2021/04/30

Tema importado do FB: várias questões relacionadas com urbanismo no Centro Histórico de Leiria ; à conversa com António Soares, experiente empreendedor : https://www.facebook.com/groups/leiria21/permalink/362220228561500/

 


Leiria

Grupo Público
 
20,3 mil membros
Convidar
Convidar

António DAlmeida Nunes
 partilhou uma foto

19 h 
Memórias de Leiria, umas mais recentes que outras.
Nenhuma descrição de foto disponível.
30 de abril de 2017 
Conteúdo partilhado com: Público
Público
Rua Direita - Leiria
Fátima Cordeiro Oliveira, Fernando José Rodrigues e 143 outras pessoas
42 comentários
7 partilhas
Gosto
Comentar
Partilhar

42 comentários

  • A tal que Direita só o seu nome a foto está linda.
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 15 h
  • LEIRIA Linda e amorosa
    Bigli Migli Love, man holding heart sticker
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 11 h
  • Mto bonita, bom dia 👌
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • Apesar de nunca ser direita ,mas esse Nome sim.....Agora JÁ lhe deram outro....😂
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • A Rua mais direita de Leiria vivi nessa Rua cerca de 20 anos tao bons...
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
    3 respostas
  • Pausar GIF
    GIPHY
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • Autor
    ... ou Rua Barão de Viamonte... mas quem se lembra ?! Para nós, os frequentadores e passantes, será sempre a rua direita. 🙂
    3
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
    2 respostas
  • Actualmente, nas fotos de Leiria, não se vê vivalma.
    Vejam o vídeo da RTP com entrevistas já por aqui publicado e comparem a vida que a cidade tinha e tem Actualmente.
    2
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • Sempre bonita.
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • Há sempre umas mais recentes que outras.
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • Lindíssima❤
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 10 h
  • Quantas vezes percorri esta rua. Saudades desse tempo da minha juventude
    1
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 9 h
  • Vivi nessa rua.ate aos 15anos. no lar academico Alguem se lembra ? Ja la vao 38anos..
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 9 h
  • Autor
    Eu lembro. Muito bem.
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 9 h
  • Trabalhei aqui vários anos. Início dos anos 70.
    Tempo em que estas ruas regorgitavam de vida.
    2
    • Gosto
    • Responder
    • Partilhar
    • 8 h
    Ocultar 16 respostas
    • Autor
      Não vejo forma de esse modo de viver o centro histórico como nesse tempo, voltar. Mas é pena.
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 8 h
      • Editado
    • António DAlmeida Nunes
       sim. A política foi conduzida em sentido contrário. Tudo foi arrastado para a periferia.
      Hoje o centro está deserto.
      Pena.
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 8 h
    • Autor
      Pode ser que com as obras feitas no Castelo de Leiria as coisas melhorem em termos de dar mais vigor à presença humana na Zona Histórica. As zonas históricas das cidades merecem que voltem à vida do dia a dia. E os humanos acabam por apreciar.
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 8 h
    • Uma cidade só o é com pessoas. E não apenas durante a noite com os bares. A maior parte das pessoas apenas vêm à cidade à noite e ao fim de semana, e apenas os comerciantes se apercebem dessa realidade.
      Os centros comerciais, e outros equipamentos e se… 
      Ver mais
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 8 h
    • António DAlmeida Nunes
       talvez. Mas embora os elevadores para o castelo sejam uma boa iniciativa, temo que os turistas parem o autocarro junto do estádio, subam pelo elevador ao castelo, desçam e voltem ao autocarro. Nem visitam a cidade, apenas o caste… 
      Ver mais
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 8 h
    • Autor
      Marcia Antunes
       olhe que lhe dou toda a razão. Corremos esse risco e com muitas probabilidades. Talvez que aproveitando outros edifícios na zona do Largo da Sé (por exemplo, que os há em quantidade e qualidade) para os transformar em hotéis acessíveis m… 
      Ver mais
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 7 h
      • Editado
    • Marcia Antunes
       , os elevadores podem ter outra utilização que me parece benéfica para o centro histórico que é o simples facto de poder deixar o carro no estádio e assim aproxima esse parque do centro...resta saber com que custo isso vai ser feito...
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 7 h
    • António DAlmeida Nunes
       exactamente. O numero de camas de hotelaria na cidade deveria aumentar por forma a captar os turistas.
      Antigamente tínhamos, para além dos actuais, o hotel lis e o d. João III. Fecharam. Parece que o lis irá voltar a ser hotel … 
      Ver mais
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 7 h
    • Autor
      O espaço onde está a Rodoviária teria condições excepcionais para essas lojas âncora que refere. No entanto, haverá que ponderar o acesso por transporte público ao centro da cidade.
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 7 h
    • Marcia Antunes
       a estação de paragem das viaturas de turismo para largada de passageiros é junto ao estádio... A estação de recolha será junto do jardim Luís de Camões
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 7 h
    • António DAlmeida Nunes
       exactamente. Deveria ser toda uma política integrada na forma de pensar a cidade. Existe muito o conceito de "tirar" os automóveis da cidade, mas muitos que dos que propõem essa questão, nem sequer pensaram nos desequilíbrios que… 
      Ver mais
      1
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 6 h
    • Paulo Pereira
       se isso for sempre assim. Mas o que está bonito no papel pode depois não ser o que irá funcionar na prática. A probabilidade de descerem pelo mesmo sítio para voltar para o autocarro será enorme, até pelo tempo disponível que uma excursão… 
      Ver mais
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 6 h
    • Filipe Oliveira
       duvido que existam pessoas que os utilizem, para, por exemplo, ir para a sé ou praça. Mais vale seguir a direito pela Mouzinho de Albuquerque. E claro, qual o custo e horários de funcionamento?
      Acho que servirão apenas para ir ao caste… 
      Ver mais
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 6 h
      • Editado
    • Marcia Antunes
       o bilhete conjunto (elevador subida pela 25 abril+descida pela Sé +castelo+mimo+museu de Leiria+museu do papel+dona Julinha) vai de certa forma dinamizar a cidade, sendo que a maioria que utiliza os transportes coletivos pelos operadores… 
      Ver mais
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 2 h
    • António DAlmeida Nunes
       todo esse programa foi feito. Incluindo o projeto para a Rodoviária com quem foi negociado. A rodoviária passaria para o espaço que está entre o mercado municipal e o rio e o então Hotel D João III. Também foi feito projeto para esse terminal para ficar próximo do centro.
      Só que no tempo da Isabel Damasceno tudo foi travado. Quando o Castro chegou os projetos andaram mas chegou a bancarrota.
      Os sócios do projeto eram eu próprio, o grupo Regojo e o Amâncio Hortega, o dono da Zara. Uma bancarrota tem consequências brutais. Os grupos estrangeiros como era o caso do fundo da Inditex ou Zara, blindam automaticamente os investimentos e tudo foi por água abaixo.
      A verdade é que a gestão da Isabel Damasceno foi ruinosa para o centro da cidade. E a bancarrota do Sócrates afundou o resto com os bancos a caírem uns ao lado dos outros e os que não caíram tiveram que ser suportados com toneladas de dinheiro dos contribuintes.
      Mas todo esse projeto existiu e foi entregue na Câmara incluindo, como disse, a deslocalização da rodoviária.
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 1 h
    • Autor
      Ora aqui está um tema interessantíssimo. Esperemos que nos bastidores não se andem a negociar outras coisas do género (para pior) e que venham a ser ruinosas para o erário do município, em particular, e/ou para o do OE em geral. Parece, a esta distância, que poderia ter sido uma boa solução. ... Se não se importam vou partilhar este nosso colóquio no meu blog. Abços
      • Gosto
      • Responder
      • Partilhar
      • 1 min