2015/09/05

O nosso cão, o Tico, morreu. Tinha 16 anos. Adeus Tico.

 O TICO morreu
Adeus pequenito...
-
a noite já tinha caído
peguei no seu corpo inerte
embrulhei-o com emoção
num pequeno lençol branco
ajeitei-o pela última vez
na sua cama
Adeus, amigo ...
-
passei a noite com pesadelos
acordei cedo
junto à hortênsia grande
flores azuis como o céu
uma cova de 60 cm de fundo
Lajeada com pedras da serra
adeus, amigo ...

as-nunes
04-09-2015





O Tico e a Lala (à direita). em 2006. Eram irmãos, mas a Lala morreu muito nova, de repente, há já 6 anos.

O Tico, fragmento da foto anterior.

4 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia Nunes
Perder os nossos amigos dói. Recordá-los transporta-nos ao tempo da sua companhia o que nos alarga a distância e a ausência da sua companhia.
A vida continua.
As cores que nos sobram vão-se revestindo de sombras.
Deixa que a Primavera e as flores renasçam enquanto fazemos a nossa caminhada.

Desculpa a ausência. Estou retomando as visitas de amizade e de cultura.

as-nunes disse...


Boas, Luís

Custa bastante ver partir mais um membro da família.
Habituamo-nos a conviver com estes nossos companheiros de jornada e, na hora da verdade suprema, o corte abrupto é duro e dói.

Sim esperemos pela Primavera e logo veremos a vida a remoçar-se.

Um grande abraço

Graça Sampaio disse...

Já tinha visto no facebook, mas só agora aqui cheguei.
Não posso deixar de deixar aqui o meu abraço solidário face à vossa perda. Estes nossos amigos de quatro patas são como pessoas de família. Bem sei na tristeza em que fico de cada vez que um dos meus gatinhos parte.

Beijinhos

as-nunes disse...

Obrigado Graça.

A vida é isto mesmo.
Um tempo que medeia entre o não ser e o voltar a não ser...
a não ser uma ínfinitamente pequena parte do Cosmos

Beijinhos nossos