2008/03/18

Rotunda Paulo VI - vista da Sra. da Encarnação

(clic; ampliando-se observam-se excelentes pormenores)
Foto tirada do Monte de S. Gabriel, agora.
(mais conhecido por Santuário de N. Sra. da Encarnação, padroeira de Leiria e nome da minha Mãe, que já não vejo há cerca de dois anos, ingrato que tenho sido!
Mas, oh mãe, quero informar-te em primeira mão, que no próximo Sábado tenciono ir ao Casal - Viseu para matar saudades tuas e do pai e dos meus tios e tias e dos meus primos e, se calhar do meu irmão Vítor. Vamos lá a ver. Se o tempo vai dar para tudo, se a Inês e os meus netos também me acompanham, quiçá o Bruno, a Ana e a Carolina também. Era bom. E tu bem merecias que eles aparecessem por aí, assim quase de surpresa, a ver se encurtamos distâncias, nem que seja só por umas horas. E mais. Eu próprio ando com saudades de Viseu, do Casal, dos olhares Primaveris da Beira Alta. Tenho andado muito preso a Leiria. Com um desejo enorme de sentir os ares, os cantos e recantos da minha terra... Veremos! Na foto ao lado, o meu pai Daniel e a minha mãezita, ambos com 83 anos. Um dia destes nas termas de S. Pedro do Sul. Foto do meu irmão).Estão com aspecto fixe ou não?)
Vê-se a rotunda Paulo VI (deve ser assim por que ela estará baptizada já que é ali que começa a Av. Paulo VI, a antiga "Calçada do Bravo") com várias azinheiras (talvez porque a partir daqui há vários caminhos que vão dar a Fátima), vê-se também um Cedro e uma Grevíllea já com boa envergadura, ao lado duma bomba de gasolina, prédios diversos, a já dita Avenida (que vai entroncar, 2 kilómetros lá mais acima no IC2), o Hospital de Santo André, pintado de laranja claro, uma chaminé da queima de resíduos. Em primeiro plano pode ver-se, do lado esquerdo da foto) um carvalho português a iniciar o seu ciclo de floração e já com algumas folhas a brotar. Neste monte há vários carvalhos e bastantes sobreiros. Existe, inclusivé, um recanto com mesas e bancos em pedra, à sombra dum bosquete de sobreiros(veja-se a foto aqui).
-
Já agora. Ocorre-me falar daquele fatídico Sábado, corria o ano de 1967, mal eu tinha chegado a Leiria, vindo do Porto/Viseu.(*)
Na Sexta-feira anterior, tinha eu combinado com uns amigos, que no dia seguinte iríamos fazer uma almoçarada de leitão, à Boa Vista. Na altura, a ligação Leiria/Boa Vista (10 km) era feita através da EN1, cheia de curvas perigosas e com uma armadilha mortal, bem à vista de todos os passantes, mas extremamente perigosa. No sítio onde hoje está a rotunda, havia uma casa e umas arrecadações, árvores de fruto e terras de amanho. Ao fundo da Calçada do Bravo, quase 1 km sempre a descer, havia uma curva perigosíssima, para a direita. O piso era o piso das estradas de Portugal, da época: de paralelepípedos, mais tarde de alcatrão/manteiga.
Seríamos cinco. Aconteceu, por obra e graça do acaso (?!), que eu andava bastante cansado, e acabei por ficar a dormir até às tantas da manhã de Sábado. O resto do grupo bem esperou ,mas acabou por seguir sem mim.
No regresso, por volta das 4 e tal, o carro em que vinham (tocaditos com toda a certeza, malta nova, sangue na guelra) seguiu em frente, entrando pela casa dentro. Morreram todos os ocupantes.
Porque é que eu não ia lá dentro com eles?!... Desígnios do insondável destino de cada um de nós, ocupantes deste planeta a que chamamos Terra.
...Ainda hoje sinto o ressoar dos gritos de angústia da mãe dum jovem, irmão dum amigo que jantava comigo habitualmente no antigo Restaurante Peninsular, ali à Av. Mouzinho de Albuquerque. ...(note-se que eu próprio nem sei se já teria 20 anos).
(*) Tinha acabado, no ano anterior, o meu curso, no Porto. Já estava em Viseu e foi daqui que iniciei a maratona de camioneta, autêntica aventura de carroças através de montes e vales por estradas rudimentares e perigosíssimas.
Posted by Picasa

6 comentários:

tibeu disse...

Cada um só vai para o outro mundo quando tem mesmo que ir. Temos aqui um exemplo.....Porque????? é sempre a pergunta que se fáz. Eu penso que nascemos com o nosso trajecto já estudado, e tanto faz correr como saltar quando chega a hora lá vamos nós. Mas tambem este mundo é uma passagem e para uns é mais curta do que para outros.
E essse acidente foi mesmo triste. Na vida existem coisas que nos marcam e nunca mais esquecemos.
Votos de uma boa Páscoa, assim como para toda a familia, não esquecendo os netinhos/as.
Boa viagem para a visita á Mãe. Ela fica feliz concerteza. bj e até breve

Kalinka disse...

Olá António

Esta semana o meu kalinka fará 3 anos de existência...como o tempo voa.
Fica no ar uma pergunta:
Em que dia será o 3º aniversário do Kalinka?

Começo hoje a agradecer a ti e a todos os que me ajudaram neste caminho, com a vossa presença e as palavras de ânimo, além de elogios dos quais me envaideço.
Prometo continuar presente na Tua Vida, através dos pensamentos comuns que nos unem, neste Mundo virtual.

Eu, depois de tantos problemas graves, e que aguentei durante 5 semanas...o organismo abateu-se e estive muito mal no domingo passado...Paragem de digestão e consequentemente uma descarga de vesícula, ainda hoje não estou bem, muito debilitada fisicamente.

Beijinhos.
Boa Páscoa c/muitos ovinhos e amêndoas.

Kalinka disse...

António, já não visitas a tua Mãe, há 2 anos???
Tanto tempooooooooooooooooooo...

Uma eternidade!!!

Quer dizer que no próximo Sábado tencionas ir ao Casal - Viseu para matar saudades, levas a Inês e os netos, tudo em família...é lindo!

Boa viagem.

Chanesco disse...

Meu caro António

Passo à pressa apenas para lhe desejar, a si e aos seus uma Páscoa feliz.

Um Abraço

Flor disse...

Antonio! Não deixa passar tanto tempo sem ver teus pais!
Aproveita se ainda nao foi e vai na Páscoa ou outro dia qualquer!
Tira mais fotos, que quer dizer "fixes", não entendi... brasileira que sou!

Anónimo disse...

Primo
Que estejam todos de bao saúde, é o que desejo.
Gostei muito da foto de seus Pais, eles estão muito bem, olle curta bem a vida junto deles é muito bom quando estão junto de nós.
infelizmente os meus já se foram, mas a vida é assim,
primo aqui no Brasil anda uma epidemia de dengue muito grande, primeiro foi meu genro que teve, agora é meu marido, espero que ele supere logo este mal que já fez várias vítimas geralmente crianças. Esperamos que logo seja controlada e tudo volte ao normal. De um beijinho a Mafalda e para toda a família.
Um grande abraço de tua prima
Nevitas