2013/06/02

As peras já aí vêm...


Aqui no Centro Oeste de Portugal, as peras estão nesta fase da sua maturação.

Sim, escreve-se pera, sem acento, segundo o acordo ortográfico de 1990, em fase de transição...até 2015.
Mas já andamos muitos a usá-lo.

Também anda por aí uma grande celeuma levantada pelos filólogos ortodoxos! ...

@as-nunes

7 comentários:

Catarina disse...

As peras parecem quase, quase maduras. : )

quem és, que fazes aqui? disse...


Pois é António. A Língua Portuguesa é uma língua 'grave'. Ora o que é que isto quer dizer? Basicamente que todas as palavras não acentuadas graficamente são graves. Ao abolirem-se acentos, a palavra pêra tem de ser lida como péra.

Coisas da língua :))

Agora as suas 'péras' estão mais bonitas que as minhas! Mas, por aqui, o clima é outro :))

Beijo

Laura

as-nunes disse...

Bom dia, minhas senhoras

Para mim é um "tormento" tentar explicar porque é que me deixei levar na onda da posição oficial e já optei pelo grafismo do AO. É, porque tenho de reconhecer (todos os que usamos a língua de Camões com os seus antecedentes históricos que já vêm de tempos imemoriais) que estas mudanças operadas no sentido de se passar a escrever em consonância com a oralidade do quotidiano, atropela alguns daqueles princípios básilares que estão na origem das palavras escritas em Português.

E essa é a questão fulcral.

No entanto, eu que não sou filólogo de formação académica, pregunto-me insistentemente: porque é que não se movimentaram as forças capazes de impedir a aprovação deste Acordo na AR, ratificação do PR e não intervenção do Tribunal Constitucional? É que, se bem percebi, toda a tramitação legal/constitucional, decorreu em 1991, e não me lembro de se terem levantado com o devido valor e força as vozes que agora clamam com fragor!...

A verdade é que, à medida que o tempo se aproxima de 2015, a contestação ao Acordo, que já está em vigor, é mais audível e visível.

E eu, que já fiz a minha opção, fico a pensar: será que me está a escapar algo de tão imperioso e inamomível que acabei por fazer uma opção precipitada?

É que aqueles que eu apelido de "ortodoxos" têm mil um argumentos a favor da manutenção da atual ortografia e eu ponho-me a ler a história dos
últimos anos (escrita nas diferentes ortografias de cada época) e pergunto-me se não é curial ceder-se a certos princípios clássicos e adaptarmo-nos à realidade atual do mundo em que somos forçados a viver!...

rosa-branca disse...

Olá amigo, são deliciosas as pêras e eu ainda gosto mais delas bem madurinhas. Acordo ortográfico?...Acho que então vou escrever mal, até ao fim dos meus dias ou seja...como aprendi. A verdade é que não consigo escrever certas palavras, sem certas letras. Talvez teimosia minha ou carolice. Beijos com carinho

Graça Sampaio disse...

A pera do oeste, bem boa! Mas estas da foto não são pera rocha. Quanto aos filólogos ortodoxos ou não, andam nessas guerras porque não têm mais nada para fazer... (O corretor do blogger ainda assinala erro na palavra «pera» sem acento. Ainda não foi ao filólogo...)

Isabel Soares disse...

As peras estão verdes. Tal como o acordo do nosso descontentamento. Mas o nosso tempo é hoje e temos de noz render a esse facto.

Isabel Soares disse...

Não é "noz" mas nos lapsus scriptum. :)