2008/11/09

Escrever um livro, plantar um liquidâmbar



Em Maio do corrente ano , no dia da freguesia da Barreira - Leiria, este liquidâmbar foi-me oferecido como sinal de reconhecimento pelo livro que eu escrevi e foi editado em 2005, sob o título: "Caminhos entrelaçados na freguesia da Barreira - Leiria". Vários outros autores também foram agraciados com árvores envasadas, pelo mesmo motivo: terem escrito sobre a freguesia da Barreira. Com esse simbólico acto foram distribuídas umas dez árvores, Liquidâmbares e Grevílleas robustas. Que melhor "prenda" me podiam ter oferecido!? Plantei-a no meu jardim, uns metros quadrados à volta de casa.(aqui)
Hoje, o Outono a esvair-se em nostalgias, reparei melhor naquela árvore, recordei-me de como ela estava só com tronco e ramos e era mais pequenina quando me foi entregue a meu cargo. Um palmo, talvez.
Estes meses passados e antes que as folhas caissem todas, fotografei-a. Vejam como as suas folhas são encantadoras, apesar de haver muitos liquidâmbares (a maior parte) que nesta época do ano se preparam para o Inverno sob a cor vermelha característica.
Comecei a escrever o livro em referência nos Lourais-Barreira-Leiria, aos 13 de Junho de 2004, ainda eu mal tinha ouvido falar de blogues. Quase sem dar por isso comecei a escrever, a partir de 23 de Setembro desse mesmo ano, os passos do meu dia-a-dia, os que mais me ligavam à terra que adoptei desde 1993. Quase in extremis lembrei-me de introduzir um capítulo no livro com fragmentos desse meu Diário na Barreira. Lá ficou para sempre. Talvez uma premonição do que viria a acontecer anos depois. Deixar algumas ocorrências da minha vida e do que se ia passando ao meu redor, escritas e publicadas.
Mal eu imaginava que dois anos depois haveria de me entusiasmar pelos blogues, como é o caso presente.
E cá continuo!... Há três anos!...Até quando?...
Posted by Picasa

5 comentários:

tulipa disse...

Que o silêncio me embale,
nesta noite
em que falta
o abraço quente de um amigo...


Estou de molho, febre, dores no corpo, arrepios de frio...
huuummmm, adivinho o que vem por aí.

Hoje o meu post tem a ver com um mail que recebi e, ao fim de vários meses com a minha auto-estima abaixo de zero...adorei ler o que Paulo Coelho escreve.

BOA SEMANA.
Beijinhos.

tulipa disse...

Escreves:
..."Mal eu imaginava que dois anos depois haveria de me entusiasmar pelos blogues, como é o caso presente.
E cá continuo!... Há três anos!...Até quando?..."

Eu direi:
Até SEMPRE.
A escrita está no teu sangue, continua que há quem aprecie muito tudo o que escreves.

PDuarte disse...

até sempre, claro. eu vou voltar.
obrigado pela atenção.
eu não mereço tanto, ainda mais vinda de quem escreve tão bem.

Justine disse...

Espero que por muitos e bons!

Entretanto, mantém as folhas, tanto as mortas do Montand como as louras do liquidâmbar, que são ambas empolgantes...

as-nunes disse...

Vim numa corrida ao meu escritório, no Largo da Sé, em Leiria. Tratar dum assunto profissional urgente. São 19h45.
Acabei e tenho que ir aos Pousos. O Guilherme (meu neto) está a treinar futebol.
No Sábado passado fizeram um jogo treino. Empataram 5-5 com o Marrazes. Um feito, que o Marrazes tem uma Escola de referência.
Muito obrigado pelos vossos comentários.
Boa noite...
Aqui vou eu!...