2011/03/23

ALERTA GERAL! ...Se eu fosse Presidente da República...


As botas cá continuam penduradas! Até quando?

Governo cai?!...
Temos Governo?!


Aquele fumo sobre as Cortes, Leiria, rumo a Fátima, terá algum significado premonitório?


Será branco?
Será preto?
O que é que será melhor para os Portugueses?!...


Alguém sabe?!...
-
Se eu fosse Presidente da República:
1- Esperava o chumbo do PEC IV - não é isso que toda a gente quer? - na Assembleia da República;
2- Esperava que o Primeiro Ministro apresentasse a sua demissão;
3- Não aceitava esse pedido, invocando o momento actual, completamente desapropriado e prejudicial ao País;
4- O Governo mantinha-se em funções na condição de, enquanto geria Portugal, nesta fase dramática, de luta pela sobrevivência,  tentar a todo o custo um acordo com outros partidos de modo a conseguir a garantia de apoio na Assembleia da República;
5- Até à discussão do próximo Orçamento do Estado de 2012, essa maioria de apoio ao Governo deveria ser reforçada ou - em última instância - promoveria a demissão do Governo e marcava eleições antecipadas, após a derrota duma moção de confiança por parte do Governo, da aprovação duma moção de censura apresentada pelas Oposições ou da demissão do Governo - por iniciativa do PM ou do PR.
@as-nunes
Posted by Picasa

3 comentários:

Canto da Boca disse...

O governo caiu!
Diante dessa crise econômica, antecipar as eleições, o povo não teria um novo ânimo? Ah, de cá fico vibrando para que em PT, o país volte aos trilhos outra vez, vossa nação também pulsa em meu coração!

carol disse...

Mas não é isso que o senhog pgrsidente queg...Amigo António! Ele queg o seu pagtido no govegno...

as-nunes disse...

Acho que me vou dedicar só à fotografia.
Hoje, ouvi, na rádio, uma sra. a responder à pergunta se ia votar em próximas possíveis eleições antecipadas:
"Já não percebo nada disto, fartamo-nos de votar, ninguém se entende, já tenho 60 anos, não vou votar mais nenhuma vez até ao fim da minha vida."

De facto, é desalentador constatar que votamos com um determinado sentido, na Assembleia da república deturpa-se tudo.
O voto maioritário, sem maioria absoluta é certo, deveria significar o quê? Que os partidos votados deviam fazer um esforço mínimo que fosse para se entenderem, antes de tomarem atitudes drásticas. Não foi o que aconteceu.

Agora querem que o Povo vá votar mais uma vez?
6 eleições em dois anos?
Andam a gozar connosco?