2013/06/30

Hoje ao cair da tarde... sossego desassossegado!

                    jarro e alfazema                                                                         hibisco

Olhar a natureza
ver o sossego
sentir o mundo
em desassossego

@as-nunes

2013/06/25

2013/06/24

Vasco Graça Moura: programa da Antena Um em 26jun2013


clic em cima da fotografia de Vasco Graça Moura para ouvir um programa de uma hora da antena Um sobre a sua vida e obra, nesta altura dos 50 anos de atividade literária.
-
“Vidas que Contam”, um rádio documentário de natureza biográfica cujos protagonistas são homens e mulheres que se têm destacado na vida portuguesa nas últimas décadas. Programa de Ana Aranha. Às quartas, às 16 horas. Antena Um (98.7 Mhz- Leiria, Fátima).

Último post do blogue >>>

2013/06/23

Falar às aves

Uma singela legenda quero aqui deixar sob esta fotografia de hoje: andorinhas, acabadas de ser lançadas à vida, os progenitores por ali perto esvoaçavam, elas empoleiradas sem qualquer desconfiança no mundo...serenamente, ao longo do fio duma antena (G5RV, um simples dipolo, multi-banda) do sistema irradiante da minha estação de rádio-amador. Com esta antena consigo transmitir para todo o planeta em onda curta (dos 10 aos 80 metros, mesmo em 160 m de comprimento de onda).
Talvez que a paz do piar destas andorinhas se possa propagar por todo o planeta! 
Talvez que chegue ao coração dos homens que julgam que mandam nos outros!
Talvez que o poema abaixo possa ter um título mais suave do que aquele que o seu autor lhe deu:
"Para um epitáfio".

Eu esquecer-me ia do mote original e diria, antes e tão só (mas o poema não foi escrito por mim):

Ele amava as aves,

e com elas se perdia
em longos passeios cor de areia.
Esperava-as de passagem junto às árvores,
ao pé dos rios,
e depois,
como se fosse verdade,
alçava os braços

e voava.

mas eu não sou
Carlos Lopes Pires
Falar às aves
ed. 1993

@as-nunes

2013/06/22

Apresento-vos a D. Herzília Magalhães

Hoje à tardinha...no meu jardim...


Esta camélia 
já devia ter sido aqui apresentada, 
aí em meados de Fevereiro 
o mais tardar.

Este ano, porém,
o tempo tem bulhado demais 
com os seus pergaminhos...

Só hoje é que dei por ela
meio disfarçada 
por entre a folhagem
como que a procurar 
entender
o que se passa...

Ouvi um olá 
envergonhado
sussurrante
ondulante.

Eis a D. Herzília de Magalhães.

Não a podia deixar 
assim 
abandonada
desamparada.

Já a morrer
ainda agora acabada de nascer
fora de tempo...

É sempre bem vinda, D. Herzília! ...

@as-nunes

2013/06/21

Escrever um livro: uma aventura inolvidável e de contornos sempre imprevistos...

Escrever um livro monográfico, Biográfico e Antológico, tudo ao mesmo tempo, é cansativo.



Acácio de Paiva
muito mais que o lídimo poeta Leiriense que se tem divulgado...

E quando se trata de falar de um personagem que desenvolveu uma intensa atividade literária, poeta,  jornalística, dramaturgo, no decorrer de grande parte da primeira metade do século XX, a percorrer como Diretor de Jornal e redator de outros, é de nos sentirmos de regresso a tempos tão longínquos e tão atuais, que até arrepia...

E vai demorar a regressar aos tempos presentes...

@as-nunes

2013/06/20

O dia nasce radioso!...



O dia nasceu demasiado cedo, para mim, hoje... 6 horas da manhã, os sinos tocam nos campanários das igrejas do vale do Lis e da encosta da Sra. do monte.

Até já...
Bom dia...
Vou dormir...

2013/06/18

Que dizer?


Que fazer?
Mais precisamente é este o caso!

Será que cada um de nós não pode fazer um pouco mais por este país?
Será que só as elites é que ditam o rumo a seguir?


@as-nunes

2013/06/14

O Zé Povinho encravado


Em 1919... caricaturava-se o Estado da Nação ...

-

Fernando Pessoa escrevia, em tempos de Ditadura do Estado Novo de Salazar:

Sim, é o Estado Novo, e o povo
Ouviu, leu e assentiu.
Sim, isto é um Estado Novo
Pois é um estado de coisas
Que nunca antes se viu.
...

Hoje ouvi Passos Coelho na Assembleia da República.
Descarado, reforçou a ideia de que a Constituição não é para se cumprir.

Só falta proclamar uma Nova Constituição à revelia da Constituição em vigor!!! 

@as-nunes

2013/06/13

Sto. António era careca...



Olhem só o manjerico
Que aqui vos ofereço eu
Não tem cheiro, é só imagem
O original é meu.

O que vale é a intenção
Disso não vão duvidar
Para mim, dispersamente,
Sei que vos vai encantar.

Que o dia de Santo António
Seja dia folgazão
Que sobre alguma alegria
Pra S. Pedro e S. João. 

Zaida Paiva Nunes

notita:
Faço meus os versos da poeta precedente...

@as-nunes

2013/06/12


Como vai este país?! ...


Por alturas da implantação da República em Portugal...

E hoje?! ...
Que tal uma nova República?

2013/06/10

Abaixo os vendilhões da Pátria!...


 E Leiria, na senda do que vem acontecendo por esse país fora, a ser votada ao abandono, à sua desertificação e desvalorização da sua economia e património.
Lá virá o dia em que teremos de vender tudo ao desbarato, que para isso é que as medidas de austeridade extrema, é que estão a ser levadas a cabo.

Portugal (dos pequenos, dos que não estão no círculo do poder) está a saque...

Eleições Antecipadas, JÁ!...

Lembremo-nos, há que rever o que nos diz a história: não são as elites que dão os passos necessários para Portugal sair da crise para que, ciclicamente, é empurrado. Tem de ser o Povo a mostrar a sua força!



PORTUGAL a quem trabalha, luta e morre pela nossa Terra!
Abaixo os vendilhões da Pátria!...
@as-nunes

2013/06/06

Nenúfares no rio Lis


junto ao moinho do rouco
às cortes
hoje...

logo a seguir
rio abaixo
passaram 
por mim
dois patos
que às vezes
se veem a voar

e são lindos de olhar...
também...

@as-nunes

2013/06/03

Saudades de Mocambique ...

Shegundo Galarza - Saudades de Mocambique

Saudades, Moçambique!....


Em 1971, a Inês e a Zaida... na Ilha de Moçambique...
Este é um instantâneo dum filme em 8 mm, o operador de câmara, realizador, produtor, guionista, técnico de imagem e som (o som é que era o diabo, este ainda andava com o dito à solta...)...
ah, pois, esse génio do cinema e da fotografia era eu...

2013/06/02

As peras já aí vêm...


Aqui no Centro Oeste de Portugal, as peras estão nesta fase da sua maturação.

Sim, escreve-se pera, sem acento, segundo o acordo ortográfico de 1990, em fase de transição...até 2015.
Mas já andamos muitos a usá-lo.

Também anda por aí uma grande celeuma levantada pelos filólogos ortodoxos! ...

@as-nunes