2009/01/16

Desassossego nocturno no Centro Histórico de Leiria

Como já tive várias oportunidades de referir, o Largo da Sé é, para mim e a minha família, uma casa muito íntima, de família mesmo, tenho que o dizer. A casa com a fachada de azulejos azuis, a celebre "Pharmácia", aliás a primeira farmácia montada na cidade, pertence à família Paiva, desde meados do séc. XIX. Neste momento, por via dum contrato feito há já uns bons anos, foi instalado no r/c um Bar, Snack-Bar inicialmente. Hoje funciona nesse mesmo local, um Bar, na acepção de local mal insonorizado contra o barulho da música ao vivo e de ambiente a que acrescem os ajuntamentos exteriores com conversas até altas horas da madrugada. No primeiro andar funciona um escritório, em regra durante o dia. De qualquer modo, ao serão, é praticamente impossível trabalhar, não só pelo ruído mas também pelo fumo do tabaco.
Já outra pessoa de família, idosa, bastante idosa, para além de outros residentes no Largo da Sé, também idosos, sofrem a bom sofrer, os efeitos nefastos desses desmandos.
Estou a dar ênfase a este tema na ressaca do efeito duma crónica publicada no último "Jornal de Leiria" sob o título "Moradores queixam-se do ruído de frequentadores de bares". É do conhecimento geral que estes excessos provêm quase na totalidade, de jovens estudantes, dada a grande quantidade de Universidades e Institutos instalados em Leiria.
Sabem como é que a Polícia reage a estas denúnicas públicas? "A PSP desconhece "denúncias formais (exceptuando uma ou outra) que atestem a prática continuada de excesso de ruído". O chefe de Relações Públicas da PSP de Leiria esclarece que existe um policiamento assíduo na zona dos bares, com especial atenção aos horários de funcionamento".
Pois. O problema é que é precisamente depois das duas horas da madrugada que os excessos que impedem as pessoas que vivem nessa zona possam descansar durante a noite, não são controlados policialmente como se impunha. Sei que os telefonemas para a polícia a essas horas da madrugada são frequentes, mas a reacção da polícia não tem tido a eficácia desejada, até porque ou os bares fecham as portas com os clientes lá dentro ou as pessoas vêm para a rua, naturalmente toldados e faladores de voz alta e grossa.
Resumindo: o convívio entre os moradores do Centro Histórico e os Bares não está a revelar-se nada fácil. A Autarquia Leiriense também não tem tomado as melhores medidas com vista a se pôr ordem na cidade. Talvez seguir o exemplo de Tomar onde o Centro Histórico ficou salvaguardado da existência de tantos bares como em Leiria.
Doutra forma, o Centro Histórico corre o risco de se transformar numa zona desabitada e sem possibilidades de vingar como Grande Centro Comercial a não ser na área dos bares. Ou seja, passará a ser a zona nocturna e, ao mesmo tempo, soturna, da cidade.
É isto que se quer para o Centro Histórico de Leiria?!...

6 comentários:

Milu disse...

Parece-me que esta questão dos bares é de difícil resolução, principalmente quando não existe vontade alguma em resolver assuntos que até são fáceis! Se não está devidamente insonorizado não poderia ter obtido licença para funcionar! Há anos acompanhei pelos jornais a luta entre os moradores e os donos dos bares na praia da Vieira! Os bares lá continuam! Antigamente as queixas ao Governador Civil funcionavam!

Justine disse...

Interesses cruzados, não é? E inconciliáveis....

deep disse...

Por cá, pelas mesmas razões, determinou-se que os bares fechariam às 2h. O problema não é, como aí, a música, mas o barulho dos frequentadores quando saem.
Nada fácil...

Bom fim-de-semana. :)

tulipa disse...

TENHO ESTADO AUSENTE...
Os problemas com a m/sobrinha têm sido a causa do meu afastamento.
Ela tem estado muito mal, no início da semana teve uma paragem cardíaca e teve que ser operada, com apenas 26 anos!!!
Agora está um autêntico vegetal, ligada a tudo que é máquina...

Mas, hoje decidi visitar alguns dos blogues amigos e cá estou.

Aquando da minha viagem à Índia (estava lá há 2 meses atrás) houve tempo para aventuras, turismo e Solidariedade, como pode constactar no meu ultimo post.

Bom fim de semana.

as-nunes disse...

Hoje, Domingo, está um dia mortiço, de Inverno. Tenho andado com graves problemas de vírus e outros quejandos no meu computador. A ver se resolvo esse assunto, hoje mesmo.
Agradeço muito as vossas visitas e comentários, como não podia deixar de ser. Para a Tulipa o meu particular abraço de solidariedade pelo momento difícil da tua vida. Espero sinceramente que o possam ultrapassar com êxito e que daqui a algum tempo já possas estar aqui a trazer boas novas.
A despeito de tudo de mau que possamos estar a viver temos que nos encher de coragem para enfrentar o dia a dia desta Vida!
António

PDuarte disse...

meu amigo e vizinho, infelizmente esse é o mal de quase todos os centros históricos do nosso país.
a falta de respeito por quem não tem voz é uma constante.

não pude deixar de ler o comentário da tulipa - que não ima gino quem seja-, mas espero muito sinceramente que hoje já esteja tudo resolvido com a sua sobrinha.
abraço.