2011/08/21

Parceiros-Leiria: Há fogo na noite escura e tempestuosa





Na zona de comentários da entrada (post) anterior dizia eu que estava de novo a caminho da casa de Soares e Luísa Duarte, nos Parceiros, aqui em Leiria. Uma distância de 4 km, desde a Barreira passando pela zona do "LeiriaShopping". Mais um encontro de amigos a pretexto dum jogo de futebol do Benfica na SportTV.      Ao intervalo fui à varanda para dar uma olhadela até onde a vista alcança, obras por todo o lado, e toda a paisagem florestal e urbana que se consegue ver de Norte a Sul de quase toda a área dos Parceiros.

De repente, fixei a minha vista num ponto, ali perto, para os lados do Alto Vieiro, na zona das obras no IC2, por causa do seu alargamento para A19, do IC9 (Nazaré - Tomar, cruzando-se por túnel por debaixo do IC2/A19? entre a Batalha e Leiria) e do IC36 (que vai ligar a A8/A17 à A1, A19/IC2; vai para aqui uma confusão de obras e mais obras, que Leiria poderá vir a ser mais um Entroncamento que uma cidade, assim antevejo).


Estava no seu início um fogo. Entretanto, falta a luz. Terá sido um curto-circuito? Nota-se uma explosão. O tempo abafado, temperatura na casa dos 33 graus. O vento começa a soprar rijo, cada vez mais forte. Transforma-se num vendaval, qual sarabanda frenética.
Os vasos da varanda começam a cair, as portas a bater com estrondo, cacos e restos de plantas a espalharem-se.
O fogo começa a atingir dimensões preocupantes, o vento a propagá-lo a um ritmo estonteante.
Começa a seguir na direcção da zona urbana de Parceiros, cuja igreja se vê iluminada a preceito, já decorrem as festas anuais. Pela fotografia pode ficar-se com a ideia arrepiante do que poderá vir a acontecer. É que o vento, de Sul/Sudeste, ar quente, continua a soprar com uma força assustadora.

Começam a ouvir-se as sirenes dos carros dos bombeiros.

Tal como se iniciou, a ventania abrandou dum momento para o outro, o que terá ajudado os bombeiros e as populações de toda aquela zona, muito povoada. Segundo informações obtidas pelo telefone, os habitantes da povoação do Brogal/Parceiros, já se estavam a preparar para o pior!

Que rico fim-de-semana de festa!?...
@as-nunes
Posted by Picasa

9 comentários:

Catarina disse...

Fotos que refletem uma panoramica muito assustadora.

Rosa dos Ventos disse...

Soube pela comunicação social o que se passou por esses lados.
As fotos transmitem bem a intensidade das chamas!
Situação bastante inquietante...
Por aqui só caiu trovoada hoje ao fim da tarde.

Pelas fotos que tenho observado aqui e pela linguagem utilizada no meu espaço não precisa nada de aulas de fotografia!
Eu é que sou a pior aluna do grupo, além da mais velha...não tenho técnica nenhuma e tenho apenas uma digital de "poche" ! :-))

Abraço

Anónimo disse...

Os fogos não nos largam! Todos os anos, por esta época, devastam populações e deixam-nos a todos nós mais tristes e pobres e cada vez menos crentes na justiça dos homens que permite que este e outros crimes se repitam ano após ano em nome de um qualquer princípio fundamental do Direito que, parece, tem vindo a mostrar-se cada vez mais torto...
Talvez este fogo tenha tido mesmo causas naturais, dada a intempérie que então se fazia sentir, mas bem sabemos como muitos deles começam inexplicavelmente e em várias frentes e como os incendiários continuam impunes... acusar um inocente é péssimo, mas, bem vistas as coisas, é o mesmo que fazer-se pagar o justo pelo pecador, que é o que tem acontecido nestas e outras situações!
Apenas para lembrar que a Justiça é um dos bens a que o cidadão tem direito, embora seja um dos que mais caro paga, mas que a justificada descrença de muitos nesse pilar social faz perigar a própria sociedade...

as-nunes disse...

NOTA Suplementar

O fogo, que esteve assustador, acabou por ser debelado sem problemas para as habitações.

Apesar de o susto ter sido grande.

Pelo menos uma árvore de arruamento, nos Parceiros, perto do local das minhas observações, foi derrubada pelo vento. Por sorte tombou para o lado contrário ao do estacionamento de viaturas.

elvira carvalho disse...

Todos os anos no Verão acontece a mesma coisa. Incêndios e mais incêndios. Quando era menina era muito raro assistir a um incêndio.De há uns 20 anos a esta parte é uma desgraça.
Abraço e uma boa semana

as-nunes disse...

Pois é, Elvira.

Entretanto descobriu-se a galinha dos ovos de oiro do negócio dos incêndios:
material de transporte terrestre e aéreo, produtos químicos, etc etc etc

São muitos milhões!...

carol disse...

Olhe, António, há muitos anos que não tinha tanto medo! Morro de medo do vento e da força que ele consegue aingir. Aqui na Estação foi um vendaval medonho, com um calor insuportável como se fosse um bafo vindo do chão que quase queimava. As minhas (três) árvores abanavam tanto que o chão do quintal e do jardim ficaram pejadas de galhos partidos e azeitonas verdes. Para mais, do terraço começámos a avistar um fogo e depois outro. Foi um susto!

É que "as forças da Natureza nunca ninguém as venceu" (Gedeão)

Beijo.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Enquanto a justiça não tiver mão pesada e célere para esta questão do fogo (posto), continuaremos a ver a nossa floresta a ser dizimada ano após ano.

Triste ! muito triste.

Luís Coelho disse...

Não dei conta do fogo pois vivo a doze quilómetros mas o vento aqui assustou e muito.
Não fez grandes estragos mas ainda assim deixou as marcas.