2011/08/05

Leiria, Largo Cónego Maia, Agosto de 2011



Clique(*) em cima das fotos, para melhor se apreciarem estes momentos, em pleno centro da cidade de Leiria. Princípio de Agosto, a meio da tarde, os pombos na expectativa de lhes darem algum milho. Mesmo no limite direito da foto há uma loja que vende alimentos para animais de recria e de estimação. As probabilidades de estes pombos conseguirem a sua ração diária são muitas, pelo menos nos dias de descargas de mercadoria. Não admira que se juntem aqui...


Curiosa e algo caricata a imagem com que se fica quando se observam em pormenor os detalhes da fotografia de cima.
Distraídos, a pensar na vida, às tantas ainda haverá quem ponha uma carta no marco do correio. Só que nem sequer com um pombo empoleirado, aquele marco servirá senão para bibelô do Largo Cónego Maia, uma das mais acolhedoras salas de estar públicas da cidade de Leiria.
Bem bonita que ela ficou com os choupos que era suposto terem sido abatidos na altura da sua requalificação, há quase três anos.


Felizmente, essa barbaridade não se consumou porque algumas pessoas, eu incluído, se meteram ao barulho e conseguiu-se que o projecto incial fosse alterado. Em vez de terem abatido dois populus nigra, estes foram poupados e enquadrados num conjunto de Áceres (ou falsos plátanos) jovens. (mais aqui)


(*) Tenho usado a expressão abreviada clic. Do dicionário, o correcto será usar clique.
@as-nunes

Posted by Picasa

8 comentários:

Rui Pascoal disse...

Então esse é que é o pombo-correio...
:)

Catarina disse...

Foi no domingo passado que vi o marco e essa ponte que estaria sobre o antigo curso do rio Lis, segundo me explicaram. Tirei muitas fotos dessa linda cidade. Vou publicar algumas em breve.

as-nunes disse...

Rui Pascoal

Sempre atento e oportuno! eheh
:)

-
Catarina

Então por cá? Espero que faça uma boa estada (estadia?).
Sim, aquele "monumento2 foi retirado naquele local (mais m menos m) aquando da movimentação de terras para se construir a parte de trás do edifício onde está a Zara, o antigo Paço Bispal.
O rio Lis, de facto, segundo rezam as crónicas, vogava livremente por toda aquela área que vai da actual fonte luminosa até quase ao Arrabalde. São célebres as cheias e a necessidade de se andar de barco por parte daquela zona. Tempos antigos!
Cá fico à espreita para ver as suas fotos. Ao fundo, quem se vira poente, está o Largo da Sé. A minha família é proprietária da casa de azulejos azuis, com o Sócrates (o da Grécia Antiga) e tudo. Os azulejos são "viúva lamego".

Tenho aqui no blogue reportagem sobre a polémica do abate dos choupos deste Largo.

Abraço

Catarina disse...

Já me encontro em casa (no Canadá). Passei apenas um dia em Leiria. Creio que vi essa casa de azulejos azuis. Vou ver se tenho a foto.
Já tinha visitado a sua cidade há muitos anos e só me recordava do castelo. No domingo, palmilhei uns bons quilómetros por essas ruas e pontes. Subi até ao Santuário... de carro! : )

Eduardo Miguel Pereira disse...

Belos momentos, sim senhor.

E bem apanhada a piada do pombo-correio.

Parabéns pelo sucesso na luta que impediu o abate dos choupos.

elvira carvalho disse...

Bonita essa praça. Não conheço Leiria. Penso que a última visita à cidade ainda não tinha 10 anos. Depois disso nunca mais.
Um abraço

carol disse...

Que gira a foto com os pombos sobre o marco do correio!

Quanto à ponte antiga, também já a fotografei porque a acho linda! Mas, como li na Região de Leiria há umas semanas atrás, nem uma identificaçãozinha tem lá por perto.
Estes leirienses são uns distraídos!...

Beijinhos, ó observador da cidade!

Isabel Soares disse...

O pombo espera a hora de entrar ao serviço. Oxalá traga uma carta para mim!
A foto foi colhida num momento óptimo. Parabéns.