2013/01/30

IRS 2013 ... Façam-se as contas !


coisas da net
-


CAPÍTULO III (Código do IRS 2013)
TAXAS (IRS 2013)

Artigo 68.º
Taxas gerais 
1 - As taxas do imposto são as constantes da tabela seguinte: (Redacção dada pela  Lei n.º 66-B/2012 - 31/12)
Rendimento Colectável
( em euros)
Taxas
(em percentagens)
Normal
(A)
Média
(B)
  Até 7 000
14,50
14,500
  De mais de 7 000 até  20 000
28,50
23,600
  De mais de 20 000 até 40 000    
37
30,300
  De mais de 40 000 até 80 000
45
37,650
  Superior a 80 000
48
---

2 - O quantitativo do rendimento coletável, quando superior a (euro) 7000, é dividido em duas partes: uma, igual ao limite do maior dos escalões que nele couber, à qual se aplica a taxa da col. (B) correspondente a esse escalão; outra, igual ao excedente, a que se aplica a taxa da col. (A) respeitante ao escalão imediatamente superior.
-
((Portanto, nada de espantar esta história recente do regime dos duodécimos para o subsídio de férias e o de natal ... (assim a malta quase que nem sente, no dia a dia (até ao Verão...), esta ferroada ...))
-
Ai não sabe se se deve deixar ficar quietinho e não dizer nada, ou se deve declarar ao patrão (não pode é ser o Estado, que esse já decidiu...) que não quer aderir a este sistema (temporário!!!!) do regime dos duodécimos?
Mas despache-se, só o pode fazer até à próxima 2ª feira, dia 4 de Fevereiro!
-
Continua confuso?! ... 
Não admira! ... mas será conveniente informar-se.
-
Já agora. Repare-se no tipo de recibo que um programa informático proporcionou, relativamente ao processamento de salários do corrente mês.
Ver aqui.



5 comentários:

as-nunes disse...

Deixei este comentário no blogue amigo http://picosderoseirabrava.blogspot.pt/2013/01/normal-0-21-false-false-false-pt-x-none.html

E o que é ainda mais lamentável é que o próprio PS,com as responsabilidades acrescidas por ser, aos nossos olhos, o mais forte obstáculo a esta execrável Ditadura Fiscal/Financeira que domina o nosso país, lá anda às voltas com tricas mediáticas enquanto o Gaspar e o Passos se multiplicam em viagens de Marketing e em declarações fantasiosas pintadas de laranja, dum laranja elétrico, ainda por cima!

E o povo a coçar a cabeça e a interrogar-se:

Mas então podemos contar com quem para nos defender dos abutres que aí circulam livremente ao sabor das correntes de ar provocadas por estes alaridos colaterais?? !!! ...
-

Que foi escrito assim, no impulso do que estou a sentir no momento, tendo em conta o atual Estado da Nação ...

Rosa dos Ventos disse...

Sou funcionária pública aposentada!
Não sei se ria se chore!

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...


Ninguém sabia até há pouco tempo onde se situava o inferno. Agora temos a resposta - em Portugal.

Beijo

Laura

Rogério Pereira disse...

Chamo a isto, Serviço Público
Podia chamar a isto, Serviço Cívico

as-nunes disse...

Cá por mim optaria, ainda que a contragosto, pelo regime dos duodécimos. Por dois motivos fundamentais:
1- Estando "à rasca" na gestão do meu orçamento familiar, sempre vou sendo compensado, mês a mês, da quebra brutal do rendimento líquido pelo aumento dos impostos (retenções de Irs e sobretaxas);
1- Se estiver mais à vontade, vou recebendo adiantadamente, o subsídio, e, desta forma, posso gerir esse valor como muito bem entender, inclusive fazer "aplicações financeiras" eheh.

Um abraço