2011/01/11

Interlúdio fluvial...

Junto à ponte dos Caniços, em Leiria, as águas do rio Lis acolhem-se num açude, local perfeito para se pescarem barbos e bogas.
- Portugal a meter água, também à pesca. Só que no presente, é dos credores internacionais que nós estamos necessitados.  


Águas abundantes, estas as do rio Lis, nos dias que correm. Ei-las, fogosas, antes de se precipitarem, por entre salgueiros, choupos e amieiros (na foto), na voragem da corrente, passando sucessivamente ao lado da primeira fábrica de papel que houve em Portugal (hoje, um museu), do Jardim e Igreja de Sto. Agostinho, reminiscências da primeira central hidroeléctrica de Leiria, ponte Hintze Ribeiro, ponte Ernesto Korrodi, Marachão abaixo (em plena cidade de Leiria)...até chegar à foz na Praia da Vieira.

Hoje não me apetece escrever sobre coisas sérias, finanças, dívidas, fmis e quejandos...

Amanhã, quem sabe, cá estarei, de retorno às congeminações sobre o momento que se vive em Portugal. Só se fala de política, presidenciais, bpns, afinal até estamos a conseguir atingir os objectivos de déficit preconizados para se começar este ano D  de 2011, na esperança de que possamos, daqui a uns anos largos voltar a falar de desafogo (aparente, presumivelmente...).
Hallo Titania. Hope very fast better weather in your country, Australia. The best for you.
link Titania
-
ACTUALIZAÇÃO - 12-01-11
Austrália em alerta máximo com inundações e fogos
Em Brisbane, habitantes foram aconselhados 
a deixar as casas.
A quatro mil quilómetros, centenas de pessoas fogem
ao fogo. (JN)


Algo de muito grave se passa com as alterações climáticas em todo o Mundo!
A crise não é só financeira!
Há que repensar com urgência uma Gestão Global do Planeta Terra!

Posted by Picasa

3 comentários:

carol disse...

Sou pescadora apenas na praça e no supermercado... mas as imagens são lindas! Aliás o Lis é lindo, especialmente das Cortes para cá.

as-nunes disse...

Boa noite, Carol

É como diz, o rio Lis é lindo de se ver, de se ouvir e de se sonhar!

Quantos poetas se inspiraram no bucolismo de todo o seu percurso, suave, espraiado (até ao princípio do séc. passado), idílico!

Há-de ser sempre uma fonte inspiradora da nossa imaginação e de cura de repouso mental!

Graça Pires disse...

Por aqui aprende-se sempre muita coisa...
Um abraço.