2011/10/05

República ou Federação de Estados?

Em 5 de Outubro de 2005.

Parece-me que estou a conhecer este republicano português!
Outros tempos!...
-
6 anos decorridos, que expectativas para esta República?

Estaremos na III República? Ou já na IV?

Ou já não temos outra solução que não seja virmos a integrar uma Federação de Estados da Europa?

Começa a tornar-se cada dia mais claro que nós, portugueses, e restantes povos da Europa, cada um com a sua História própria, teremos que encarar seriamente a ideia de unirmos esforços com vista à criação de um espaço comum, que não seja só económico.
Será este o momento em que, finalmente, os Europeus, depois de tantas vicissitudes por que passámos, pelo menos desde a Idade Média, nos conseguiremos unir numa Federação em que a Solidariedade entre Estados seja realmente um facto?

Haverá outra saída para ultrapassar o risco iminente de a Europa perder o seu lugar no actual contexto mundial?
@as-nunes
Posted by Picasa

9 comentários:

Alda M. Maia disse...

Enquanto houver, na zona euro, países que se consideram mais virtuosos do que os outros (acho-lhes uma graça!...), que se reúnem para decidir de não decidir coisa nenhuma, podemos concluir que jamais haverá federação e, muito menos, solidariedade.

É um espectáculo triste, não acha?

Espero que este meu comentário seja publicado, pois, ultimamente, tem-se revelado um problema.

Um abraço
Alda

Alda M. Maia disse...

Com a preocupação de verificar a aceitação do meu comentário, esqueci-me de dar um viva à República. Viva sempre e em puro regime democrático... senão puro, pelo menos dentro das melhores regras.

A! viva também o Ilustre Republicano da foto

Um beijinho à Zaida

as-nunes disse...

Viva a República
Viva, Alda

Obrigado pelo comentário, mesmo tendo em conta que os meus posts se têm mantido a um nível tal que se pode dizer que reflectem com muita proximidade o meu próprio estado de espírito.

Caríssima amiga Alda, pois dá-se precisamente o caso de que eu e a Zaida decidimos, num dia 5 de Outubro de há 43 anos, trocar alianças de casamento e ainda cá andamos com elas. Hoje até viemos à terra de Viriato, a minha terra natal, digamos que o grande impulsionador da nacionalidade Lusitana.
O que não impede que, na actualidade,se possa ser pragmático o suficiente para defender a consolidação urgente de uma Federação abrangente dos Estados da União Europeia.
-
Não sei o que se passa com a dificuldade que tem sentido em colocar comentários neste blogue mas vou indagar, a ver se percebo a razão de tal problema.

A Zaida retribui o beijinho.

Cisfranco disse...

Olá viva!
Entrei agora no seu espaço e, não nos conhecendo, sinto que somos companheiros há muito tempo.
Aproveito para brindar ao seu 5 de Outubro de há 43 anos, como acima refere. Muita saúde, e por muitos anos!
Quanto a comentários no CdP, espaço de que gostava bastante, acabei por perder o interesse, porque ele só publica alguns e diz que os publica todos e depois está sempre a descascar sobre os anónimos que ao fim e ao cabo, com isso, incita a que abandalhem o esquema... O sr que acha?
Saúde! E bons comentários.

as-nunes disse...

Bem-vindo, amigo Cisfranco

Sabe o que lhe digo? O blogue do Clube dos Pensadores lança à discussão variados temas da actualidade política, sempre com muita acuidade.

Já se sabe, as opiniões são muitas e variadas, desencontradas quantas vezes.
É da troca de ideias que poderá resultar a possível mais valia para o debate político no nosso país. E podemos estar cientes que as nossas opiniões, por muito simples que possam parecer muitas vezes são de muita utilidade e podem proporcionar boas dicas para os próprios governantes se poderem alumiar nas decisões que são obrigados a tomar na defesa de todos nós. Todos, não podem ser predominantemente para proteger os interesses instalados da alta finança e do poderio das famílias político/económicos abastadas e que ainda se arrogam responder às críticas com sobranceria, como se a sua riqueza acumulada não tenha sido sido à custa da riqueza criada com o trabalho e consumo de milhões de pobres e remediados.
Não poderão estar interessadas em matar a "galinha" que lhes proporciona os ovos que têm acumulados ao longo dos tempos!
Se se disponibilizarem para prescindir de alguns dos seus privilégios inadequados às actuais circunstâncias talvez possamos restabelecer o necessário equilíbrio às contas do Estado.

A questão dos comentários do CdP, o que poderá ter-lhe acontecido é que alguns estão a transviar-se por via de deficiências do próprio servidor da Bolgger/Google. Parece-me que será este o caso.

Graça Pereira disse...

Caro Amigo
Obrigada pela sua visitinha que, infelizmente, acontece esporadicamente. Parabens pelo 5 de Outubro de há 43 anos e acredito que foi vivido com muita mais emoção do que o da República! Os portugueses começam a ficar cansados desta situação de caos sem fim e as datas que tanto nos honravam, ficaram gastas e quase sem sentido.
Estados Unidos da Europa, como diz?
Não creio! Falta humildade, solidariedade e um ideal comum. Seria como um corpo sem alma, na minha modesta opinião!
Um beijo especial à minha patrícia...que pena Moçambique não ter sido para TODOS os moçambicanos de todas as cores, talvez agora estivessemos a leste de muitos problemas...
Um abraço.
Graça

as-nunes disse...

Graça, querida amiga

Eu aprecio sobremaneira o seu blogue, o seu estilo poético, a sua maneira singela, apesar do excelente nível das suas produções.
Tem toda a razão quando se refere às poucas vezes que deixo comentários no seu blogue. Pode crer que é merecedora da minha maior estima e consideração, muito mais do que eu tenho demonstrado, sem dúvida. Uma ingratidão de que gostaria de me penitenciar.
Hei-de conseguir aprender a gerir a minha participação na blogosfera !

Há uma patrícia Moçambicana, aqui pelos meus lados, sem dúvida. É a minha filha Inês, agora com 42 anos de idade. Provavelmente não irá sentir-se ligada a essa pérola do Índico como eu fiquei. Era muito novinha quando regressou...
Um abraço de muita amizade
António

Cisfranco disse...

Caro as-nunes

Não creio que seja esso o caso dos comentários, que se transviem como o sr diz. Tenho a certeza que não. Isso só acontece com ele. Ele diz que os não sei colocar...
Um abraço

al cardoso disse...

O ideal seria acabarmos com esta "triste republica" de uma vez e, voltar-mos a ser Portugal, com um Rei como chefe de estado, e um governo parlamentar democratico!

Porque um Rei nao tem partido e e sempre imparcial, so defendendo a Patria!