2008/11/21

Porquê?


PORQUÊ?

Porque será que cada sêr persiste
Em sempre vêr as coisas a seu modo
E a mesma coisa para uns é lodo
Que para os outros em prazer consiste?
.
Porque será que para uns é triste
O que p´ra outros é alegre e doudo?
Porque será, porquê, que o mundo todo
Diverge sempre em cada sêr que existe?
.
Porque será que cada olhar que poisa
Vê d´um modo diverso a mesma coisa
E o mesmo som differe em cada voz?
.
Sei lá!…Talvez que o mundo e a própria vida
Não sejam mais que a imagem reflectida
De tudo aquillo que se passa em nós.
.
Ruy Correia Leite
Almanach Bertrand, 1932
Posted by Picasa

4 comentários:

Flor disse...

1932 e totalmente atual...beijinhos

Sophiamar disse...

Conhecia este soneto. Muito bonito e espelha bem como a vida é multifacetada e quão diferentes são os homens e até as mesmas coisas vistas/ sentidas por olhos diferentes.

Beijinhos

Jofre Alves disse...

Infelizmente não conhecia o soneto e do autor quase nada sei, mas a satisfação da leitura foi enorme. Boa semana, meu caro António.

tulipa disse...

Sei lá!…Talvez que o mundo e a própria vida
Não sejam mais que a imagem reflectida
De tudo aquilo que se passa em nós.

GOSTEI...muito!!!
Obrigado pela partilha, António.

Não há nada mais fascinante e cativante do que conhecer in loco novas culturas.
Assim o fiz mais uma vez.
Sou uma privilegiada, Deus tem sido meu Amigo por me proporcionar momentos tão magníficos.
Consegui realizar mais um sonho na minha vida.

Noutras áreas a coisa não corre muito bem, mas a Esperança é a última a morrer, continuo diariamente na luta por aquilo que quero, hei-de conseguir.

Beijinhos.
Boa semana.

Também regresso HOJE depois de 12 dias ausente.