2010/03/02

BOMBA METEOROLÓGICA


Na sequência da brutal depressão que se formou sobre o Oceano Atlântico e que assolou a Madeira com os efeitos devastadores já sobejamente descritos, e sentidos no corpo e na alma dos seus habitantes, eis que um fenómeno meteorológico raro, uma "Bomba Meteorológica", dizem os entendidos (?!) na matéria, entrando pelo Sudoeste do Continente Português, invadiu duma forma assustadora (nunca vista para muitos de nós) praticamente toda a Europa, com ventos ciclónicos, chuvas diluvianas, deslizamentos de terras e destruição de infraestruturas vitais para o conforto da vida a que nos temos vindo a habituar.

Um dos resultados foi o corte da electricidade em muitos pontos do nosso país, como consequência de quedas de árvores e derrube de postes de apoio ao transporte da corrente eléctrica.
Os efeitos desses cortes de electricidade estão bem à vista nas fotos acima: Televisão não havia, de modo que lá tivemos que nos socorrer do "transistor" como inicialmente chamávamos aos receptores de emissões de rádio; os restantes equipamentos domésticos funcionam, cada vez mais, só com energia eléctrica. Assim sendo não se encontrou outra solução (quer dizer, lá teve a Zaida que deitar mão ao tacho e ao fogareiro a gás) senão preparar um jantarzito de emergência para nos governarmos até que a energia eléctrica fosse reposta, o que aconteceu já pela noite adentro.

Entretanto, a olharmos espantados uns para os outros, cá nos vamos interrogando: o que se passa com o nosso Planeta?!
Num espaço de menos de um mês podemos registar entre outras calamidades: o Terramoto do Haiti; o temporal repentino sobre a Madeira com todo aquele terrível rosário de desastres pessoais e materiais a que assistimos em directo e em diferido na Televisão, dias a fio; esta macabra "Bomba Metorológica" que tomou de assalto a Europa, desde este extremo Oeste até ao Norte e ao Centro; o devastador Terramoto do Chile a que se seguiu um violento "Tsunami" que arrasou ainda mais a moral e os bens dos Chilenos.

Que mais nos irá acontecer?
Coincidências ou resultados cada vez mais evidentes da acção nefasta do Homem sobre a Natureza e a sua incontrolável capacidade de reacção/adaptação?

E eu, que em adolescente, mantive que Deus é Deus, ponto final.
Com tudo o que se está a passar no Mundo, com a Natureza a dar sinais do seu poder incomensurável, da sua força indomável, começamos a pensar que afinal "Deus é a Natureza". E não será assim? Tudo o que nos rodeia, a matéria, o próprio pensamento do Homem, que é isto tudo, senão a NATUREZA?

DEUS!...


ps: isto sou eu a pensar, agora, sob o efeito infinitamente grande, poderoso e anestesiante da mãe de todas as mães, a Natureza!

Posted by Picasa

6 comentários:

Isa disse...

Meu querido Amigo,a Natureza "vai sempre buscar" o que lhe roubam!
Quando vou a Belém, aos Jerónimos e a outros locais roubados ao Rio Tejo,
penso: e um dia...o Tejo vai voltar.
Para si deixo o meu
Beijo.
isa.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mar Arável disse...

Bem-vindo ao meu mar

direitinho disse...

Realmente este ano começou com muitas desgraças.
Não sabemos ainda o que virá. Certamente a nossa parte está guardada.
Relativamente à falta de energia eléctrica custa um bocado porque já estamos habituados e embora seja caro nós já não passamos sem ela.
Aqui em casa estivemos com a lareira acesa e sentimos-nos aconchegados.
Foi uma boa maneira de podermos falar todos em família sem a interferência da TV

Anónimo disse...

Há-que restabelecer-se um equilíbrio. Nem que para tal seja necessária uma mudança.

Sérgio Oliveira.

Anónimo disse...

Quanto mais tempo demorar a vir um equilíbrio natural, maior será a tormenta que irá trazê-la à natureza. Basta uma boa explosão solar ou choque entre cometas que a energia electromagnética poderá ser suficiente para parar tudo o que utilize a nossa moderna electrónica. Nessas ocasiões, lembremo-nos das bicicletas, nos fogões de sala, das trempes e das panelas de ferro, das chocolateiras, etc. O tempo voltará a andar mais devagar.