2008/05/13

Tempos da Velha Universidade de Coimbra

(para ver melhor vale a pena clicar)
O meu amigo e grande bloguista, Tozé Franco, escreveu recentemente, um post sobre a história romanesca da Queima das Fitas em Coimbra. E lembrei-me que há um ano mais ou menos lhe falei do choupal de Coimbra, tão badalado em muitos dos fados e baladas desta cidade. Tirei o meu curso no Instituto Comercial do Porto, tendo-o acabado em 1966 (caramba, já lá vão tantos anos!...). Mas a minha experiência de passar pela Universidade de Coimbra, Faculdade de Economia, com uma frequência num anfiteatro mesmo junto à velha cabra, a entrada pela porta de ferro, as minhas idas de Leiria à Faculdade, andava eu com ideias de completar as cadeiras que me faltavam, depois das equivalências do iCP, as Sebentas lidas e gravadas em cassettes, ouvidas vezes sem conta, enquanto andava de carro dum lado para o outro nas minhas lides profissionais, jamais se apagarão das minhas mais ternas recordações. Eu a chegar à sala de aulas e os alunos, muito mais novos que eu, alguns mais distraídos, a pensarem, querem ver que nos mudaram de professor?
Bons tempos! Muito trabalho e muito estudo, mas valeu a experiência de viver a Velha Universidade de Coimbra, como estudante. Tive que desistir da campanha em que me meti. Fiquei com cadeiras do 4º e do 3º anos.
E o que ficou de Coimbra foi também esse vento, de saudade, das velhas sebentas, da velha e rezingona cabra. Já lá dizia Manuel Alegre no seu poema!...
Posted by Picasa

4 comentários:

Abelha Nota disse...

Quem te dera voltar a ser assim, não? Esse bigode, ... faz favor. Rico bigode...

as-nunes disse...

Mudei-lhe a cor. Agora fica melhor e está na moda, cinzento clarinho.

Tozé Franco disse...

Olá António.
Grande passagem por Coimbra. É bom recordar esses tempos.
Também eu, este ano, já faço 25 anos de curso. Parece-me que vai haver festa e tudo.
Um abraço.

Jofre Alves disse...

A saudade em recordar tempos que presumo intensos e felizes, pois Coimbra é sempre uma lição.