2016/04/04

A minha Rua



I
a minha rua parece um rio
a chuva impõe a sua presença
persistentemente
abundantemente
com mensagens enigmáticas
insinua até que já não há sol
que a primavera mudou de endereço
que o correio se despistou há uns meses
ao seu fundo ao pé do rio Lis
que não se sabe dele
que talvez se tenha afogado
que os CTT agora já não são o que eram
que já não querem saber se há primavera
querem é que se saiba que são um banco...
II
a minha rua está uma lástima
os serviços de obras públicas
escavacaram as valetas
tão bem feitinhas que elas estavam
pedras cortadas em formas irregulares
à moda dos paralelepípedos dantes
mas as águas da chuva escorriam
lindamente a toda a brida
direitinhas ao rio Lis
logo ali em baixo ao fundo da rua
por debaixo da estrada das Cortes
lá seguiam todas apressadas
agora é aquilo que se vê...

António

4abr2016

4 comentários:

Graça Sampaio disse...

E chove, e chove, e chove... Farturinha!!

O fotógrafo está com muito bom aspeto....

Rogerio G. V. Pereira disse...

Se não referisses o Lis
diria que morávamos na mesma rua
pois a minha está igual à tua

as-nunes disse...


Graça

Quanto à chuva
o caso é que ela tem sido muita
mas o que mais me tem incomodado
é que começaram umas obras
aqui na rua
levantaram o empedrado das valetas
e deixaram o chão em terra e sarrisca
...
a meio da fase de alcatroamento das ditas
concluíram que afinal era preciso
fazer outro estudo
...
a chuva encarregou-se de levar
aquelas terras todas para o rio
e ficaram buracos à entrada das garagens
que só de trator é que se podia passar
---
Quanto ao fotógrafo
como as fotografias podem ser manipuladas!

Beijinhos cá dos da casa

as-nunes disse...


Rogério

A inclinação da minha rua
talvez seja mais forte que a tua
a velocidade das águas nas valetas
até a leva por cima das sarjetas