2011/11/29

Lourais e Carvalhinha em contraluz


Do lado de cá, em contraluz, no Domingo passado, a cerejeira do meu vizinho em fim de ciclo, uma "figueira-do-inferno", vislumbram-se algumas laranjas na própria árvore, a quinta do cabreiro (era do snr. David, mas ficou com este nome, foi como me ensinaram, há uns 10 anos atrás), lá acima olhamos para poente...


Entretanto:
O nosso fadário, esse continua cada vez mais atiçado!...
-
nb.: figueira-do-inferno é o nopal 
@as-nunes

10 comentários:

Luís Coelho disse...

Sempre com belas fotos.
Paisagem que lentamente se vai perdendo.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Bela foto !
E não dá para irmos aí roubar umas cerejas ao vizinho ?
eheheheh

as-nunes disse...

Luís

Já me chamam o maluquinho das fotografias, mas a minha filosofia é simples:
Gosto da fotografia, escrevo, leio, ouço, etc, logo existo.

Enquanto houver quem não se esqueça que a Natureza é a Vida, haverá sempre um cantinho deste Planeta (tal como o Homem dele precisa) que resiste.
Um abraço

as-nunes disse...

Eduardo

Acabei por escrever o último parágrafo motivado pelo teu comentário ao post anterior.

Viva a Vida, ignorantes e asnos que nós somos, que nos esquecemos que até os podres de ricos não conseguem comer ouro, charutos havaianos, piscinas, fausto, egoísmo!
Um abraço

Sonhadora disse...

Jamais esquecerei que a Natureza é Vida. Por isso costumo dizer que para onde quer que olhe há sempre algo de belo para admirar.
Voltarei, se me permite.

Cumprimentos

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Nunesamigo

Poizé, as palavras são como as cerejas e as fotos são como os seus autores. Não te babes, sff.

Abç

PS - Quem diria? Na nossa Travessa há... mamas. Lembro-me de cada uma, que cada duas é um par

BlueShell disse...

Linda a foto...mesmo à contraluz: eu se tirasse uma foto à contraluz...ficava com ela prontinha para ir para a reciclagem: admirável.

Gostei-
Abraço cá "de cima"!
BShell

as-nunes disse...

Começando pela "Sonhadora"

Encantado por a receber neste sítio aqui tão disperso mas sempre com a imagem presente. Só consigo manter esta acção desta maneira. Se me tiram a imagem fico sem motivação para escrever. E eu gosto de escrever, alinhar as palavras que o meu instinto me vai ditando para que a imagem não fique só, à mercê do que cada um possa interpretar.

Ainda que concorde que uma imagem pode valer mais do que muitas palavras (dezenas, centenas, milhares de palavras?)

Apareça sempre,
:)

as-nunes disse...

Ferreira, amigo

Julgo que te começo a conhecer. Sempre a brincar e a dizer coisas sérias, ao mesmo tempo.
As cerejas onde é que elas já vão. Agora, tenho andado a mostrar as folhas da cerejeira amarelecidas, mesmo assim, tão belas.

mm o tema que rola pela travessa é, com certeza, interessante, vamos lá a ver como param por aí as m..as (fiquei indeciso, modas, mamas...).

Essa do ficar babado, quê? pela fotos? Faço o que me vai na massa do sangue...
Óscar Bravo (conheces a linguagem fonética internacional?)

relogio.de.corda disse...

Já devo ter passado por aí centenas de vezes. O lugar parece-me familiar.
Agora essa da figueira-do-inferno não conhecia. Que tem ela de diferente das "normais"?