2013/02/16

A fotografia como convite à dedução, especulação e fantasia.




Tirei estas fotografias 
nestes últimos dias.

Quantas explicações se podem tirar
se elas por si só nada podem explicar,
qualquer perspetiva que seja
Seja quem for que a veja?

Aqui as deixo, quais frações,
tanto do espaço como do tempo
a transmitirem-nos sensações
que não simples passatempo.

"As fotografias, que por si só nada podem explicar, são inesgotáveis convites à dedução, especulação e fantasia."

@as-nunes

7 comentários:

quem és, que fazes aqui? disse...


Estão todas muito boas!

Mas gostar, gostar - a primeira. Há uma ternura assegurada e reconfortante nos olhos desse amigo.

Beijo

Laura

Rogério Pereira disse...

Há cães que sabem como nos olhar
Há terras preparadas
e réstias de verde anúnciando o futuro...

Daqui a uns anos repita-as (as fotos)

Catarina disse...

fotos mto boas! gostei.

Graça Sampaio disse...

Bem, a primeira é uma ternurinha!

As outras têm a ver com os subúrbios desta "nossa" santa terrinha com toda a sua ruralidade (que de facto pouco ou nada me atrai - citadina eu SOU!...)

Mas todas de qualidade, como de costume.

Beijinhos. E festinhas para esse cãozinho ternurento.

Fadista disse...

Belíssimas fotos, como é costume.

lis disse...

Bom mesmo é botar o olho na mesma paisagem sua _ isso dá um ar de proximidade .
E as sensações se diferem o que valoriza ainda mais as imagens,
Gostei de todas especialmente da plantação ( parece café), e as casinhas solitárias.
boa semana e bons olhares nunes
com grande abraço

Rui Pascoal disse...

É a minha dedução
Boa vida tem esse cão.
:)