2010/08/15

Leiria na rota da Cultura Chinesa

Na passada quinta-feira, nas instalações do antigo Banco de Portugal, onde actualmente funciona o Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Leiria.
Palestra/conversa proferida pela Prof. Catedrática Jubilada pela Universidade Técnica de Lisboa, Prof. Dra. Ana Maria Amaro, que presenteou a assistência com uma exposição em tom coloquial mas admirável, subordinada ao tema "Do Misticismo à Diversão Popular - As sombras Chinesas!"
Muito se falou da ideia de sombra segundo a Cultura Milenar Chinesa e da sua utilização em espectáculos de Teatro, os chamados espectáculos sombra, muito utilizados para distrair a população chinesa e, em várias ocasiões, para mais facilmente se despertar a atenção popular para problemas e momentos de particular relevo, que interessava divulgar por toda a China. Foi com este tipo de espectáculos que já em tempo de República, nos anos 30, se apelou ao sentimento nacionalista dos Chineses para combater os invasores Japoneses, por alturas do princípio da época da II Guerra Mundial.
A sombra foi apresentada como uma ideia inicial de assombramentos, ao mesmo tempo que permitiu reforçar o conhecimento do polo oposto, a Luz, em contraste flagrante e sinónimo de vida. Como não seria de espantar foram os monges budistas que usaram primeiramente a ideia de sombra e a sua representação cénica para acentuar a divulgação de Lendas, da História e para realçar, duma forma drástica, as diferenças fundamentais entre o Ocidente, essencialmente mercantilista e a Grande China, mais ideológica e orientada pela reflexão profunda dos seus mentores.


............................ (...) Ergo o meu copo
......................................( e convido a lua
............................ A minha sombra
............................ (projecta-se diante de mim.
............................ Assim, já não estou só.
............................ Somos três a brindar! (...)
No final a Prof. Dra. Ana Maria Amaro obsequiou os presentes com um CD com os diapositivos que usou na sua conferência. Uma verdadeira bênção, para quem gosta de apreciar com vagar e serenidade, uma matéria tão interessante e, ao mesmo tempo, tão distante nos seus pormenores, do vulgar cidadão do mundo não Chinês. Claro que veio à ribalta, a ligação íntima que nós, Portugueses, tivemos com os Chineses, através da nossa permanência em Macau e, a propósito assinalou-se o facto de terem, entretanto, decorrido dez anos desde que a Administração Portuguesa daquela parcela ínfima da China foi tranferida para os seus naturais.
Nos agradecimentos, a Dra. Ana Amaro destacou a actuação interessada e simpática da Câmara Municipal de Leiria e a Fundação Jorge Álvares.
-
NOTAS:
1- Para quem tiver interesse em obter um CD com os diapositivos (que a Dra. Ana Amaro cede com a toda a sua boa vontade) basta que contacte o autor deste blogue ou o Pelouro da Cultura da CMLeiria;
2- Também tivemos oportunidade de observar em mão, papel original feito de arroz e com desenhos chineses pintados à mão; o mesmo para figuras usadas nos espectáculos de sombra, feitos em pele de burro, e devidamente trabalhados e articulados;
2- Esta conferência enquadrou-se nas actividades relacionadas com a exposição patente no Edifício do Banco de Portugal "Macau: Encontro de Culturas".
Posted by Picasa

5 comentários:

Justine disse...

António, pode p.f. dizer-me até quando está patente essa exposição? Curiosa das coisas orientais, e tendo estado em Macau já duas vezes, teria muito interesse em visitá-la!
Obrigada~
(excelente a descrição dos movimentos do "rapazito"! Eu fico sempre fascinada com a subtileza dos movimentos do meu)

as-nunes disse...

Olá Justine
Esta exposição está patente ao público em Leiria até ao próximo dia 26 de Agosto.

Sempre ao dispor

Micael Sousa disse...

Muito obrigado pela divulgação e descrição dos eventos. Eu diria que fez mais do que algumas entidades que tinham obrigação para tal.
Parabéns pelo seu trabalho

as-nunes disse...

Caro Micael
Tenho-o vindo a acompanhar na imprensa de Leiria. Com particular atenção. Nota-se que o meu amigo está atento ao desenrolar dos acontecimentos sócio/políticos em geral e de Leiria em particular.
É de gente nova e interessada nos problemas da comunidade que esta terra Beirã Litoral e o País, cada vez mais precisam.
-
De facto não dei por nenhuma reportagem que se visse, acerca desta acção de promoção da Cultura Chinesa e da sua interligação com Portugal. É pena. Precisamos de badalar mais as coisas boas e interessantes que se vão passando por Leiria.
Porque não os serviços da Câmara enviarem com mais regularidade e insistência mais informação para os Bloggers da região? E até para os mais dinâmicos utilizadores do Facebook (de que eu não sou um fã por aí além, diga-se).
Muito obrigado pelas suas palavras. Quem corre por gosto não cansa - diz-se. Mas são muitas horas de "trabalho" que aqui tenho investido. Desinteressadamente...
Por isso é que não consegui ser rico e agora já é tarde nem é esse o meu objectivo principal de Vida!
Um grande abraço

Micael Sousa disse...

Sim, concordo caro Manuel. Através da Internet temos ferramentas de divulgação em massa e se não as utilizarmos seremos também responsáveis pela falta de divulgação.

Obrigado pelas palavras. Sim, vou escrevendo umas coisas e fazendo alguma intervenção na medida das minhas possibilidades intelectuais e de tempo. Mais do que gente nova em idade acho que precisávamos da intervenção cívica de gente nova enquanto cidadãos cívicamente activos - muitos são já "velhos" mas infelizmente novos nessas andanças - nessas actividades enquanto cidadãos com deveres e direitos.