2017/05/27

Reunião em Burinhosa Pataias descendentes Almeida e Santos e Nunes em 27 Maio 2017





Os primos descendentes de António Santos e Maria das Neves Nunes - Casal, anos 60 do séc. XX.
Reunião em 27 Maio 2017 no empreendimento de bungallows em Burinhosa - Pataias - Marinha Grande.
Vídeo reeditado em 11 Jul 2018.

2017/05/02

Ruy de Carvalho em Leiria a apoiar o livro "Felicidade 100Idade" e a APpeas


Em modo DISPERSO… (XXXVI)    (in Diário de Leiria de 1 maio 2017 - p. 8)

Ruy de Carvalho em Leiria a apoiar
o livro “Felicidade 100Idade”

Jorge Gameiro é licenciado em Gestão de Recursos Humanos pelo ISLA com Pós graduação pela Universidade Complutense de Madrid, entre outras qualificações e experiências. Integra, desde a sua fundação, o núcleo dinamizador da APpeas-Associação Portuguesa para a Promoção do Envelhecimento Ativo e Saudável,  com sede em Leiria. No intuito de melhor se dar a conhecer as suas finalidades, escreveu o livro “Felicidade 100Idade”, que foi recentemente lançado em Leiria (19ABR2017), no Teatro Miguel Franco, e que teve o apoio incondicional do Dr. Gentil Martins e do reconhecido e homenageado Homem da Cultura, o grande Ator Ruy de Carvalho, que escreveu o Prefácio.
(Jorge Gameiro, Ruy de Carvalho, Gonçalo Lopes, Zaida Paiva Nunes)

A Câmara Municipal de Leiria também se associou a este evento com a participação ativa de Gonçalo Lopes (Vereador da Cultura e Vice-Presidente) e das vereadoras Anabela Graça e Ana Valentim, responsáveis pelos pelouros do Ensino e do Desenvolvimento Social, respetivamente.
No seu cap. 4 – “Se o tempo envelhecer o seu corpo mas não envelhecer as suas emoções, você será sempre feliz.”- Augusto Cury, (1958- ) são apresentados vários depoimentos sobre o tema, nomeadamente o de Zaida Paiva Nunes (72 anos), pp 140-3, com o qual esta abriu a sessão do Teatro Miguel Franco, cheio, apesar de ser um dia de semana.
No ensejo desta crónica é de se destacar a necessidade premente de se promover a APpeas e de se congregar à sua volta todos os meios e vontades que lhe permitam prosseguir com a requerida eficácia, os seus objetivos.
De facto, dada a sua juventude em termos de existência formal e o desafio geracional do século XXI a que se propõe fazer frente (segundo as palavras do seu Presidente, Baptista Cabarrão), todos os contributos que se possam reunir nunca serão demais.
O intuito primordial deste livro e da Appeas é o de sensibilizar a opinião pública em geral e os idosos, instituições de Segurança e Solidariedade Social  e as autarquias locais, Câmaras e Juntas, em particular, para a necessidade premente de se dotar a sociedade de mecanismos que permitam contribuir para o Bem Estar Social e o Envelhecimento Ativo e Saudável dos Idosos. É inquestionável que o apoio ao envelhecimento ativo e saudável das populações tem de ser encarado como uma área fundamental na boa organização da Sociedade atual. 
“A Organização Mundial da Saúde (OMS) define envelhecimento ativo como sendo o processo de otimização de condições de saúde, participação e segurança, de modo a melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas.”
A verdade é que a promoção do envelhecimento ativo está a assumir-se como um dos grandes desafios do presente e do futuro. Foi nesta perspetiva que surgiu a ideia da constituição duma associação como a APpeas com uma visão perfeitamente definida do que deve ser e como promover o envelhecimento ativo e saudável, consubstanciada na própria letra dos seus Estatutos. Baptita Cabarrão e Rita Andrade (vice-Presidente da Appeas), no seu depoimento no livro de Jorge Gameiro escreveram: “A Appeas-Associação Portuguesa para a Promoção do Envelhecimento Ativo e Saudável, é uma instituição particular sem fins lucrativos e de âmbito nacional constituída em 2014, que não professa qualquer ideologia política ou religiosa e propõe-se defender a pessoa humana e os seus direitos individuais e sociais, qualquer que seja a sua condição, etnia, cultura ou nacionalidade.”  E prosseguem dizendo: “Deve desmistificar-se a visão triste, penosa e decadente da velhice, encarando-a como uma oportunidade de reconhecer os valores do ser humano de modo holístico.”.
Do Prefácio de Ruy de Carvalho, corroborado com as suas palavras de estímulo e apoio à ideia da Appeas, que proferiu no decorrer da sessão no Teatro Miguel Franco (ver/ouvir vídeo no youtube: https://youtu.be/XujjRWORrTs), deve dar-se a devida ênfase à forma com o termina: “Dia a dia, passo a passo, embora um pouco mais lentamente que antigamente, sigo o meu caminho, tentando mostrar à minha geração a importância de fazer tudo com amor, com dignidade, com a força que me advém de estar vivo, evitando rastejar, mentir a mim próprio, e sobretudo mostrando a firme convicção de que parar… é morrer! É morrer, inutilmente.”
Pela minha parte, tendo participado em todas as atividades ligadas a este evento formidável, que foi a apresentação dum trabalho que o próprio Ruy de Carvalho considera que deve ser um dos livros de mesinha de cabeceira de cada um de nós, jovem ou idoso, não posso dar por encerrada esta crónica sem antes agradecer todo o empenhamento e entusiasmo demonstrado por todos os intervenientes para que este evento pudesse ter o brilhantismo e repercussão mediática que teve, em prol da nobre causa da Appeas.

Vão seguir-se sessões nos mesmos moldes na maior parte dos concelhos do país, se possível em todos.

2017/04/23

Apresentação do Romance "Ai! Joaquinita . um crime à beira de água" de Pedro Moniz



Tive a suprema honra de ser convidado para apresentar o Romance de Pedro Moniz, "Ai! Joaquinita - Um crime à beira de água".

Ora:
Quem é Pedro Moniz?
Pedro Moniz de Almeida Pereira nasceu em Leiria a 3 de Outubro de 1971. Residente na Barreira, cursou o ensino secundário no Colégio Conciliar de Maria Imaculada, da Cruz da Areia (Leiria), até ao 9º ano. No Liceu Francisco Rodrigues Lobo, também em Leiria, concluiu o complementar, sendo galardoado com o prémio Morais Rosa, que distinguiu o aluno com notas mais altas no 10º e 11º anos, nas áreas de Ciências e Humanísticas.
É licenciado em Direito, pós-graduado em Estudos Europeus pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e advogado.
Exerceu as funções de jurista em estágios profissionais na Câmara Municipal de Leiria e na então IGT (Inspeção Geral do Trabalho) de Portalegre.
Fundou o Jornal da Barreira, organizou a antologia de Poesia e Prosa do General Oliveira Simões e tem sido colaborador da imprensa regional. Em 2011, publicou o livro D. António Antunes Bispo de Coimbra e em 2016 lançou a coletânea de poesia Pérolas de Vida
-
A realização do vídeo esteve a cargo de Maria Padrão, com presença no FB em https://www.facebook.com/maria.padrao.10 e a produção e montagem é de António Nunes.

Sinopse do romance:
O ano de 1928 começou, como sempre, com renovadas esperanças de prosperidade e felicidade. Joaquina Duarte aceitou fazer um favor aos tios da Quinta da Cerca, nas Cortes - Leiria, e deslocou-se a casa deles para auxiliar nas tarefas domésticas, já que a tia estava prestas a dar à luz.
As despreocupadas e inocentes dezasseis primaveras tinham sido vivenciadas com o espírito ledo. A vida era harmoniosa, o coração estava ocupado por um nobre sentimento de amor, que até era correspondido, crescia no seio de uma família que a amava e de uma paróquia que a acolhia maternalmente.
Em circunstâncias misteriosas, contudo, Joaquina Duarte aparece morta no rio Lis. O que terá acontecido? Quem ou o que terá provocado a sua morte? É o que Pedro Moniz procura desvendar, recriando a seu modo o clima tenso que rodeou este acontecimento insólito no meio pacato da região. (in contracapa do livro, ed. Textiverso).
---   
Vídeo em que Pedro Moniz fala do seu novo livro, o Romance "Ai! Joaquinita - CRIME À BEIRA DE ÁGUA"

2017/04/20

Ruy de Carvalho em Leiria na divulgação das linhas de rumo para a APpeas - Associação Portuguesa de promoção do Envelhecimento Ativo e Saudável,


Jorge Gameiro teve a ideia de se lançar na empresa de escrever um livro que poderia constituir-se como uma rampa de lançamento e Manual para o Envelhecimento como forma de colaborar na implementação da APpeas - Associação Portuguesa de Promoção do Envelhecimento Ativo e Saudável.
E conseguiu esse intento graças ao "esforço colaborativo de um alargado número de pessoas e organizações, que com a sua entrega, conhecimentos e saberes, contribuíram para o mesmo." Como o próprio autor reconhece no capítulo dos "Agradecimentos".
Uma colaboração que se tem de destacar pelo seu notório significado mediático e de atitude cultural é a do grande e altamente homenageado ator Ruy de Carvalho. O Prefácio deste livro, "Felicidade 100 Idade", que nesta sessão em Leiria se lançou ao conhecimento público, é de sua autoria. Ruy de Carvalho começa o seu Prefácio com uma frase que podemos classificar de lapidar: "A vida ao nos conceder naturalmente a liberdade, torna-nos obrigatoriamente dignos da felicidade.
Sem menosprezo por todas as outras colaborações permito-me destacar as do Dr. Gentil Martins e de Zaida Paiva Nunes, que se vê a integrar a mesa da sessão e em cujo decurso a apresentou oralmente.

Podemos conferir a pp 49-53 o que se diz sobre a APpeas. O título do ponto 2.3 A visão APpeas do envelhecimento ativo e saudável, cujo texto é da autoria de Batista Cabarrão, Presidente da APpeas e de Rita Andrade, Vice-Presidente da APpeas começa por identificar A APpeas e termina definindo as linhas mestras desta associação no seu contexto específico do envelhecimento ativo e saudável. Eis o que se diz acerca do que é a APpeas:
"A APpeas - Associação Portuguesa para a Promoção do Envelhecimento Ativo e Saudável, é uma instituição particular sem fins lucrativos e de âmbito nacional constituída em 2014, que não professa qualquer ideologia política ou religiosa e propõe-se defender a pessoa humana e os seus direitos individuais e sociais, qualquer que seja a sua condição, etnia, cultura ou nacionalidade."
Este livro está à venda por 10€ sendo que metade da receita daí resultante reverte a favor da APpeas.
É de destacar, nesta oportunidade, que o seu mentor da primeira hora é o engº Batista Cabarrão, um amigo de longa data, dos tempos em que trabalhámos juntos, no início dos anos 80, numa empresa de construção de máquinas para a indústria de calçado, a já extinta, Carvalho & Catarro, Lda. em Leiria. 
-
Consultar também http://dispersamente.blogspot.pt/2017/04/zaida-paiva-nunes-na-apresentacao-de.html

Zaida Paiva Nunes na apresentação de "Felicidade 100 Idade" - 19abr2017


Este vídeo tem cerca de 7 minutos, mas vale a pena ver/ouvir até ao fim. Particularmente se vive a sua Terceira Primavera da Vida ou se é técnico/a de serviço às IPSS com uma vertente ativa e dinâmica de Apoio à chamada "Terceira Idade" ou aos ditos "Séniores", como outros gostam de dizer.
A Zaida Paiva Nunes intervém dando a conhecer a sua posição relativamente a este candente e premente tema que se nos está a ser colocado com muita veemência na atualidade. 
O grande ator e ilustre homem da Cultura Ruy de Carvalho esteve presente e disse palavras bonitas e muito comovedoras e assertivas, como seria expectável, dada a sua notória simpatia e experiência de vida que tem demonstrado no decurso da sua já longa e dinâmica vida.
-
O ator Ruy de Carvalho marcou presença esta quarta-feira na apresentação do livro “Felicidade 100 Idade”, da autoria de Jorge Gameiro. Organizada pela Município de Leiria, em parceria com a APpeas – Associação Portuguesa de Promoção do Envelhecimento Ativo e Saudável a apresentação vai ao encontro das políticas sociais inclusivas, participativas e saudáveis que têm sido desenvolvidas no concelho. (in FB do Município de Leiria)
-
Algumas fotos:



Jorge Gameiro, Ruy de Carvalho, Gonçalo Lopes e Zaida Paiva Nunes (no uso da palavra). No Auditório do Teatro Miguel Franco, em Leiria.
-

Tínhamos acabado de almoçar no CEO - Jardim e seguíamos para o Auditório Miguel Franco para a sessão de apresentação do livro de Jorge Gameiro, "Felicidade 100 Limites".
Eu, Ana Valentina (vereadora da CML), Ruy de Carvalho (90 anos) e Anabela Graça (vereadora da Cultura da CM Leiria). Uma foto de álbum!...

--- (em edição)

-.....

2017/04/16

Trevo ou erva-azeda no meu jardim/quintal



Fotografia nesta data, no meu jardim/quintal.  Centro Oeste de Portugal.
Se formos à wikipédia:
Botânica
  • Oxalis pes-caprae — planta conhecida popularmente como trevo-amarelo ou azeda

------
Confirmado na minha Enciclopédia Botânica.

2017/04/03

Carlos Lopes Pires apresentou o seu último livro de poemas "a minha poesia é uma ignorância"

No sábado, 1 de abril de 2017, foi apresentado mais um livro de poemas de Carlos Lopes Pires.
O seu título "a minha poesia é uma ignorância", ed. Textiverso e a sessão decorreu no Auditório da Casa Museu João Soares, nas Cortes - Leiria.
Pode ler-se, no FB de Carlos Fernandes, o Editor:
«“a minha poesia é uma ignorância”, escreve Carlos Lopes Pires.
A Casa-Museu João Soares, nas Cortes (Leiria), vai acolher, no próximo dia 1 de Abril, às 16h00, o lançamento do livro “a minha poesia é uma ignorância”, de Carlos Lopes Pires, com produção da editora Textiverso, de Leiria.
A apresentação deste livro de poesia será feita por Luís Vieira da Mota (escritor) e Pedro Jordão (compositor e músico). Durante a sessão serão lidos alguns poemas, terminando com uma sessão de autógrafos.

Nota: No final da apresentação, terá lugar o primeiro e penúltimo Congresso Mundial de Aquilo Que Vocês Sabem (AQVS), que será precedido pela bênção dos presentes. Terá como únicos intervenientes os quatro Santos que compõem a Santa Cúria deste movimento, que irão falar sobre as origens, características, objectivos e acções passadas, presentes e futuras de AQVS. Irão igualmente dançar ao estilo AQVS, utilizando vestes que caracterizam estes Santos Monges.»
-
Dado o momento emocionalmente muito forte, a parte final ficou adiada, tendo havido, ao jantar, no Restaurante Canário, uma pequena sessão pré-congresso, da qual vai ser lavrada a respetiva ata. 
-
A poesia de Carlos Lopes Pires é, sem dúvida, apresentada segundo um estilo muito pessoal e revelador de um espírito humanista e muito sensível a tudo o que a vida nos pode mostrar ou sugerir em todas as suas dimensões.

Uma possível reportagem fotográfica:


 O Editor Carlos Fernandes, o Autor Carlos Lopes Pires, os apresentadores Pedro Jordão e Luís Vieira da Mota.
 Celeste Alves a dizer alguns poemas





---


Prezado Carlos Pires. É uma honra ser teu amigo.

2017/04/02

António Almeida Santos Nunes apresenta o livro de Pedro Moniz «Ai! JOAQUINITA - Crime à beira de água»


Cabe-me a subida honra de ser o apresentador da obra e da vida literária do meu jovem amigo Pedro Moniz conforme cartaz acima.
Para além de me caber falar de Pedro Moniz, a quem me ligam laços de amizade e convívio de há largos anos, terei também o prazer de ter a companhia do Grupo Musical AdesbaCapella e de outro grande amigo e recente fráter, Pedro Jordão(*)  do Movimento Independentista Literário d´AQVS, que, muito brevemente virá à liça pública para defender as suas linhas mestras de orientação.
Vou fazer o meu melhor para não deslustrar a obra que, tão entusiasticamente, Pedro Moniz vai apresentar ao público no dia 22 deste mês: «Ai, Joaquinita - Crime à beira de água», edição da Textiverso.
Obrigado Pedro Moniz pela confiança e amizade depositados.
(*)
Pedro Jordão é um músico de longa experiência e de créditos firmados. Lançou recentemente o seu livro "textos cínicos de amargura variável", Editora Textiverso, 2016.
Participou na edição dum duplo CD "era tão azul", Poemas de Carlos Pires e Música de Pedro Jordão, que foi lançado em 2017, no Auditório do Museu do Papel em Leiria. 

2017/03/28

António Nunes é homenageado pelo "Jornal Sem Fronteiras" e pela "ACLAL"



Seguindo este link tem-se acesso a vários artigos de reportagem acerca da estada da «Caravana Sem Fronteiras» a que já me referi em posts anteriores.
De entre esses artigos permito-me realçar os que reproduzo a seguir, com a permissão tácita do «Jornal Sem Fronteiras»:
"António Nunes ‘um Viseense tão Leiriense como os que o são’ recebe homenagens das mãos de Dyandreia Portugal, do Jornal Sem Fronteiras, e do Presidente da ACLAL – Academia Lusófona de Artes e Letras, Dr. Arménio Vasconcelos, ao lado de Gonçalo Lopes, Vereador da Câmera Municipal de Leiria.
A confraternização se fez no aconchegante Mimo – Museu da Imagem em Movimento.
António, economista (pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra) e contabilista (pelo Instituto Comercial do Porto), além de ser fotógrafo de primeira, está firme na webdesde os  sites no servidor leirianet.pt (1998), até a atualidade, no http://dispersamente.blogspot.com, além de participar de dezenas de blogs.
Homenagem merecida! Parabéns, António! " (26mar2017) 
Betty SilbersteinEscritora, revisora, tradutora. Conselheira da REBRA (Rede Brasileira de Escritoras), Diretora Cultural da OBME (Organização Brasileira das Mulheres Empresárias), Membro de várias Academias e do Conselho Fiscal da SUPERECO.
---


O troféu que me foi atribuído em cerimónia no MiMO em Leiria conforme notícia acima.
Espero deixar aqui, também, os diplomas que a ACLAL e o «Jornal Sem Fronteiras» me outorgaram.

2017/03/26

CASABLANCA - inauguração do polo pluridisciplinar do circuito cultural de Almofala

Na sequência dos eventos associados à Caravana Sem Fronteiras (Jornal Sem Fronteiras, ACLAL, Museu de Almofala) foi inaugurado no lugar de Almofala - Aguda - Figueiró dos Vinhos, no limite do concelho de Ansião, a escassos 2 km da saída do nó do IC 8 para Avelar/Aguda. Junto à estrada, no entroncamento para Almofala de Cima.
O evento teve lugar no dia 24 de março de 2017, tendo-se repartido pelas instalações «Casablanca» propriamente ditas e o Museu de Almofala, da Direção e propriedade de Arménio Vasconcelos.
Estiveram presentes os elementos da comitiva brasileira do Jornal Sem Fronteiras e vários membros da ACLAL.
Algumas fotos de reportagem:

 António Nunes, Fernando Paulo Baptista, António Nabais.



 Arménio Vasconcelos, Miguel Prates.
António Nunes, Arménio Vasconcelos, António Nabais


2017/03/25

ACLAL a integrar o projeto «ARTES e LETRAS LUSÓFONAS SEM FRONTEIRAS»

 As bandeiras do Jornal Sem Fronteiras, do Brasil, de Portugal e da ACLAL, na Mesa no Mosteiro da Batalha. 
Dr. Joaquim Ruivo (Diretor do Mosteiro da Batalha), Dra. Diandreya Portugal (Jornal Sem Fronteiras), Dr. Arménio Vasconcelos (Presidente da ACLAL)

No Auditório do Mosteiro da Batalha, na sexta feira passada, dia 23 de Março de 2017, numa sessão de apresentação do projeto Cultura Lusófona Sem Fronteiras no momento em que Diandreya Portugal mostrava dois livros da autoria de participantes neste projeto.

nota:
Está em edição uma longa reportagem sobre a vinda a Portugal duma extensa caravana de Brasileiros, a que se juntaram Portugueses da ACLAL e outros apoiantes do projeto, espalhados pelo resto do mundo.
-
contacto: 
(promete-se celeridade numa resposta):

2017/03/22

Leiria na rota do 4º Aniversário do «Jornal Sem Fronteiras - Brasil e Comunidade de Língua Portuguesa por todo o Mundo.


Obrigado, prezado amigo e Dr. Arménio dos Santos Vasconcelos, por se ter lembrado deste sempre admirador da sua imensa obra em prol da Cultura e da Lusofonia.

Arménio Dos Santos Vasconcelos Antonio Nunes e Esposa, Zaida, cada um por si, irão ser justamente galardoados, no dia 23, pelas 15 horas, no Castelo de Leiria, com o Vereador da Cultura, Dr Gonçalo Lopes, o escritor Vieira da Mota, a artista Clotilde Fava, o homem do Leiria sobre Rodas, Filipe Vasconcelos e outros. Venham ao Castelo assistir !

(p. 8 do Diário de Leiria de 20 de março de 2017)
-
Em modo DISPERSO… (XXXIII)
(António Nunes)

Leiria na rota do 4º Aniversário do «Jornal Sem Fronteiras»
ACLAL, Mosteiro da Batalha, Castelo de Leiria

O que é o “Jornal Sem Fronteiras”, estará o leitor a perguntar? Qual a sua ligação com esta Região que justifique uma crónica no Diário de Leiria?
Antes de mais convém frisar que o «Jornal Sem Fronteiras» é uma iniciativa da escritora e jornalista brasileira Dyandreia Portugal. Enquadra um projeto de Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras  de envergadura notável, na medida em que está a conseguir o seu objetivo fundamental, que é a promoção de iniciativas editoriais e de eventos com vista à divulgação da Arte e da Cultura em todos os Estados Brasileiros e em mais 27 países onde se fala a língua portuguesa, predominantemente ou não. Esta iniciativa é fortemente apoiada em Portugal pela ACLAL – Academia de Letras e Artes Lusófonas, cujo Presidente da Direção é o Dr. Arménio Vasconcelos, com ligações íntimas e de longa data a Leiria, como advogado, empresário, escritor e amante das Artes e das Letras em geral. O autor desta crónica ocupa, presentemente, o cargo de Presidente do seu Conselho Fiscal.
O «Jornal Sem Fronteiras» possui tiragem bimestral e a sua presença não tem fronteiras estabelecendo-se por todo o mundo através dos seus colunistas, Galerias de Arte, Museus, Bibliotecas, Associações, Academias, Feiras Literárias, Exposições de Artes, Lançamentos Literários e outros Eventos Culturais.
O seu principal representante em Portugal, a ACLAL, tem sede em Além do Rio - Gafanhão – Castro Daire e foi constituída em 17 de Julho de 2009.  Ficaram registados para a posteridade como sócios fundadores, entre outros, os leirienses (por naturalidade ou por adoção), Arménio Vasconcelos, Adélio Amaro, António Nunes, Soares Duarte (já falecido mas para sempre lembrado), Vieira da Mota, Filipe Vasconcelos…
O «Jornal Sem Fronteiras» comemora este ano o seu 4º Aniversário, em Portugal, com um programa recheado de iniciativas culturais especialmente dirigido à sua numerosa comitiva que vem diretamente do Brasil e que se junta aos elementos que vêm de outros pontos do globo. Esta impressionante jornada Comemorativa e de cultura em Portugal terá, também,  a participação da APP – Associação Portuguesa de Poetas, Universidades de Lisboa e Coimbra, Instituto de Camões, Museus Maria da Fontinha e de Almofala, Mosteiro da Batalha, Castelo de Leiria – Câmara Municipal de Leiria, ABD – Associação Brasileira Desenhos e Artes Visuais, Cia Arte Cultura, ALAIS – Académie de Lettres et Arts Luso Suisse.
O ponto de encontro e início das comemorações é Lisboa. A esta comitiva inicial juntar-se-ão muitos portugueses,  particularmente ligados à ACLAL,  ao longo do percurso das várias atividades que ocorrerão entre Lisboa, Sintra, Cascais, Óbidos, Batalha, Leiria, Almofala, Coimbra, Viseu, Além do Rio, Porto, Braga.
As ações previstas decorrem de 16 a 31 deste mês, começando no Hotel Pestana (Palácio Valle Flor) com uma Festa de Gala de Aniversário e Cerimónia de Homenagens. No dia 17, no Museu da Farmácia, ainda em Lisboa, ocorre um Encontro de Escritores Lusófonos, com palestras, performances e apresentações musicais. Nesta oportunidade o Dr. Arménio Vasconcelos apresenta uma comunicação sobre farmácias, focando-se naquela que foi a mais antiga farmácia de Leiria e que permanece, com a sua vistosa fachada de azulejos azuis, como um dos principais ícones da cidade. A sua ligação íntima ao enredo de “O Crime do Padre Amaro”, ao grande Eça de Queiroz e ao lídimo poeta leiriense Acácio de Paiva, não podia ficar esquecida, evidentemente. Trata-se, como está bem de ver, da «Pharmácia de Leonardo da Guarda e Paiva», no Largo da Sé, na qual nasceram várias gerações de Paivas, de Telles e Paiva e de Paiva Nunes.
No dia 23 do corrente mês a caravana tem programadas duas sessões culturais e de entrega de Diplomas, de manhã no Mosteiro da Batalha e da parte da tarde, pelas 15 horas, no Castelo de Leiria. No decorrer desta sessão serão galardoados com Diploma de Reconhecimento ao Mérito, os seguintes ´leirienses`: António Nunes (escritor), Clotilde Fava (artista), Filipe Vasconcelos (Leiria-sobre-Rodas), Gonçalo Lopes (Vereador da CM Leiria), Vieira da Mota (escritor) e Zaida Paiva Nunes (escritora/poeta).
No dia 24, os académicos brasileiros e da ACLAL vão apadrinhar a inauguração e apresentação do Espaço Casablanca, em Almofala (distrito de Leiria), que se destinará à divulgação de produtos agro-silvo-pecuários daquela região e de todos os possíveis aspetos da cultura, v.g. poesia, livros de autores regionais, escritos de académicos da ACLAL, com tertúlias, reuniões e concertos. Um dos palestrantes neste evento será Prates Miguel, advogado, com crónica às segundas feiras no Diário de Leiria e Presidente da Mesa da AG da ACLAL.
-
António AS Nunes

 (nunes.geral@gmail.com)

2017/03/20

Família Nunes - Casal de Ribafeita - Viseu. Uma árvore cujos ramos se estão a entrelaçar fortemente com os ramos de outras árvores


No passado domingo, 19 de Março de 2017, que, por acaso também era o Dia do Pai, reuniu-se quase toda a família que teve como origem comum, o casal Daniel Nunes e Maria da Encarnação. A origem desta grande família está no lugar de Casal, freguesia de Ribafeita, concelho de Viseu. Estamos espalhados por Viseu, Coimbra, Covilhã, Leiria, Porto, e, até, Inglaterra. 
Um dia destes, espero ser capaz de começar a escrever uma monografia desta família e da sua ligação mais chegada aos Quintais, Maias, Victorinos. Já estamos espalhados pelo Brasil, Austrália, Inglaterra.
O ponto de encontro foi na «Taberna Bate-Mal», em Abravezes - Viseu, da gerência do Filipe Nunes (sobrinho) e fomos recebidos com uma qualidade de serviço e de cozinha fora de série.
Fiquei fã. 




2017/03/14

XIº ANIVERSÁRIO do blogue "DISPERSAMENTE". Já estamos em 2017. Cheguei a Leiria em 1966.

XIº Aniversário deste blogue

Agora que estamos a chegar ao 16 de Março de 2017.
Obrigado amigos de todo o mundo, que muito me têm honrado com a vossa visita/consulta, mesmo sem comentários, ao longo destes 11 anos de vida, do blogue e da minha própria.
Com isto tudo já cheguei aos 70 anos de idade.
Muito obrigado, queridos/as amigos/as.
Enquanto me sentir em forma física e mental podem contar comigo.
Um grande ABRAÇO. Do tamanho do Planeta e arredores até onde os sinais digitais da internet possam chegar no Cosmos!


Acabei de publicar um verbete no meu outro blogue "Dentro de ti ó Leiria", no qual me vou inspirar para esta publicação, agora que estamos a chegar ao dia 16 de março de 2017. A partir desta data estaremos no 11º ano de atividade incessante.
Assim:

Caros amigos navegantes da internet. Leirienses em particular. De todo o mundo em geral. Particularmente do Brasil onde reside uma comunidade imensa de familiares meus.
Escusado será dizer que, tendo eu chegado a Leiria em 1966, já decorreram quase 51 anos, se tivermos em conta que desembarquei nesta cidade em outubro desse longínquo ano.
Sempre me interessei por conhecer Leiria, a terra, as suas gentes, a sua beleza monumental e paisagística.
Hoje mesmo escrevi um comentário num ´post` do ´Facebook` em que faço referência a este meu blogue, como uma das referências mais antigas à presença de Leiria na internet. Claro, quem aqui chegar depara-se com um blogue praticamente inativo há já uns anos. Daí a razão deste registo que aqui vos deixo agora. 
Neste blogue concentrei as minhas energias com escritos, reportagens fotográficas de tudo e mais alguma coisa. Com Leiria sempre à flor da pele, como se pode notar nas várias entradas que cá tenho publicadas desde 2006. 
Também aderi ao ´Facebook`em https://www.facebook.com/orelhavoadora.
Hoje em dia as iniciativas de divulgação de Leiria já são muitas, variadas e de alta qualidade, na sua conceção, juventude e técnica.
Enumerando algumas, as que me ocorrem no momento em que estou a escrever este artigo:
Estes são alguns links que me ocorreram na altura em que estava a escrever o tal comentário. Mas os sítios na internet em que se fala de Leiria já são inúmeros, podemos dizer mesmo inumeráveis até.
De qualquer modo estas indicações poderão servir de pista para outras consultas.
-
A título de curiosidade repare-se no rastreio das consultas ao meu blog "Dispersamente" nesta data. A mim espanta-me! Mas será de espantar?! 



MUITO OBRIGADO PELA VISITA.

Sparkline 450,892

Repare-se na lista de links abaixo com alguns registos que tenho publicado sobre Leiria neste  meu blogue:


Não querendo abusar da paciência de quem aqui chegou, repare-se também nas referências que, ao longo dos últimos 11 anos, tenho registadas  naquele blogue (DISPERSAMENTE) com a palavra LEIRIA












Isto sou eu que me apeteceu fazer um balanço rápido do que tem sido a minha atividade nas redes sociais, desde os "sites" no servidor leirianet.pt (1998) até à atualidade. Se considerarmos o período desde 1998 teremos já 2017-1998=19 anos. ?!!! 
São muitos anos!!!!!  
Ou seja, estou velho!  
Valha-nos que as gerações se estão a renovar, esperemos que também a regenerar para melhor!  
-

2017/03/07

Killing me softly - Roberta Flack - sequência fotográfica com flores do jardim cá de casa.


Miguel Esteves Cardoso apresenta na Antena Um, todos os dias úteis, pelas 17h50, o programa de mais ou menos 5 minutos, chamado "SOS Vinil". Hoje apresentou Roberta Flack, que em fevereiro fez 80 anos.

É pena não ouvirmos esta voz maravilhosa com mais frequência na rádio! Lembrei-me de aproveitar este ensejo para acompanhar a sua voz na revisita das flores do jardim cá de casa nesta altura do ano...

Também publiquei no meu FB.

A Alice Nunes nos seus 3 anitos



---
Aqui fica para memória futura.
Pode ser que venhas a achar piada, Alice, daqui a muitos anos.
Este é um fragmento de um vídeo realizado pela Inês Nunes
no decorrer duma reunião familiar, nos Lourais, por alturas do Carnaval de 2017.
O vídeo original tem 15 minutos, sempre em ação...
As filmagens foram interrompidas para descanso da equipa técnica, que a artista estava para continuar...
Temos atriz!...