2008/01/01

2008 - Tempo de Balanço?

O “abrupto” e os outros blogues

Este meu blogue tem funcionado, quase sem dar por isso, como um simples bloco de notas, no qual vou registando aquilo que me vai ocorrendo, observando e estudando, aguçado pela insaciável curiosidade - sempre que possível gravada em fotografia - e irrequietismo que me caracteriza. Sem grandes preocupações de esconder aquilo que me vai na alma, em determinados momentos da minha vida. Já se sabe que as experiências de vida por que cada um de nós passa, podem vir a ser de utilidade, nunca se sabe para quem e em que circunstâncias. E como não tenho nada a esconder, salvo um ou outro pecadito, que espero me seja perdoado na Hora do Juízo Final!...
Com as atenuantes que já estão registadas no meu cadastro, penso que só um juiz implacável e atordoado com dogmas e interpretações radicais da letra dos códigos que regem a nossa vida, é que me condenaria ao fogo do inferno!...
Acabei de ler um artigo de José Pacheco Pereira, do “Abrupto”. Confesso que tive alguma dificuldade em entender o alcance de algumas das suas intrincadas deambulações pela análise da actual situação da blogosfera. Como intelectual de referência, para além de político de renome e um dos grandes privilegiados no acesso à cultura, temos que admitir que as suas congeminações são de ter na devida conta.
De qualquer modo não apreciei por aí além algumas das suas tiradas, tais como:
- Os blogues não gostam de ser objecto de críticas e, como é obvio, têm uma alta noção de si próprios e estão tão cheios de autocomplacência e de elogios mútuos que consideram um anátema qualquer discurso que lhes pareça exterior e que os ponha em causa, a eles e às regras do jogo que estabeleceram.;
Não me parece que seja o caso da maior parte dos blogues, na medida em que não bloqueiam a entrada directa de comentários. O “abrupto”, esse não faculta esta ferramenta do blogue; somente a inserção condicionada do seu próprio autor.
-
…os blogues serão apenas mais uma câmara de ressonância da pobreza da nossa vida cívica.
Sabe, Snr. Dr., muitos de nós, que andamos pelos blogues, fazemo-lo como uma forma de intervenção na nossa vida cívica. Basta ler-nos com um mínimo de atenção e não com olhar desconfiado e superficial. Estes “coitadinhos” não são tão pobrezinhos culturais como isso, a necessitar de ir para a escola acabar os seus estudos, licenciaturas, mestrados, doutoramentos, professores catedráticos. Aqui, na blogosfera, também anda gente que não vive das Academias nem da Cultura e Política profissionais mas que, mesmo assim, despende muito do seu tempo livre, participando, com os seus blogues, na promoção da cultura, através de trabalhos de estudo e investigação particular, a suas expensas e que os disponibilizam publicamente sem qualquer contrapartida financeira. E há outra questão complementar que será importante relevar: os blogues estão a proporcionar excelentes motivações para que o próprio bloguista se mantenha actualizado, seja do ponto de vista científico, seja do ponto de vista da participação da vida da sociedade em geral, emitindo as suas opiniões, que melhor fora que certas pessoas/instituições decisórias as ouvissem com mais atenção e humildade.
Tenho tido os meus momentos de algum desânimo, ao mesmo tempo que vou assistidindo com frequência ao nascimento e morte de vários outros blogues. Como em tudo na vida temos que nos esforçar por levar avante os trabalhos e obras em que acreditamos.
Choca-me bastante ler com frequência o “abrupto” a desconsiderar os “outros blogues”, quase na generalidade, como se arrogasse a autoridade intelectual e mediática de nosso mentor, subalternizando e menosprezando a nossa inteligência e cultura.
É assim que, ao dealbar do ano III deste meu blogue “dispersamente” cá continuo.
Espero que este meu trabalho ou hobby, como lhe queiramos chamar, possa continuar a merecer a atenção dos que me vão descobrindo e possa também proporcionar eventuais pistas para posteriores trabalhos de maior fôlego.

Leiria, 1 de Janeiro de 2008
António A S Nunes
http://dispersamente.blogspot.com

15 comentários:

Pandora disse...

Não conheço o blog deste senhor, mas quer-me cá parecer que a consciensia dele tem de ser posta em causa. Eu estou do teu lado . Tem um bom ano.
Beijos.

Anónimo disse...

Olá tonito,
Desconsidere opiniões como essa, pois é através de blogs que pessoas se comunicam, idéias se trocam, reencontros acontecem independente de classe social.
Não deixe que críticas ou comentários,interfiram no teu modo de ser.
Só tenho a agradecer pois através de teu blog tenho a satisfação de encontrar pessoas que me são queridas.
Que 2008, seja um ano de realizações e de muita paz,em companhia dos que te são queridos.

Continue, não desista nunca.
beijos Nevita

eremita disse...

pois, com a devida vénia, este oipinion maker, como outros, já deixou de me interessar. Tal o jogo de cintura e a auto-suficiência de que vezes demais dão provas nos pseudos-debates em que falam todos ao molhe e fé na ignorância do povinho, etc, etc. No entanto lá passarei pois seu post me aguçou a curiosidade.

Vim também desejar que 2008 traga milhões de pequenas coisas boas, pois são as que definem a VIDA.
As pequenas, não as grandes.
Fraterno abraço

Tiago R Cardoso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiago R Cardoso disse...

Pois eu sinceramente nem leio o Sr. Pacheco Pereira, para mim isto dos blogues é comunicar, trocar ideias e pensar.

Segundo as próprias acções, o sr. Pacheco Pereira considera que ter um blogue é escrever lá do alto da sua cadeira e não aceitar que se comente ou conteste o que diz.

as-nunes disse...

E depois acaba por se abespinhar todo porque não lhe dão a atenção de que se acha merecedor.
A nunes

Tiago R Cardoso disse...

Peço desculpa, esqueci de dizer que está linkado no Notas.

ManuelNeves disse...

Viva!

Antes de tudo agradecer-lhe as generosas palavras que deixou no Populus.

O Sr. Dr. Pacheco Pereira, tem disto. Por vezes tenta demonstrar uma certa superioridade intelecto-cultural-politico-qualquer coisa, que de facto incomoda. Incomoda porque nós, os outros, nem somos como o Sr. Dr. PPereira, julga que somos. E quando se trata de fazer juízos de valor de outros, que tal como ele (embora talvez com outras armas)apenas tentam enriquecer e de certa forma dignificar a Blogoesfera, fazendo deste espaço de todos ( a maior das virtudes e não só de intelectuais qualquer coisa)um momento de partilha e conhecimento.

Um Abraço e votos de um 2008 com saúde e sorrisos...

al cardoso disse...

Caro Antonio:
E faz muito bem em nao ligar e esse senhor doutor, olhe eu tambem nao lhe ligo muito e ate e daqueles blogues que nenos frequento.
Provavelmente o senhor doutor Pacheco Pereira quando se refere aos blogues tem o seu (dele) em mente em primeiro lugar!!!
Continue amigo Antonio que voce e muitos meus amigos com titulos e sem eles, vao con o seu saber um grande contributo para a nossa cultura, que nao tem nunca porque ser erudita, porque tambem existe a popular!
Um grande abraco de amizade.
al cardoso.

Ps: pelos meus "sitios" tambem nao existe censura nem inquisicao!!!

al cardoso disse...

Queria ter escrito.... "dao com o seu saber"...

E tambem queria ter desejado um optimo 2008!!!

Joaquim Jorge disse...

Obrigado pela sua participação . Apareça sempre , é bem-vindo no Clube dos pensadores

Ana Ramon disse...

Olá amigo. Sabes? Há muito que deixei de ligar a estes "arrotos" pois não passam disso mesmo.
Mas que cambada!!
Aproveito para mais uma vez te desejar um Bom Ano Novo.
E seguimos...

as-nunes disse...

Olá Nevita
Obrigadinho pela tua visita, sempre tão apetecida.
Espero que estejas bem na companhia de todos os teus mais chegados.
Sabes que o meu pai acabou por cortar aquela videira que fazia uma parreira enorme (ou será só a minha imaginação de criança?) que ficava lá na casa da nossa avó no Casal?
Mil beijinhos e desejos de um BOM 2008.
tonito

Anónimo disse...

Não é imaginação não, pois subi muita vezes naquele muro para apanhar as uvas, mal começavam elas a amadurecer, tempos bons não e mesmo? Olha quando passares perto de alguma mimosa se puderes tirar uma foto agradeço assim como as giestas bem floridas, acho-as lindas.
Beijos e parabéns a você a a prima Zaída( que muito breve espero ter o prazer de conhecê-la) por esse lindo e merecido diploma.
Nevita

Anónimo disse...

Aplausos para este texto!

Sabine