2009/04/26

Terras da ribeira do Sirol - Leiria


Há dias, quinta-feira passada, levava o meu neto a casa da mãe, depois do treino semanal de futebol no GRAP, seguíamos na variante da A1 à rotunda aérea que liga para o IC2, em Leiria. Faço com muita frequência este percurso. Há vários anos. Não me canso de saborear esta paisagem. Nas várias fases do ano.
- Ó avô, quantas vezes é que já fotografaste esta paisagem?
- Várias, Guilherme!
- Ainda não te fartaste?
- Não, não me canso de fotografar esta paisagem, deste ângulo. No Inverno, na Primavera, no Verão, no Outono. É um namoro que tu ainda não compreendes. Mas que espero que possas perceber o mais cedo possível. Precisamos de nos apaixonar perdidamente pela Natureza. Se nós não a observarmos com atenção, acabaremos por a perder. E sem ela acaba-se a Vida!...
- Ah!...
E lá seguimos o nosso caminho...
Posted by Picasa

10 comentários:

D'Rimba disse...

So nature. I love natur pure and healthy......

as-nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
as-nunes disse...

Dear friend.
Many thanks for your coming back.
This is one of the more beautifull natural vews of my city.
I´m very happy to meet you through blogosphere.
My best wishes for you and your cowntry.
António

Menina_marota disse...

Grande verdade dizes! Tal como o mar é a minha grande paixão, porque cresci dentro dele, porque naveguei quilómetros nele, porque não consigo viver sem olhar diariamente para ele... ele é a minha fonte de vida.

Belas paisagens sim, que te cercam, tive oportunidade de verificar isso mesmo quando fui ao lançamento do livro da tua Esposa!

Beijinho a ambos ;)

Pandora disse...

Olá,,
Tenho aqui vindo várias vezes. mas no entanto nunca consigo comentar. Parece que hoje tenho sorte.
Venho então trazer um convite para a minha primeira exposição em Viseu.
Passa no meu canto para saber mais.
Beijos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

O ser humano só é completo com o necessário equilíbrio que lhe permite viver sem pressas e disfrutar da vida se souber olhar à sua volta regozijando-se com as flores campestres, identificando-se com o quotidiano das pessoas simples, apaziguando as suas paixões ao caminhar na areia junto ao mar.
Porque encaixotados no betão, stressados e materializados, caminharão a passos largos para a sua destruição.
Gostei deste bocadinho. Do homem que fotografa várias vezes a mesma paisagem. Também não me canso daquilo que gosto.

Abraço

arte por um canudo 2 disse...

Uma excelente lição de avô para neto.A persistência do avô terá frutos na continuidade do neto.Parabéns.

Emilio disse...

http://deciloquequierass.blogspot.com/

Good Bloog my friend!! Congratulations!!

good luck!! See you!

REFLETINDO disse...

Tão belo como o lugar com certeza e vosso exemplo.
Edificante.
abraços, Paulo

Efigênia Coutinho disse...

Nunes, eu vibrei com sua fotografia, que momento lindo, tenha certeza, seu neto ainda vai dizer:
O MEU AVÓ TINHA RAZÃO...
Postei um Soneto em Poesias com imagens,
Efigênia Coutinho