2008/06/14

Exposição de Pintura nas Tasquinhas da Barreira

A originalidade artística do Termo de Abertura dum Livro de Honra das visitas à exposição de Pintura de Arnaldo Barateiro.
Leiria - Anos 50 - Mercado dos cereais (daí, nesses tempos, a Praça Rodrigues Lobo ser popularmente conhecida por "Praça dos Feijões"). Óleo s/ tela 41x33; ao lado; Leiria - Porta principal para o antigo e histórico "Edifício Garage".Este edifício está, actualmente, a ser objecto de obras de ampliação, mas irá manter a traça original da sua interessantíssima fachada central e lateral.
Dois artistas residentes na freguesia da Barreira: O pintor Arnaldo Barateiro e a poetisa Zaida Paiva Nunes(*). Em fundo, três quadros dos que constituem a Exposição. Os dois, à direita, representam respectivamente a Igreja Matriz e Solar do Visconde e outra perspectiva da Igreja Matriz e o Pórtico do Solar do Visconde.
Claro que não podia desperdiçar este ensejo sem deixar uma referência, típica e simples que seja, ao motivo fundamental das várias iniciativas que compôem este fim-de-semana das Tasquinhas e Festival de Folclore da Barreira 2008.
(clicando em cima das fotos apreciam-se muito melhor os pormenores. Vale a pena.)
(*) Como já ficou publicitado em post recente, Zaida Nunes vai lançar dois livros de Poesia no próximo dia 22 do corrente nesta mesma freguesia da Barreira, no Salão Paroquial, pelas 16 horas.
(**) "Os óleos deste pintor da nossa terra são quase hiper-realistas, não ficando atrás do que melhor e mais recente está a ser criado por pintores americanos actuais". - João Roda, Arquitecto.
Posted by Picasa

3 comentários:

pcso lotto results disse...

wala pulos imo blog.

tulipa disse...

Amigo António

Acabo de me aperceber de uma situação: nessa casa é só «artistas».

Pelo que tenho lido, Zaida é a sua esposa, certo?

E leio que:
Zaida Nunes vai lançar dois livros de Poesia no próximo dia 22 do corrente nesta mesma freguesia da Barreira, no Salão Paroquial, pelas 16 horas.
Oh...como eu gostaria de estar presente, não fosse a distância e a minha impossibilidade de conduzir neste momento...estou dependente dos outros!!!

Um abraço com carinho para si e Parabéns à Zaida.

as-nunes disse...

Tulipa
É sempre com muito prazer que te recebo no meu "dispersamente". Cá continuo nesta minha dispersão que me, quantas vezes, me proporciona momentos de verdadeiros milagres de relax e de sentimentos de menos solidão em termos filosóficos.
A vida é o princípio e o fim de NADA, como dizia Fernando Pessoa?
Boa questão.
Valha-nos saber que no Planeta existem outras pessoas, outras civilizações com convicções muito arreigadas e que fazem questão em deixar marcos para os vindouros não se sentirem tão só e desorientados.
Bj
António