2013/02/24

Palavras lançadas ao vento que passa...

Tenho no meu blogue, um aplicativo da Motigo.com, que hoje, à hora a que estou a escrever esta nota, mostrava a seguinte estatística, relativamente aos visitantes que por aqui passam, desde 2007:

        Country of origin    
1.
]--> Portugal
169,985
76.3 %
2.
]--> Brazil
33,694
15.1 %
3.
]--> United States
4,907
2.2 %
4.
]--> France
2,234
1.0 %
5.
]--> Belgium
1,492
0.7 %
6.
]--> Canada
1,134
0.5 %
7.
]--> Spain
1,020
0.5 %
8.
 ]--> Switzerland
1,001
0.4 %
9.
]--> Germany
962
0.4 %
10.
]--> United Kingdom
594
0.3 %

The rest
5,757
2.6 %

Total
222,780
100.0 %


Comparando com outros blogues, como por exemplo, o Abrupto, sinto-me um grão de poeira, no Universo da blogosfera.
 
Cada vez são menos os visitantes que o motigo controla no seu rastreio permanente deste meu blogue.
 
É certo que também não sou dos mais assíduos viajantes por esse mundo fora. Pelo contrário. De modo que  a promoção que faço é muito pouca. E quero ressalvar que não se trata de promoção propriamente dita. Trata-se de visitas que faço a blogues da minha simpatia e/ou do meu interesse, seja pelo prazer que me dá visitá-los e trocar uns cumprimentos amistosos, seja porque, simultâneamente, também os vou assumindo como referências de informação política, económica, social e cultural.
 
(É justo referir o blogue da Alda, uma amiga que não conheço pessoalmente, mas que é duma persistência impressionante em escrever artigos de opinião com uma qualidade e profundidade de análise a toda a prova. Talvez por isso, são pouquíssimos os comentários que recebe. Talvez também porque, como já tivemos ocasião de "conversar", escreve pelo prazer da escrita e para se sentir em plena atividade intelectual, mantendo-se informada e partilhando a informação que vai resultando das suas análises em cima do acontecimento. Versando essencialmente temas político/sociais italianos e portugueses, já que é luso-italiana. 
Vale a pena ler e comentar os escritos da Alda.

... Atente-se neste simples excerto do seu último registo:

Nos seus países eram professores ou recém-licenciados, mas o desemprego de massa na Europa do Sul e nos Balcãs torna inútil qualquer qualificação. São contratados pela Amazon (na Alemanha) com e-mails vagos que prometem um bom salário e um contrato seguro.
....).
Não estou a lamentar-me. Estou simplesmente a expor o meu pensamento desta forma pública. A evolução das redes sociais está a processar-se duma forma verdadeiramente alucinante. E as pessoas estão a dispersar-se, umas, muitas outras a deixar-se ir na onda...da moda...
Sei lá...

E pronto. Hoje apeteceu-me, num ápice, deixar aqui esta singela reflexão...
Num dia tão bonito... ainda que frio... há por aí quem o diga e se queixe!
O frio próprio da época é que é! 
Obrigado, Mãe Natureza, por seres como és! Não te consigo perceber em todas as tuas reações, mas tenho fé que o que tu fizeres é o que tem de ser feito. 
Pelas forças do Cosmos!...

Vou dar uma volta a apanhar Sol!... 

Quando regressar, se calhar, já virei falar de outras coisas... já virei com outra disposição para continuar o vaguear disperso a partir deste sítio, já por si tão dispersivo...

Bom dia! Bom domingo!

10 comentários:

Rui Pascoal disse...

A oferta é tanta que uma pessoa acaba por se dispersar, no entanto há blogues que continuam a ser uma referência para mim e o "Dispersamente" é um deles.
Até já!

as-nunes disse...

Convencido eu que estava, que este comentário tinha sido publicado há mais de uma hora atrás. Quando aqui voltei, a internet cá do sítio estava meia zonza...

-
então era assim:

Olá Rui, um grande abraço. São duas e pouco da tarde, deve ter escrito este seu comentário há minutos atrás. Obrigado pela visita e pelo olá, mais logo voltamos a acenar-nos.

Digo o mesmo, do "tinta com pinta". Tem razão, são tantas as presenças, com qualidade e apelativas, que hoje temos na internet, que não é de estranhar que, quando damos por isso, estamos a lançar bits no éter, e ninguém repara neles!...

Vou ajudar a pôr a mesa!...
ui... um abraço.

OLima disse...

Também já tinha dado por isso. O contador quew instalei no Ondas 3 há 9 anos, o Bravenet, também tem registado quebras centuadas relativamente ao número de visitantes, contrariando os números muito superiores indicados pelo google analytics. Pelo contrário, no fb basta colocar uma foto qualquer que merece logo, no mínimo, 10 likes e, se for do paizinho, da titia, do minino ou do bébé ou do avozinho que já lá está há 20 anos, então teremos 40 ou mais likes, com alguns comentários de 1-2 linhas. É que ler textos com profundidade, com crítica, parece ter-se tornado uma maçada. E então quando são textos com mais de 100 palavras, um calvário. Que havemos de fazer?

as-nunes disse...

Caro amigo Olima

Bem. no seu caso, desculpe que lhe diga, também não terá grandes hipóteses que o encontrem por esta via, já que tem a visualização do seu perfil blogger, limitado.

De qualquer modo, obrigado por se ter dado ao trabalho de deixar aqui a sua opinião acerca deste assunto das visitas que os nossos blogues merecem ou não. No meu caso particular, digamos que não é propriamente esse o meu problema. O que me faz pensar é o momento que vivemos. O momento que o Homem vive, em função das novas tecnologias da informação digital. Este mundo está a ficar saturado, às vezes insuportável.

De modo que temos duas opções, sei lá, se calhar mais:
1) ou publicamos na internet com o intuito de chamar a atenção do mundo;
2) ou vamos para o "ar" somente porque sim, porque gostamos do que estamos a fazer e aguardamos que alguém repare em nós e se disponha a partilhar connosco informação, opiniões, etc.

Por mim, penso que consegui posicionar-me no meio termo.

Gosto do que publico e esforço-me o suficiente para que consiga encontrar quem goste de partilhar comigo dos mesmos gostos.

Bom domingo, caro amigo, volte sempre. Se puder deixe o seu endereço.

Clube dos Pensadores disse...

?????????????????

as-nunes disse...

Alguém do meu clube deixou-me a pensar!...

... logo, devo existir! ...

Alda M. Maia disse...

Boa tarde, António

Este fim-de-semana passei-o atenta ao que ia acontecendo na Itália e quase nada li do que se passava nos sítios que visito diariamente, como o seu blogue, por exemplo.
Hoje, começo a ficar inquieta com as projecções. Desliguei.
Desculpe, portanto, se não agradeci imediatamente o que escreveu sobre esta Alda que se diverte a escrever semanalmente. Muitíssimo grata pela sua opinião. E basta-me só esta sua apreciação para escrever com mais gosto. Gratíssima.

Relativamente aos visitantes do seu blogue, não concordo consigo. Para a superficialidade como a maioria das pessoas se interessa pela informação, entendo que “Dispersamente” recolhe um número apreciável de leitores, e são estes os leitores que interessam. Ademais, é também muito apreciável o número de amigos que criou. Conclusão ou nota estimativa: óptimo.

Vou de novo ouvir a RAI. Se o palhaço do Berlusconi ganha, então são os seus eleitores que valem pouco ou nada. É incrível toda aquela situação!

Um abraço e sempre um beijinho à Zaida
Alda

elvira carvalho disse...

Eu gosto muito do dispersamente e venho sempre muito embora às vezes não comente.
Todo o mês de Janeiro e parte deste andei pouco pelos blogues devido a um problema dos olhos. Mesmo assim não deixei de vir.
Um abraço e uma boa semana

as-nunes disse...

Boa tarde, Alda

Também fiquei deveras surpreendido com as primeitras projeções das eleições na Itália. Ouvi-as, hoje à tarde.

Como é possível? Os eleitores italianos devem andar mesmo confusos/baralhados!
Tirei uma foto dum grafiti, já antigo, numa parede aqui de Leiria:
Reza assim:
"LEVA A LUTA
ATÉ AO VOTO"

É assim que o povo quer lutar por condições dignas de vida e de governação?

as-nunes disse...

Viva Elvira, muito obrigado pelas suas palavras amáveis.

Espero bem que não me interpretem como aqueles artistas que vão para o palco puxar pelos aplausos! eheh

Escrevi o que escrevi à laia de desabafo e, quiçá, uma possível tentativa de reflexão.

Agora mesmo, ao fim da tarde, fui um bocadinho ao quintal. Ena, ena, que afinal o frio está aí de bater o dente!
Uma abraço e votos de rápidas melhoras.