Mostrar mensagens com a etiqueta serras de Portugal. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta serras de Portugal. Mostrar todas as mensagens

2012/03/20

Jardim do Victor e da Teresa, em Orgens, Viseu

Depois do almoço de aniversário do pai Daniel, fomos até casa do meu irmão Victor.
À entrada deparei-me, do outro lado da rua, mato em bruto, a Natureza nua e crua, com as primeiras giestas brancas deste ano. Em fundo, o tojo em flor.

E estas magníficas magnólias

E este arbusto (tenho que consultar a minha enciclopédia, que agora não me lembro do nome)? 

Estas camélias são as clássicas cá da terra, mas estão muito bonitas, dignas de se repousar nelas o olhar e o pensamento!

Flores de Cerejeira.

 Ex aequo com uma composição anterior.
O entardecer, para poente, na direção das Serras do Caramulo e das de Arada, Gralheira, Montemuro (lá para os lados de S. Pedro do Sul e Paiva), estava farrusco, mas a mescla de cinza com branco em laivos de azul  transmitia muita fantasia poética, também nostalgia àquele belíssimo e eterno horizonte beirão.
@as-nunes    
Posted by Picasa

2010/02/13

13 de FEVEREIRO - UMA DATA MEMORÁVEL


a)


«O homem não nasceu para trabalhar,
nasceu para criar.»
.
«Se fosse possível explicar-te tudo
não precisarias de perceber nada.»
.
«Deus não se afirma nem se nega:
Deus É, mesmo quando não é, uma plena manifestação
da sua suprema liberdade.»





O dia tem estado lindo, luminoso, um Sol de Inverno frio, muito frio...

Mas este dia é, efectivamente, muito importante. Para começar porque foi num dia 13 de Fevereiro do já longínquo ano de 1906 que nasceu um grande pensador, filósofo como não podia deixar de ser. Mas, antes de mais, um grande pensador e um excepcional conversador, talvez o maior de todos os tempos.
Agostinho da Silva (13 de Fevereiro de 1906 a 3 de Abril de 1994).


Parece que o estou a ouvir, na RTP, a falar das coisas da vida, sob todos os ângulos, com uma simplicidade, fluidez de raciocínio e desmistificação dos grandes enredos científicos da filosofia, que até parecia que a vida era simples de se viver. E seria, e não fosse o Homem a complicar tudo. A seguir por vias sinuosas quando tem o caminho da simplicidade e do desprendimento do supérfluo mesmo à sua frente.


Enfim, somos complicados de mais e pensamos pouco, antes de actuar. De modo que passamos a nossa vida a tentar emendar as asneiras que fazemos no imediato do dia a dia.

Porque me ocorreu, muito simplesmente, aqui estou a registar esta entrada neste meu blogue, o meu caderno de notas, sobre este dia 13 de Fevereiro, por sinal o do ano de 2010.


Quais os factos que me mais me marcaram neste dia para, todo o  sempre?  E então não é, que, precisamente num dia 13 de Fevereiro mas do ano de 1947, também nasceu mais um ser humano, que já está a dar a sua 63ª volta ao Sol e que dá pelo nome de António, este que se escreve agora? E que nasceu numa aldeia perto de Viseu? 

Questão de somenos, dirão. Eu também sou tentado a dizê-lo, mas, bem vistas as coisas, somos todos muito importantes. Muito mesmo. Todos sem excepção.

In Wikipedia:
Nasceram neste dia...
Morreram neste dia...
Várias outras anotações aqui poderia deixar relativamente a este dia. Uma delas poderia ser, sendo eu católico, a referência a santos devotados neste dia:
Santo Martiniano, monge eremita, Atenas, Grécia, 422
Martiniano era um monge eremita, mas acabou se tornando um andarilho para que o pecado nunca o achasse "em endereço fixo". Martiniano era natural da Cesaréia, na Palestina, nasceu no século quatro.
Santa Catarina de Ricci, religiosa, +1590
Pertencia à nobre família Ricci, da cidade de Florença, no centro da Itália, onde nasceu em 1522.
Santo Gregório II, Papa de 715 a 731, Gregório nasceu no ano de 669. Pertencia a uma família cristã da nobreza romana, o pai era senador e a mãe uma nobre, que se dedicava à caridade. Ele teve uma educação esmerada junto à cúria de Roma. Muito culto, era respeitado pelo clero Ocidental e Oriental. Além da conduta reta, sabia unir sua fé inabalável com as aptidões inatas de administrador e diplomata. Tanto que, o papa Constantino I pediu que ele o acompanhasse à capital Constantinopla, para tentar resolver junto ao imperador do Oriente, Leão II, que se tornara iconoclasta, a grave questão das imagens. Escolhido para o pontificado em 19 de maio de 715, Gregório II governou a Igreja durante dezasseis anos.


Posted by Picasa


2009/09/03

Em defesa do Rio Bestança - Cinfães - Serra do Montemuro


http://bestanca.com/noticias/2009/indigno-corte-arvores/

Siga este endereço e veja a que ponto está a chegar a barbaridade do Homem contra a sua própria Natureza!

Onde estão a Quercus e outras Associações Ambientalistas?

Rio Bestança na zona da Serra de Montemuro

(fotos copiadas do site da
Associação para a Defesa do Vale de Bestança)


Temos que nos unir contra o abate indiscriminado de árvores e a toda e qualquer acção contra o equilíbrio dos vários ecossistemas espalhados pelo País fora.
Por muito pequenos que pareçam em primeira análise! Mesmo que sejam duas ou três árvores no interior duma cidade!


Unamo-nos num MOVIMENTO NACIONAL DE DEFESA DA NATUREZA!

O que é que os Partidos Políticos têm a dizer em relação a questões tão importantes como esta?
Parece que
NADA! É só guerrilha entre estratégias políticas de assalto ao PODER e mais nada!
Onde está o
PEV - Partido Ecologista os Verdes? Para que é que queremos deputados sentados nas cadeiras do PARLAMENTO que, nas prática, não têm qualquer visibilidade quando é preciso defender o AMBIENTE? No terreno, em LUTA aberta contra os interesses inconfessáveis que só pensam no LUCRO e esquecem o AMBIENTE!?

Fui alertado para esta questão pelo blogue sombraverde. Só é pena é que a maior parte dos blogues passe o tempo entretido com as questiúnculas da política partidária, ainda para cúmulo, fulanizada na maior parte dos casos e se esqueçam, pura e simplesmente dos problemas reais que as próximas gerações vão ter de enfrentar para sobreviver.

A
DEFESA DO AMBIENTE, tão simplesmente!

2008/08/23

para além do rio - Vale do Rio Paiva e Serras



..........................................................................(clic para ampliar)

Nas nossas deambulações de férias de alguns dias deste mês de Agosto, acabámos por chegar a este lugar de encanto e de poesia: Além Rio, Castro Daire.

A dois passos deste Penedo, permanentemente a olhar a solidão dos penhascos e penedias que têm por tapete o vale das bordas da Paiva que, serpenteante e musical segue, cristalina e límpida, em direcção ao Douro, deixando maravilhado o visitante, existe o Museu Maria da Fontinha.

Aqui se podem ver e assim extasiar a vista e o coração, o Monte de São Macário, as Serras da Gralheira, da Arada, da Freita, do Montejunto e os Vales da Paiva e do Sul.

Não admira pois, que o Fundador e Director deste Museu, Arménio de Vasconcelos, se nos mostre e à sua poesia, com todo o deslumbramento que uma paisagem desta dimensão (diria mesmo, quase do outro Mundo), no seu livro "para além do rio", editado em 2004.

No acervo deste museu, existem milhares de peças oriundas do Brasil, obras de autores portugueses e de duas centenas de outros países.

Na sua inauguração, em 1984, estiveram presentes os então Presidente da República Portuguesa e Ministro da Cultura, o Embaixador do Brasil, bem como centenas de Artistas Plásticos e Escritores.

A propósito escreveu a eterna "Sophia de Mello Breyner":

"Museu

Aqui - como convém aos mortais -

Tudo é divino

E a pintura embriaga mais

Que o próprio vinho."

...

- livro "para além do rio" - Arménio de Vasconcelos - Ed. 2004 - Fundação Maria da Fontinha

- Consultar os blogues de Arménio de Vasconcelos e da "Casa-Museu Maria da Fontinha"

(continua) - Tivémos o privilégio de fazer uma visita pessoalmente guiada pelo próprio Dr. Arménio de Vasconcelos, do qual obtive autorização expressa para publicar a reportagem que na altura tive ocasião de desenvolver.Posted by Picasa