2010/03/25

ALCANENA - Dia Mundial da Poesia

No salão principal de leitura da Biblioteca Municipal de Alcanena, no Dia Mundial da Poesia.
Estiveram presentes mais de seis dezenas de poetas oriundos de Alcanena, Riachos, Rio Maior, Chamusca, Leiria. Todos os presentes leram poemas, de sua própria autoria na maior parte dos casos, mas também de outros autores, dos mais consagrados aos simplesmente populares (Alguns, quem sabe, mais tarde, também consagrados pelo mérito demonstrado?).
A Poesia é eterna...Os poetas não têm idade!...
-
Porque não utilizar a poesia para apelar ao apego do uso correcto das palavras na expressão oral e até escrita, quantas vezes?
-
Línguística


O nosso português tão lindo
Já poucos sabem falar.
Com tanto pontapé na língua
Onde irá ela parar?


É o "hades" em vez de hás-de
"Sube", "truce", "fostes", "troceu"
É o "quaisqueres" por quaisquer
Em vez de comigo é "mais eu".


Por este andar qualquer dia
A gramática vai mudar!
E antes que eu diga asneira
"Prontos", vou acabar.

Zaida Paiva Nunes
"Pedaços de Mim", Ed. folheto, 2005
Posted by Picasa



4 comentários:

Manuela Freitas disse...

Caro As-Nunes,
Quero informá-lo que tenho tentado muitas vezes visitá-lo, mas o seu blogue, está com algum problema, porque não me deixa entrar, hoje lá consegui!... Porque será?
Estive a ver a sua neta e vovó e tudo de poético que tem postado, uma maravilha!?...
Um grande abraço,
Manuela

as-nunes disse...

Manuela, minha amiga

Já não é a primeira vez que me dão essa informação. Mas eu não consigo encontrar outra resposta que não seja a de, eventualmente, este blogue estar muito sobregarregado com informação na barra lateral ou com fotos muito "pesadas"...

Esperemos que estes contratempos possam desparecer, por melhor desempenho do servidor...

Grato pela visita e pelas palavras simpáticas.

Um abraço amigo
António

direitinho disse...

Este poema está na ordem do dia.
Que podemos nós fazer...?
"porreiro pá"
"Bue fixe meu"
Desculpa amigo já nem sei o que é correcto nestes tempos.............

Laura disse...

Olá, gostei de ler a poesia sobre os erros gramaticais e erros monumentais, mas, a lingua é o que o Povo faz dela...já lá vai o tempo!
Um abraço da laura