2012/01/01

Este Primeiro de Janeiro de 2012

Hoje é Domingo e o primeiro dia do ano da (des)graça de 2012, a avaliar pelos ensaios já levados a cabo no decorrer do ano de 2011, travagens bruscas no nível de vida dos portugueses, a Europa gaseada de todo, serão ainda os efeitos dos primeiros bombardeamentos de gás mostarda da I Guerra Mundial?


Começámos o dia acordados pelo ribombar dum foguete-petardo, qual terá sido a ideia não sabemos, terá sido para comemorar o fim do 2011, de tão má memória, terá sido para chamar a atenção aos deuses da fortuna para nos darem mais ânimo para enfrentar 2012?

Os nossos gatos, os que estão fora de casa, mas com condições invejáveis, três ao todo, acharam por bem ofertarem-nos os despojos do nosso rouxinol, sobrou a cabeça e algumas penas. Eles próprios, talvez o rapazito, tinham-se encarregado de, por artes e manhas de que só eles é que são capazes, deitarem a gaiola ao chão, a porta abriu-se, o rouxinol escapuliu-se mas não abandonou as redondezas da casa. Acabou por ser apanhado pelos felinos, estava-se mesmo a ver.
O rouxinol, já em liberdade, eu a fotografá-lo no meio dum piricanta com os seus pomes característicos (são comestíveis e considerados dum extraordinário valor medicinal) ainda não sabia que era o que até há pouco tempo estava dentro duma gaiola. No dia seguinte, provavelmente hoje, acabou por ser apanhado pelos gatos que lhe chamaram um figo. Era um rouxinol oriundo do Japão...


Continuam a estralejar foguetes!...
Ainda não ouvi rádio, nem vi TV, nem li jornais, não sei nada do que se passa no mundo, hoje, à hora a que me sentei aqui defronte do monitor do computador, com a ideia de registar a simplicidade fransciscana deste primeiro dia do primeiro ano pós 2011.


Já andei pelo quintal, a ver a horta e o jardim, a ajudar a Zaida em arrumações exteriores, também. E assim irá ser o nosso dia, muito provavelmente...

11h45...12h20 tmg.
- vou fotografar a vista panorâmica aqui em frente, na direcção nascente, mil vezes mirada, mil vezes registada em milhões de pixels!...
- o que é que vai sair deste arrolamento de ocorrências na vida de um casal de suburbanos, já entradotes, mas que querem manter-se activos, física e mentalmente?
A ver vamos!


Acabei de tirar a supra dita fotografia. Não sei se a vou inserir nesta entrada do meu blogue. É mais uma das perspectivas de sempre. Estarei a ficar monótono?
Antes de começar a descer as escadas para o rés-do-chão, passei por uma das estantes da nossa biblioteca e lembrei-me de reler uma passagem do "Diário" de Torga, no ano de 1947, o do meu nascimento, em Viseu, ali à beira do Vouga, serra de S. Macário à vista, S. Pedro do Sul a dois passos. Apeteceu-me. Gosto muito do Torga.
Respiguei isto, escrito em 8 de Janeiro de 1947:
"...
Aqui é preciso aceitar tudo, porque o trigo e joio fazem parte do mesmo corpo, sem possibilidade de separação. Daí, a multiplicidade, partidos, controvérsias, oposição. A uniformidade social é a monotonia de um batatal. E a história perdoa tudo, menos a monotonia.
..."
O que se estará a passar no mundo? Ainda nem sequer passei os olhos pelas notícias on-line.


Mais um foguete!... Deve ser para recordar os mais distraídos que já mudámos de ano de calendário!


12h50 tmg................................................................... já cá volto
(é possível que, enquanto em edição, pelo menos, algumas gralhas pousem por aqui...espero que só temporariamente...
E mais, ainda temos a questão do Novo Acordo Ortográfico; obrigado, Alda, pela sua sugestão de não me preocupar com esse acordo(des).
-
Já são 18h45m, noite cerrada. Continuo sem saber nada do que se passa por esse mundo fora. Estarei a perder alguma informação relevante? Algo que possa vir a contribuir para a melhoria da nossa vida? Os chineses já compraram mais algum pedaço de Portugal? 


Entretanto, cá temos passado o dia em trabalhos de manutenção da casa. Um pouco a contragosto, que me apetecia começar o novo ano nas calmas, acabei por passar o dia às voltas com um berbequim, chaves de fenda, martelo, alicate, parafusos, prateleiras, alguns trabalhos na minha oficina, uma parafernália de todo o tipo de material e ferramentas acumuladas ao longo de várias décadas de vida.  


Finalmente dou por terminado este apontamento, por ora. Deixa-me lá dar uma espreitadela pela janela dos noticiários da rádio e tv.
Antes, vou ver o que se anda por aí a badalar na net.


Mais foguetes! Tem sido isto toda a tarde, aqui pela zona do Vale do Lis, a nascente a meia dúzia de passos. Nem sei para quê, talvez para espantar os espíritos ruins que nos andam a acenar com sombras esquisitas moldadas em silhuetas indefinidas!...


Ora então vamos a ele, ao 2012!
Que venha em paz!
Que venha com menos egoísmos!
Que os governantes da Europa e do resto do mundo assumam um genuíno compromisso de honra em como vão defender a qualidade de vida dos cidadãos!


@asnunes  

8 comentários:

Catarina disse...

Gostei de ler este relato do primeiro dia do ano de 2012. Se não fosse alguém pensar que estaria (eu) a querer entrar na privacidade das pessoas, até poria este desafio: Como foi o vosso primeiro dia do ano de 2012? : )))
Continuação de um bom dia!

as-nunes disse...

Muito obrigado, Catarina.

De facto, hoje, deu-me para ma armar em cronista deste dia passado no mundo suburbano de Leiria.

Foi proveitoso. Fiz algo de útil, não me limitei a seguir Gilberto Amado quando escreve:
"Um povo é tanto mais elevado quanto mais se interessa pelas coisas inúteis - a filosofia e a arte."

Que o dia por aí, 6 ou 7 horas depois do nosso tempo terrestre, esteja a correr bem.

Um abraço

Rui Pascoal disse...

Há um bom par de anos tive um lindo canário que nos deliciava a todos com as suas melodias. Um belo dia, ao espreitar para dentro da gaiola, vi "apenas" a sua cabeça, o resto do corpo "desapareceu" sem deixar rasto.
A partir daí acabaram-se as aves, ficaram os felinos...

Bom Ano!

carol disse...

Diário de um dia... (passe o pleonasmo...) Coitadito do rouxinol. Os gatos são implacáveis com os pássaros. Às vezes também tenho pássaros mortos na porta de entrada do quintal - as gatas (agora só tenho uma) são cá umas caçadoras!

Mas do que eu gostei mesmo foi da sua casa das ferramentas - tudo tão organizadinho! Tenho de mostrar ao meu marido...

Beijinhos e boa continuação!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Nunesamigo

O Fantasma Mijão volta a atacar...


O Ano Novo já entrou
pé ante é, de mansinho;
quem já dormia acordou
pra despedir o velhinho

De muletas e alquebrado
o velho nem quis saber
onde seria enterrado;
estava farto de viver

Mas o novo, um folgazão,
nem sequer lhe deu abraço
que era muita a confusão

Deu-lhe só um empurrão
pra ganhar o próprio espaço
ou escolher a… emigração


'té parece que sou poeta... da treta

Abç

as-nunes disse...

Carol

Aquilo da foto do "cantinho das ferramentas" é só fogo de vista!
A foto - propositadamente, "que eu não sou parvo" - ficou um pouco baça, assim meio desfocada, para não se notar a desarrumação que por ali vai.

eheh

Bom Ano Novo!

Viviana disse...

Meu caro amigo Nunes

Conseguiu encantar-me com o seu texto.

Há quanto tempo não lia nada assim!

E ainda por cima, enquanto lia, a minha amada e bela Leiria e o meu saudoso e tão presente Rio Lis, pairavam no meu pensamento.

Quanto ao rouxinol... teho algo semelhante para lhe contar. Nem imagina o que aconteceu aqui em casa. Tenho três "felinos" a viver conosco dentro dum apartamento: O Teco, um gatão enorme de olhos azuis e com pelo farto cor de mel - a Pipicôt - uma gata de rua que salvei da morte na aldeia, trazendo-a para cá, prenhe...sem eu saber, e a Kity - Kleine - filha da gata. Neste momento , correm e saltam os três por cima do sofá e cadeiras da sala.

Pois bem, a Pipicôt, ficou fechada, no escritório, por distração do Jorge, meu marido, e estando lá "protegidos os canários(4), ela conseguiu sabrir a porta da gaiola, o mais lindo canário fugiu e ela apanhou-o. quando se abriu a porta vinha com ele na boca.O pobrezinho morreu no dia seguinte.Era pai de uma prole, um excelente pai. Chorei e sepultei-o no jardim da casa da aldeia.
Desculpe, tanta escrita, mas veio a talhe de foice...

Um abraço e um excelente ano de 2012.
Viviana

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Caro António , passo apenas para lhe desejar um gran de ano , cheio do que mais desejar . Agradeço-lhe a sua passagem pelo meu blogue . Foi um prazer lê-lo . A vida não me tem dado muita oportunidade de andar pela blogoesfera , mas logo que se me ofereça algum tempo , virei .
grande abraço
JRMarto