2012/07/20

Camões, Garrett, Pedro Nunes... etc etc etc

Um dia destes, em Lisboa...


As armas e os barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;


E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando
Cantando espalharei por toda a parte
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.


-- Luís de Camões,
Os Lusíadas (1572)
Canto I, 1--2
...
@as-nunes

2 comentários:

lis disse...

A foto é singular ,duas figuras totalmente estranhas uma a outra_ o do poema -uma das figuras mais importantes da literatura e o outro,um estranho vencido pelo cansaço perdeu-se "um dia destes em Lisboa".
Camões queria muito que a mensagem se espalhasse _os feitos dos portugueses( memórias gloriosas!)
mal sabia ele que a seus pés ia deitar um lisboeta qe certamente não veria "além da Taprobana..." rs
Muito bom nunes
abraço

as-nunes disse...

Na mouche, Lis

Estava mesmo nesse estado de espírito.
Fomos uns grandes mariolas mas demos novos mundos ao mundo, essa é que é a verdade.

E agora, que será deste povo, melhor desta provinciana Europa?!