Em Portugal encontra-se por todo o país, mas é mais abundante a sul do Sado. Não gosta do calcário nem do frio e da neve, prefere os solos arenosos das regiões quentes e secas.
A Tapada Nacional de Mafra têm uma área bastante grande de pinheiro manso.
É nela que a águia de Bonnelli faz o seu ninho. O javali ao pinhão chama-lhe um figo. Os gamos e os veados pastam por baixo das suas amplas copas.

Posted by Picasa

3 comentários:

Kalinka disse...

Olá Amigo António
Também eu tenho andado por aí...sem tempo para o Mundo da blogoesfera...
Tenho pena de que sempre que lhe escrevo um e-mail vem uma resposta automatica dizendo que chegou ao destino...mas, nunca me responde!!!

O comentário que deixou no meu kalinka, está com um texto muito triste:
...sem grande disposição de ler. Então vai daí escrevo...o que me dá na gana, escrever a pensar em comunicar com quem quer que seja onde quer que esteja...talvez somente com o computador e com a rádio-frequência que leva as minhas palavras pelo éter fora...

Amigo, até sempre!
Beijinhos.

al cardoso disse...

Um pinheiro muito bonito a ilustrar mais um excelente artigo.

Um abraco de amizade do Al d'Algodres.

Kalinka disse...

AMIGO, CÁ ESTOU OUTRA VEZ COM UM RECADO:
Para os Amigos bloguistas que me visitam, segue a informação adicional:
O Festival vai até ao dia 1º de Dezembro;o encerramento é neste dia, é representada a peça da casa: A Farsa de Mestre Pathelin - encenada por Manuel Ramos Costa, dirigida a um público adulto.
Quem viver no Norte do País e estiver interessado é só visitar o site:
www.contactovar.com

MUITO OBRIGADO PELO LINDO E-MAIL QUE ME ESCREVEU, recebi e adorei.
Beijitos.