2012/07/12

O meu jardim, esta noite...ou o Fantasma do Simplex






Num momento de alguma descompressão...
fui tirar algumas fotografias ao jardim, agora mesmo, noite cerrada.

Nas últimas semanas tem sido um desassossego cá por estas bandas. Por múltiplos e variados motivos.
Mas o que releva sobremaneira é o stress infernal que tenho vindo a suportar por causa dum fantasma louco que anda por aí, que até tem nome e tudo, é conhecido por IES, só os TOC é que são assombrados por ele e o entendem.
Há também uns tipos que trabalham para a ATA, que estão convencidos que são capazes de o enfrentar sozinhos, mas não estão a conseguir fazê-lo. Parece que já pediram ajuda ao bastonário da OTOC para que se forme uma comissão para se estudar este mistério soturno, que eles, este ano, só fizeram asneiras na tática a adotar para o levar de vencida, de modo que a coisa tem corrido para o torto. Diz-se, inclusive, que já ouviram este fantasma a manifestar-se com umas risadas cínicas e sinistras, altas horas da madrugada, quando os TOC estão de volta dos computadores, às dezenas de milhar, a queimar pestanas, que diz que é uma arma eficaz para derrotar este e outros fantasmas do género.

O problema é que o prazo para derrotar o malvado fantasma IES está a acabar, é já no próximo dia 15 e os TOC já não têm tempo para arranjar pestanas queimadas em quantidade suficiente para usar na mezinha que até tem que ir ao caldeirão, com temperaturas altas. 
E também estão a confrontar-se com outro problema. 
Como não têm tido tempo para descansar
(é só bicas, tabaco e falta de sono)
estão a ficar em estado de fraqueza geral, alguns até já em depressão, o que lhes está a tirar a força que é necessária para derrubar tão imponente fantasma.

Por isso mesmo é que, finalmente, o chefe dos da ATA já mandou dizer à Lusa, pelo bastonário, que talvez,  o dito fantasma da IES se distraia e nós o possamos apanhar até 31 de Julho. Também há os que dizem que só se o distrairmos até 30 de Setembro é que se poderá ter êxito nesta missão perigosa e difícil.

De modo que aqui estamos neste impasse...

Nota importante:
Lamentavelmente, este texto, mais vírgula menos vírgula, foi censurado, assim como todos os subsequentes comentários, dum Fórum duma instituição particular de interesse público, de que eu sou associado.


Legenda:
IES - Informação Empresarial Simplificada
ATA - Autoridade Fiscal e Aduaneira ( a sigla oficial é AT)
TOC - Técnico Oficial de Contas
OTOC - Ordem dos Técnicos Oficais de Contas
@as-nunes

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Perdi-me no teu jardim
Quanto ao resto, não há nada que não se resolva... embora eu não entenda o que possa ser uma distracção de fantasmas. :))

quem és, que fazes aqui? disse...

Realmente muitos fantasmas para tão pouco tempo.

Mas, quando se quer, ainda se arranja tempo para uma voltinha pelo jardim. Lindo e convidativo!

Beijo

Laura

lis disse...

Ainda bem que arranjastes tempo para ir ao jardim, colher flores e presentar-nos com elas.
Obrigada
Quanto aos fantasmas prefiro ignorá-los. kkk
abraços nunes

Luís Coelho disse...

Bom dia Nunes
Caso para dizer
"...a vida está difícil, heim..."

Tem calma e tudo se haverá de resolver. Todos os anos tens situações parecidas.
Muitos dos que alteram os programas só vêem as estatísticas e o lado deles.

Desejo-te boa sorte e Toneladas de Paciência...................

Bruno Nunes disse...

Essa nota final é realmente assustadora... Eu que sempre me tentei manter afastado de discussões públicas, cada vez mais sinto obrigação de começar a fazer barulho.

Isabel Soares disse...

Amigo, coma dessas belas ameixas brancas, que isso passa. :)

as-nunes disse...

Muito boa tarde, amigos e amigas

Debandei até Lisboa, para tentar desopilar um pouco, por vários motivos e mais alguns.

O pretexto do Festival "Optimus Alive 2012" em Algés foi excelente.

Mas estamos por aqui mais para ouvir Fado, rever Lisboa com olhos de ver.
O tempo está a ser excelente, temos caminhado como já há muito não o fazíamos com tanto gosto.

Cansados mas está a dar para desanuviar de certas "coisas". Aquela da censura que um determinado senhor me fez ao texto que apresentei acima está-me atravessada na garganta.

Voltámos à CENSURA? Parece que sim, por quilo que se tem vindo a observar em variadas situações, nos últimos tempos!...

Bem, mas a hora é de FADO!...

Até mais logo, ou até amanhã, com um abraço de muita estima e consideração,

António Nunes