2011/07/24

Leiria, terra de encantos...tantos!

Uma semana fora do ambiente de Leiria...imagens sobrepostas, desfocadas pela minha memória...
O Castelo de Leiria... visto do lado Norte. Tinha chegado no dia anterior...

Ao chegar a casa... as antenas da minha estação de rádio amador, CT1CIR, a espreitarem, por cima da copa da figueira do meu vizinho.
Fui à varanda, virada para Nascente, vale do rio Lis, Cortes, Senhora do Monte, Serra da Maúnça...
Da janela do meu quarto. Quantas fotografias já eu não tirei deste ângulo? E quantas outras (nas mais variadas épocas do ano) já não publiquei aqui, nesta teia de emoções que é este meu "Dispersamente..."?

Posted by Picasa

4 comentários:

Graça Pires disse...

Lembrou-me há quanto tempo não vou a Leiria...
Beijos.

as-nunes disse...

E, ao mesmo tempo, eu a lembrar-me em como estou necessitado de ir a Viseu, a minha terra Natal.

Claro, Leiria, há-de ser para sempre uma terra do meu encantamento, uma terra à qual me liguei o mais intimamente que se possa imaginar, a par com o meu nascimento como ser humano.

Daí esta minha obsessão por mostrar Leiria, quantas vezes mostrando-a, em muitos pormenores, a mim próprio.

Alda M. Maia disse...

Que rico sistema de antenas!
E eu com tantos entraves para colocar a minha velha TA33!

Ah! uma pergunta. Como consegue reorganizar a sua biblioteca?
Tem aí quem ajude, não é?
Se soubesse o caos que por aqui reina!...

Um abraço
Alda

as-nunes disse...

É verdade, Alda

Este sistema irradiante da minha estação era para ficar um "brinco" quando, já lá vão quase 20 anos, vim para esta casa.

Com 45 anos fui eu que lá andei, meses a fio, aos fins-de-semana, empoleirado, a montar todo aquele estendal. Cheio de entusiasmo, que fantástica ia ficar a minha estação, a partir da qual iria conseguir emitir em todas as frequências e modos!

Foi Sol de pouca dura, logo a seguir começou a aparecer a internet e eu a ir na nova onda.

Mas cá continua pronta a entrar em acção e, esporadicamente, em escuta e QSO.

É sempre com uma sensação de grande romantismo, alguma nostalgia, que estou no ar. E quando entramos em QSO com os velhinhos "OM" que conhecemos e com quem ainda convivemos?

Um abraço
António