2012/05/09

Acácio de Paiva: um dos cinco autores no Mercado de Sant´Ana, em Leiria

Um dos grandes vultos das letras Leirienses é, incontestavelmente, Acácio de Paiva.
Já aqui tive ensejo de escrever, por variadíssimas vezes, sobre tão ilustre personagem de Leiria, de modo que não me alongarei na sua apresentação (ver link).
A Câmara Municipal de Leiria, deliberou dar destaque, no roteiro cultural de Leiria para este mês de Maio, a uma iniciativa deveras interessante e que deveria ter a merecida atenção das pessoas que gostem de Leiria, da sua história, dos seus antepassados que dedicaram as suas vidas à Literatura, neste caso particularmente à Poesia, ao Teatro e ao Jornalismo. E temos razões de sobra para nos orgulharmos, nós os Leirienses (também o sou, ainda que Viseense de nascimento e de afetos), pelo excecional painel de ilustres autores indelevelmente ligados a Leiria, seja por nascimento seja por aqui terem passado uma parte relevante das suas vidas, tais como:
- Francisco Rodrigues Lobo
- Acácio de Paiva
- Afonso Lopes Vieira
- Eça de Queirós
- Miguel Torga

Como se pode ver no fac-símile da pág. 08 da LEIRIAGENDA - Mercado do Livro de Leiria (Mercado de Sant´Ana) acima reproduzido, este vosso humilde autor deste blogue, estará, no dia 31 de Maio próximo, na companhia de sua mulher Zaida Paiva (poetisa com livros publicados) e Paulo Moreiras, escritor com múltiplas provas dadas na área da publicação de livros e de colaborador de imensos jornais, em conversa amena e descontraída para se falar sobre Acácio de Paiva
Estas conversas irão ter lugar no interior do Mercado de Sant´Ana de 30 de Maio a 1 de Junho, entre as 21h00 e as 22h00.
Lá esperamos a vossa presença. No dia 31 como nos outros dias, claro está, não só porque se vai conversar sobre outros autores de mérito reconhecidíssimo mas também porque as mesas são constituídas com pessoas de muito saber e experiência. 
Quem sabe não se poderão proporcionar bons motivos de  diálogo e de convívio!
-
Em tempo: mais sobre Acácio de Paiva, (aqui) e (aqui).

13 comentários:

Isabel Soares disse...

Lá estarei.

Anónimo disse...

Vai ser certamente muito interessante.Não poderei ir,provavelmente,mas,embora não seja novidade para ninguém,a «Criação do Mundo» vol.IV
descreve a prisão de Adolfo Rocha por "ideias subversivas" que parte de Leiria a caminho dos curros do calabouço em Lisboa.Fez a viagem entre dois agentes de autoridade na camioneta da carreira.Aí,mais uma vez conta com o amparo moral de leirienses que,discretamente o acompanham na viagem,fazendo mudança de turno em Caldas da Rainha,salvo erro.O que me impressionou particularmente foi saber que o Tomé era na vida real o gerente do Banco Raposo de Magalhães,o Sr. Gomes do meu tempo. D.Gena..."aberta,limpa,generosa,...com a graça dum sorriso à flor do rosto..."haveria de ser a D. Getinha autora de queijadas e outros bolinhos que os leirienses procuravam em sua casa.Ao dr.Olívio,3ª perna do tripé que envolvia Adolfo Rocha nunca consegui colocá-lo na pessoa real.Sabemos que eles lá iam à prisão levar-lhes conforto e mimos ao mesmo tempo que se esforçavam por encontrar alguém influente que resolvesse a situação.Mas é mesmo na prisão que se conhecem os amigos.Quando foi solto,Adolfo Rocha achou que, agora com a ajuda do Santos,ex-colega de Coimbra,amigo do peito,de ideias semelhantes, bem instalado, voltar a casa era só ter dinheiro para o bilhete.Mas, o amigo Santos (V.N.)
ia mesmo sair com a mulher para um chá na Embaixada da Venezuela!!!
Foi assim que o bom do Tomé,após telegrama foi resgatar o nosso herói.
Desculpe,mas envolvi-me na História que não é estória e ocupei tanto espaço.Kinkas

as-nunes disse...

Isabel
Entretanto ainda nos vamos encontrando por aí, só via éter, se calhar, vamos lá a ver, como vou estar bem acompanhado, vai correr tudo de feição, tenho a certeza.

Kinkas

Olhe que continuo a tentar puxar pelos meus neurónios (dispersos, ou seja, atentos e distraídos ao mesmo tempo) e não estou a relacionar o nome com a pessoa, ou já me deu pistas suficientes e eu, nada?

Quanto ao nosso Torga, acabei agora de receber uma brochura dum alfarrabista, muito gira: "Torga e eu - correspondência dele para mim" dum tal Barroso da Fonte, Ed. Cidade Berço - Guimarães 2007, 16 páginas.

Em 2007 participei nas comemorações do 1º centenário do seu Nascimento, iniciativa do Elos Clube de Leiria (agora inativo) e até tive direito a diploma e medalha, apreciei imenso esse envolvimento.

Gostei de ler o seu testemunho entusiástico das peripécias do Dr. Adolfo Rocha em Leiria. Aqueles pormenores acima narrados são deliciosos. Convenhamos que, apesar de tudo, parece que estou a ouvir a Emissora Nacional a falar da morte de Miguel Torga, quer dizer até nem foi assim há tanto tempo como isso?!...
Abraço

Anónimo disse...

Encontrei o seu blog,há já há uns tempitos "nos picos de roseira brava".Como acho os temas sempre interessantes ,para não falar nas fotografias esplendorosas,pu-lo nos favoritos e todos os dias o abro.Quanto a pistas sobre a Kinkas,posso só dizer que fui prof de francês e português na D.Dinis e que,após a reforma,recolhemos ,eu e meu marido aqui a uma aldeia -Andrinos-
onde nos regalámos com os ares.Agora que meu marido faleceu,
raramente saio de casa.Tenho uma amiga do peito que é viseense e mora em Leiria,mas ela não o conhece.Sou velha,feia,desiludida com o correr das coisas e entrego-me a mimar os gatos que ontem vi aumentados de 5 para sete pois que uma gatinha que só vinha comer pela noitinha trouxe-me,pendurados pelo cangote, 2 filhotes que,pelos vistos escondeu e amamentou até que tivessem dentes,..e agora estão ali num sofá a brincar um com o outro,muito felizes.E pronto.Sou a kinkas sem massa cinzenta para ter um blog.Kinkas

as-nunes disse...

Muito obrigado, Kinkas, simplesmente "Kinkas" não é?, obrigado pelas dicas, conheço razoavelmente Andrinos, passo pela estrada muitas vezes, cada vez menos, às vezes levo o meu neto Guilherme ao Futebol, aí no campo de Sta. Eufêmia, o rapaz é iniciado do União de Leiria.

É assim a vida, mas olhe que não é nada difícil iniciar-se nas lides do bloguismo. É uma forma muito animada e compensadora, acho eu, de nos mantermos ativos. Eu, como gosto de observar, fotografar e até de escrever (assim deste jeito simplório, mas é assim que eu gosto e quero), também sou radioamador há muitos anos, gosto de informática, cá me vou desenrrascando.

Então, uma muito boa noite, minha sra., também temos gatos e cães e galinhas, até um dia...
António

Rui Pascoal disse...

Obrigado pelas dicas, vamos a ver se não falho.

Graça Sampaio disse...

Ainda não tinha conhecimento deste evento. Obrigada pela informação. Lá irei "meter o nariz"...

Quanto à minha amiga e colega Kinkas, creia que não é nada "velha e feia"! É uma senhora encantadora, excelente professora de Português da "minha" D. Dinis (foi professora da minha filha mais velha que ainda a adora) com quem aprendi imenso. Sabe imenso, adora animais, gosta de cultivar coisinhas lá nos Andrinos e é uma pena que não saia por aí pela cidade. E é uma pena que não escreva sobre o que sabe. Tem um sentido de humor extraordinário.

Beijinhos

dilita disse...

Olá caro Senhor Nunes!

Continuo a ser visita diária.
O que escreve,o que fotografa e coloca, tudo, tudo, eu aprecio neste seu tão bonito blog.
E já agora também o meu agrado por alguns comentários, os de hoje por exemplo. Simpatia,atrai simpatia, e o responsável é o Sr Nunes...
Bem haja!

Alda M. Maia disse...

Só lamento que Leiria esteja tão longe do meu QTH, pois não faltaria a esse evento.

Um abraço e um afectuoso 88 à Zaida.
Alda

(Como vê, hoje usei os nossos termos radioamadorísticos)

as-nunes disse...

Tenho andado por aí, em bolandas, ou por causa da época do ano, a apresentar contas ao Fisco, ou sem tempo para dedicar a este meu grande amigalhaço, o "dispersamente", e aos queridos visitantes que por aqui me vão deixando uns olás muito simpáticos. De tal modo simpáticos que eu até começo a convencer-me, agora que estou para velho, que até sou uma simpatia de rapaz.
Bem, cá por mim, acho que não sou mau rapaz, muito pelo contrário, mas há sempre quem não tenha a mesma opinião. E até há casos de pessoas que nem nos conhecem pessoalmente, nunca tiveram uma conversa connosco, na vertical (olá Alda, cá estamos nós a usar a terminologia ham mas que serve para todos) mas instintivamente embirram com a nossa maneira de escrever, de nos apresentarmos, de tocarmos nalguns assuntos, etc.

O que importa, de facto, é que sejamos capazes de nos apresentar tal como somos, dizendo do nosso sentir os momentos e as ocorrências do dia a dia, partilhar informação que poderá ter interesse para quem nos lê, quantas vezes nos encontra no decorrer dos googlings que fazem na net. Já sabem que anda por aí um novo termo que vai entrar no léxico português?, se é que não o podemos considerar desde já; googlar, falta saber se devemos ir mais além e começar a escrever "guglar".

Está bem, está bem...qualquer dia estamos todos a falar e a escrever Inglês, mais macarrónico menos macarrónico, Deus nos livre e valha!

-
Já que estou em maré de teclar, aproveito para pôr na mesa a questão das várias redes sociais a propósito do Facebook e outros esquemas mais ou menos estrambólicos que por aí abundam.
Não acham que se está muito melhor aqui, nos blogues, do que na confusão/maluqueira dos facebooks e quejandos?

(...)
Bem, muito boa tarde, meninas e meninos, sras e srs., desculpem este meu arrazoado, mas só queria corresponder às presenças da Isabel Soares, Kinkas, dilita (muito embevecido pelas suas amáveis palavras), Graça Sampaio e Alda Maia (é também minha colega radioamadora, lá para o Norte Bracarense, apesar de ainda não termos cruzado antenas, há-de vir o dia, agora também tenho a estação toda de pantanas, com umas mudanças que tive de fazer cá em casa).

Apago?
Não apago?
Será dia aziago?

O que está escrito escrito fica.

Beijinhos e abraços

Rogério Pereira disse...

Fosse Leiria logo aqui.

Mesmo assim... vamos ver se dá...

as-nunes disse...

Ai! Então não é que, estava eu todo cheio de salamaleques para aqui salamaleques para acolá e até me estava a esquecer de referir o meu simpatiquíssimo amigo Rui Pascoal, que, com o seu incrível poder de síntese que lhe temos de reconhecer como um dom invejável, tem sempre umas palavras amigas, a propósito e com muita graça e ironia q.b.

Perdão, meu amigo,

as-nunes disse...

Pois apareça, Rogério, apareça.
Às páginas tantas ainda saíamos daqui com um tertúlia organizada de fazer inveja ao mundo dos bloguistas nacionais e internacionais!
...
Um abraço