2012/04/25

Já não há cravos vermelhos?


Esperanças loucas...

Ideias vividas
frente a oportunistas,
Lutas sofridas,
traidores e egoístas. 

Valeu a pena?
Tudo vale a pena
se a esperança não morrer.

Sigamos o sete-estrelo,
façamo-nos ao mar.
Não aos velhos do Restelo,
acomodados, a sofismar.

Financeiros sem ideais!
Mais parecendo
chacais!

Portugal não pode viver
remetido a oeste
sempre a temer,
como se fosse este,
- irremediavelmente -
o nosso Fado!...

Cravos encarnados,
onde estão?!
Espezinhados, 
pelo chão!...

NÃO!...
Os ideais de Abril
não podem acabar assim, 
Não podem, NÃO!...

também pode seguir o link dum meu comentário no blogue do Agostinho (aqui)
@as-nunes

9 comentários:

Luís Coelho disse...

Também penso assim caro Poeta Nunes.
Os ideais e a força de Abril não pode morrer.
Parece que nestas letras conseguiste resumir a onda que amedronta Portugal

Anónimo disse...

Não podem,não!
Kinkas

Observador disse...

A cor e os tons de Abril têm vindo a mudar.

Resta o ideal.
Para manter até quando nos permitirem.

tulipa disse...

AMIGO ANTÓNIO NUNES

Dia 19 foi o meu aniversário
este ano finalmente consegui fazer o que há muito idealizava:
passar esse dia longe de tudo,
de todos,
num paraíso, no mundo
e consegui...!
...
hoje convido-oe a ver o meu novo blog:
"Os meus pensamentos"
lá encontrará uma FOTO
das mil e tal que captei com a minha objectiva;
gosto daquela que escolhi para o post
é única, simples e para mim representa um momento lindo!
...
Vivenciei-o num rafting de balsa feita de canas de bambu pelo rio abaixo junto a uma floresta na Tailândia.
Indescritível.
...
Fez-me recordar os sons da floresta na "Minha África"!...
...
EU
..."Sou como as velhas árvores… preciso de silêncio, de estender os meus braços e escutar a voz do vento! Há verdes novos que vieram na viagem da luz e na visita da chuva..."

Beijos de saudade e muito carinho.
Tulipa Moçambicana (Ester)

arte por um canudo 2 disse...

Não sabia mas fico a saber que a poesia também é o teu forte António. Fiquei a saber através dos poemas de Abril, aqui e no meu blogue.Admiro-te pela forma como cantas Abril mesmo sem o colorido de outrora, a alma é a mesma.Para nós e para muitos mais os ideais de Abril não acabarão. Na alma ficará sempre aquele colorido de ideais que o 25 de Abril fez despontar. Por muito que o queiram abafar o grito soará sempre: VIVA O 25 DE aBRIL e 25 de Abril Sempre!..

Alda M. Maia disse...

Boa Tarde, António

Os cravos vermelhos podem sempre reflorescer na forma como seremos cidadãos livres,responsáveis e exigentes; jamais aceitar tudo passivamente, não lhe parece?

Um abraço amigo e um beijinho à Zaida.
Alda

Graça Sampaio disse...

Pois é: os cravos estão a virar cor de laranja, para nosso mal! Cabe-nos fazê-los voltar a florir vermelhos. Vermelhos sangue!

Rosa dos Ventos disse...

Não podem, não devem nem morrerão!

Abraço

as-nunes disse...

Muito obrigado pela visita.

Que o verdadeiro espírito do 25 de Abril do Povo nos proteja e nos ilumine o caminho do Futuro.