2009/06/17

Ainda os CHOUPOS do Largo Cónego Maia em Leiria

Na sequência do post anterior:
"Mais importante do que plantar novas árvores é saber manter as existentes e compreender que o abate de uma árvore com 100 anos não pode ser compensado pela plantação de duas novas árvores, por exemplo." (v. comentário na respectiva área do post anterior - "Sombra.Verde Pedro Nuno Teixeira Santos))
Será que ouvem os utentes das cidades, os que verdadeiramente mandam na Urbe, os que verdadeiramente detêm, em decisiva instância - a eleitoral - o poder de decisão? Infelizmente, os nossos procuradores (Câmaras, Juntas e outros que tais), a quem nós mandatamos para representar os nossos interesses, são pródigos em imitar os Ditadores desde os da Antiga Grécia. Em nome da Democracia rapidamente se transformavam em ditadores implacáveis. Surdos e Mudos mas à sombra da FORÇA.
Para nós plantam uns ácers pequeninos (que são mais consentâneos com o local. Agora, que em 2000, abateram uma quantidade deles no Largo da Sé, porque...porque...) para não incomodar certas pessoas que nós bem poderemos imaginar quem são. Logo que cresçam mais do que o previsto, cortam-se e voltam-se a plantar árvores pequeninas. Nós, os que andamos a pé na cidade, nós os que gostaríamos de recuperar o fôlego sentados nalguns bancos de "ferro" que se vão "plantando" por aí, nos dias de canícula, que aguentemos o calor abrasador.
Sombras? Ambiente agradável e fresco, para quê? Metam-se nos automóveis com ar condicionado. Assunto resolvido..

1 comentário:

as-nunes disse...

Já me chegaram aos ouvidos duas versões:
1 - Que a Câmara está na disposição de poupar os choupos. Como se nos estivessem a fazer um grande favor!
2 - Que a Câmara já decidiu que as raízes dos choupos estão a estragar... não consegui perceber o quê. Até porque os prédios mais próximos estão a dezenas de metros.
Só se estiverem já preocupados com o alcatrão da Av. próxima, mesmo assim a alguns metros.

Andem a pé na cidade. Vejam como são belos aqueles choupos! Vejam como é agradável a sombra que fazem no Verão! Pensem no seu contributo para o equilíbrio ambiental e estético da cidade!
Claro que o conceito de estética urbanística que vem em alguns livros e sebentas da Universidade nem sempre são coincidentes com os da população que vive e trabalha na cidade.
QUE VIVE A CIDADE de LEIRIA!