2009/04/27

Av. Sá Carneiro - Árvores no separador central

Escrevi, neste blogue, em 22 de Janeiro de 2008:

Hoje, por volta das 13 horas, ao descer a Av. Sá Carneiro, em Leiria. Para quem já teve oportunidade de observar estas árvores (grevillea robusta) plantadas no separador central, aqui estão elas, a crescerem a um ritmo impressionante. Sempre gostaria de cá andar para ver, dentro de mais 4 ou 5 anos, o tamanho do hábito e a espessura do tronco destas árvores. Repare-se na largura do separador central e imagine-se o que vai acontecer daqui a uns anos, não muitos, a ver o trânsito automóvel a circular a centímetros das árvores.”
(aqui estava a referir-me só à grevillea robusta. No entanto, as árvores plantadas intercaladamente são essa (de origem Australiana) e a Ameixoeira de jardim (prunus pissardi).

Hoje, dia 27 de Abril de 2009:

Repare-se nas fotos que se mostram a seguir. Entre Março e a presente data, já houve três despistes de viaturas automóveis que arrasaram quatro árvores das que estavam plantadas no separador central a que me refiro acima: três Grevilleas e uma Ameixoeira de jardim.

(clic para ampliar)
Só neste fim de semana foram duas e já com um tronco de certa envergadura. Os automóveis que derrubaram as árvores com toda a certeza ficaram muito danificados. Não tenho notícia do estado dos passageiros. Imagino que também não devam ter ficado nas melhores condições. Ainda não me apercebi que as autoridades estejam a tomar as medidas convenientes que se impõem para evitar males maiores.

Parece que estava a adivinhar.
Mas não. Não era preciso ser-se adivinho para imaginar o que viria a acontecer a muito curto prazo. É que esta avenida a descer, incentiva os automobilistas a acelerar. Tenho reparado que se chegam a atingir velocidades na casa dos 120 km/hora se não mais.
Já são quatro árvores que são derrubadas no espaço de um mês.
E a procissão ainda agora vai no adro!…

Posted by Picasa

2 comentários:

D'Rimba disse...

So natural way........

Mara disse...

Mas que sabedoria em relação às árvores. Quando devem ser plantadas muitas mais, andam os automóveis a derrubá-las. Que pena. Uma árvore leva tanto tempo a crescer e de repente matam-na.

Pelos vistos estamos os dois apaixonados pela paisagem que o António já tantas vezes fotografou. Eu, sem licebça roubei-a e vou tentar pintá-la. Vamos a ver se sou capaz.

Beijinhos
Mara