2012/05/09

Intervalo... campos do Lis

 

10 comentários:

Paulo Roberto Wovst Leite disse...

A internet é boa por isso, poderia passar a minha existência sem conhecer lugares como estes, assim porém, através de ti ainda que sem suas sensações, posso imaginá-lo, imaginar-me andando por aí.

abraços,
Paulo.

Isa GT disse...

... e que belos campos... só falta a net dar-nos a sentir a brisa... mas suponho que lá chegaremos ;)

Bjos

as-nunes disse...

Paulo amigo

Estas perspetivas fitográficas são do mais bonito que eu já vi em dias de minha vida. Há muitas e belas, mas estas têm um sabor muito particular e especial, estão aqui mesmo à minha beira, a 2 km do sítio onde vivo.

A época do ano também ajuda e muito.
Tem chovido qb e feito o calor suficiente de modo que a natureza está esplendorosa.

Um grande abraço
António

as-nunes disse...

Isa, boa tarde, estou mesmo num intervalo dum trabalho administrativo de empreitada, espero poder retomar a minha atividade de bloguista quase diário, ainda hoje ou amanhã.

A brisa é, na verdade, fundamental, sentir na pele e ver a paisagem, fazem um conjunto maravilhoso e sensual.

Nada a ver com os discursos que os políticos da Europa (e dos outros países) nos acinzentam a nossa mente.
:)

Bjos

BlueShell disse...

Lindas as fotos...mas pensei que já tinha acabado o "intervalo"!
BJ

Titania disse...

Antonio, delightful, nature in its abundance, freefall and plantings.
Best wishes T.

elvira carvalho disse...

Umas belas imagens para não adormecer-mos no intervalo. Gostei.
Um abraço

Graça Sampaio disse...

Belas fotos da "nossa" ruralidade! A parte que eu considera mais bonita à volta de Leiria é o caminho das Cortes. Rural mesmo!

Beijinhos leirienses.

as-nunes disse...

Hi Titania

Many thanks for your visit to this poor blog. I´m enchanted to meet you again.

No modesty! Your garden is fabulous!

My best wishes and regards

as-nunes disse...

Parece-me que se está a conseguir a unanimidade de opinião acerca da beleza artística do homem e da própria natureza. Aliás o que é que seria do homem se não fosse a mãe Natureza?

Já agora talvez tenham interesse em saber que os setores avermelhados/acastanhados são de plantações de cepas de videira, segundo julguei ter percebido pela vista no local.

Abraços