2012/05/20

Dia após dia, sem me cansar...de a olhar




Dia de paz
Poesia em fragrâncias
Cores em delírio
Milagre da senhora
Que no monte
É um farol

Tanta terra
Tanto mar

Alto majestoso
Diogo Gil
No mar proceloso
Tormentas mil

Promessa cumprida
Em horas de aflição
N. Sra. naquela ermida
Pelo milagre em devoção


Sra. do monte
Saúdo-te por
Poder  admirar
Esse lugar

Serenamente…

Tanta  luz
No meu olhar
Dia a dia

Sempre!…
  
Maio de 2012
-
Quer conhecer a lenda da sra. do monte - Leiria? (v. aqui, por exemplo)

6 comentários:

Luís Coelho disse...

Tenho saudade de ir a esse lugar e ver passar tempo sem nada me estorvar essa magia.

A nossa região tem lugares assim, encantadores, que nos oferecem momentos assim de poesia e ternura

elvira carvalho disse...

Gostei do poema e fui conhecer a lenda da Senhora do Monte. Como já disse várias vezes não conheço Leiria onde que me lembro estive em 56 ou 57. Desde então e embora passe muitas vezes perto, nunca mais lá fui. Gosto das capelas no alto do Monte pela solidão, e pelo silêncio ao redor que nos dá a ilusão de estarmos mais perto de Deus. Já visitei, a Senhora do Castelo, a Sra da Graça, a Santa Luzia, e o S. Macário.
Um abraço e bom domingo

as-nunes disse...

Bom dia Luís
Bom dia elvira carvalho

Há dois ou três dias foi quando tirei esta foto. Hoje chove, o tempo está escuro, a temperatura amena, a Natureza agradecida continua a presentear-nos com flores e árvores e arbustos a recomeçarem a vestir-se com o hábito domingueiro, verdes, viçosas, toda a vida a recomeçar um novo ciclo.
A vista sobre a sra. do monte e serra da Maúnça, na linha da cordilheira d´Aire e Candeeiros e Montejunto, continua à minha frente. Estou ao computador e a vê-la, a teclar e a olhar para o vale e montes do Lis e d´Aire e Candeeiros.

Pena que toda esta maravilhosa paisagem, absolutamente indispensável à vida humana e dos outros seres, esteja a ser coberta, paulatina mas implacavelmente, por casario, estradas, linhas de alta tensão, torres eólicas, torres de telecomunicações...

Impunha-se reaprendermos a filosofar mais com a vida, com a Natureza, mesmo que para isso tivéssemos de perder menos tempo com os rituais de idolatração do dinheiro!

Devíamos gritar, cada vez mais alto,

Queremos viver!

Anónimo disse...

Senhora do Monte!Tantas e intensas recordações!Em tarde de nostalgia costumava visitá-la com meu marido e dali avistávamos,em dias claros o MAR para além das chaminés da Cimpor,ou pensávamos avistar...
Nunca mais voltei,apesar de ter uns dos meus mais Fieis Amigos ali bem perto.Kinkas, cheia de lágrimas e saudades.

São disse...

Gosto de lendas e acho essa paisajem muito bonita,,,a condizer com o poema.

Bom resto de fim de semana

redonda disse...

Não conhecia a lenda, por isso segui o link e já fiquei a conhecer :)