2010/04/12

Há mais vida para além do “ShoppingLeiria”!...


Como é meu hábito, leio um ou os dois semanários de Leiria. Que vêm a lume, um à Quinta outro à Sexta-Feira. O último que li foi o “Jornal de Leiria”, que acompanho desde o seu primeiro número,muito franzino, há 25 anos atrás. Nessa altura, a cidade de Leiria ainda não conhecia o vírus dos grandes Centros Comerciais, hoje designados por “Shopping”, que é uma expressão mais à inglesa como parece ser do gosto do Povo e da ânsia do lucro global, que passou a reger implacavelmente as nossas vidas.

Este semanário tem uma paginação muito bem conseguida e, basicamente, divide-se em várias áreas distintas:
Sociedade,Fórum,Educação,Segurança,Política,Opinião(Destacando-se neste particular, Henrique Neto, na sua qualidade de empresário e comentador de política e estratégia económica), Entrevista (nesta semana o entrevistado é Fernando Nobre, candidato a Presidente da República), Economia (Fica-se a saber que o Primeiro Ministro de Portugal, Engº José Sócrates, vai ser o orador principal no próximo Jantar-Conferência, no dia 14 de Abril de 2010, promovido pela Liga de Amigos da Casa-Museu João Soares, Cortes – Leiria, abordando o candente tema “Nova energia, nova economia”), Suplemento Arte e Cultura, “VIVER” que contém um conjunto de informações interessantes e uma rubrica, que esta semana, eu classificaria em primeiríssimo lugar no ranking das abordagens do “Jornal de Leiria”. Trata-se do “Advogado do Diabo”.
Aqui, Jorge Estrela, director da Casa-Museu João Soares, não se cansa e eu apoio-o incondicionalmente, de se referir às implicações em termos ambientais, culturais, paisagísticos e de planeamento urbanístico, que já se estão a constatar, em relação à descaracterização duma cidade como Leiria, em resultado da forma como aqui foi instalado o chamado “LeiriaShopping”.
Bem gostaria (mas não me devo alongar em demasia) de, neste ensejo, reproduzir integralmente o seu texto, muito oportuno e que poderia perfeitamente servir como mote inspirador em debates sérios, empenhados e participados, sobre o que realmente queremos que venha a ser a nossa vida, presente e a dos nossos filhos e netos. O país está a ser inundado de “Shoppings”, “Fóruns”, etc. copiados uns dos outros. De tal forma que, quando entramos nestas áreas comerciais e de lazer, corremos o risco de nos confundirmos e nem sabermos em que cidade estamos naquele preciso momento.Leiria, Lisboa, Porto, Coimbra, Viseu, sei lá que mais!

Ainda assim permito-me transcrever, com a devida vénia do Jornal e do seu autor:
Numa altura em que se constata o esvaziamento do centro histórico, que perdeu um quarto dos habitantes em poucos anos, Leiria é dotada do equipamento que menos lhe interessa, ou seja, um chamariz para os não visitantes, em que a cidade é que paga a factura.
O engenheiro Belmiro de Azevedo erige-se a si próprio como paradigma do sucesso económico exortando o Estado a seguir-lhe o exemplo, ou seja, a fazer aquilo que ele quer, vê-se à custa de quê, da paisagem, das populações, do ambiente e das cidades. A boa economia é aquela em que se levantam rampas e canalizam pessoas para as portas escancaradas por onde vai esvaziando a sua quinquilharia.”

Posted by Picasa

10 comentários:

direitinho disse...

Amigo Nunes
Os shoppings são a praga destes tempo e desta geração.
Não fiz análise alguma e para mim torna-se indiferente haver ou não.
Passei por lá para ver e foi sempre a andar. Não consigo suportar aqueles ambientes por muito tempo.
Procuro ainda outras áreas comerciais menos concorridas onde se possam adquirir as coisas necessárias para casa.
Quanto ao Centro da cidade -parte velha- penso que será muito difícil ressuscitar.
As pessoas correm para as grandes áreas.
Um abraço

as-nunes disse...

É como dizes, Luís.

Ao pensar este post veio-me à ideia um tal "MPRL - Movimento para a Recuperação do Rio Lis", de saudosa memória, moribundo em fase terminal, segundo julgo saber. Este movimento saiu da união das várias Juntas de Freguesia e Câmaras Municpais (Leiria e Batalha) por onde passa o Rio Lena. A ideia era criar uma força de defesa daquele curso de água, imprescindível no seu traçado natural. Como bem sabemos nós, os de cá, o Lena vai abraçar o Rio Lis, na Barosa, e de lá, seguem juntos, de mansinho, até ao Atlântico.
Pois, o Rio Lena, com os seus belos freixos e ulmeiros, quase que foi entubado naquela zona de rampas e alcatrões e cimentos, para preparar o carreiro das pessoas para, rapidamente e quase que em sentido obrigatório, se encaminharem em romaria para o tal dito "Shopping".

Depois queixamo-nos quando a Natureza se revela contra estas barbaridades. Não toquem nos cursos de água. Deixem-nos seguir o seu curso natural pelo meio do arvoredo que os bordeja!...

A vida não são só grandes centros comerciais de bugigangas para consumir e deitar fora. É muito mais que isso!...

Um abraço

Alda M. Maia disse...

Boa tarde, António

O que me é bastante antipático é a prosápia como Belmiro de Azevedo, do alto da cátedra onde ele mesmo si instalou, pretende dar lições "urbi ed orbi".
A modéstia também é uma excelente virtude, recomendável, para quem teve e tem sucesso, não lhe parece?

Um abraço à Família
Alda

arte por um canudo 2 disse...

Também já não podemos viver sem eles....Abraço

as-nunes disse...

Correcção:

MPRL - Movimento para a Recuperação do Rio Lena.

Os rios Lis e Lena juntam-se na Barosa, à saída da cidade, passando o resultado deste casamento, a exisstir só o Rio Lis, que segue na direcção da Praia da Vieira, onde desagua no Atlântico.

relogio.de.corda disse...

No Domingo, foi necessário deslocar-me à baixa de Leiria e fiquei espantada com o vazio do Centro Comercial Maringá,por exemplo. Depois, passei por esse LeiriaShopping (por necessidade mesmo)e já me estava a sentir mal.. Tanta gente que passeava por ali, famílias inteiras de pais, filhos, avós...
Não era muito melhor darem um passeio pelo mar ou pela serra?!

relogio.de.corda disse...

Tenho estado com alguns problemas técnicos, aqui no meu pc. Acho que já fiz asneira...diga-me por favor se ainda continuo a ser sua seguidora!? Obg

citadinokane disse...

António meu amigo,
Finalmente consegui superar as barreiras colocadas para acessar o teu blog.
Abraços,
Pedro

as-nunes disse...

Relógio.de.corda

Obrigado pela visita.

Pelo que observei, e de acordo com o esquema da Google, parece-me que não.

Entretanto, coloquei-a na minha lista de blogues, ali mais à mão e à vista. O que não significa obrigatoriamente para os que lá não figuram menos consideração.
O Tempo... é o tempo que faz falta ser mais...às vezes!...

Anónimo disse...

Si, probabilmente lo e