2016/09/25

Jorge Estrela e a coleção de pintura do Museu de Leiria

O Museu de Leiria acolheu, pelas 14h00 do dia 24 de setembro de 2016, a Tertúlia "Recordar Jorge Estrela",
 Jorge Estrela - Foto retirada do FB de Inês Thomas Almeida, sobrinha de Jorge Estrela
(1944-2015)
uma iniciativa integrada nas comemorações das Jornadas Europeias do Património 2016, em que foi feita, às 17:00, a apresentação do catálogo da autoria de Jorge Estrela "Coleção de Pintura. Séculos XVI-XVIII”.
O programa teve início às 14:00, com receção aos participantes, seguindo-se a sessão de abertura, pelo vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, às 14:15.

A tertúlia, às 14:30, com moderação de António Luís Ferreira (1)

, contou com as participações de Inês Thomas Almeida (2)



, com uma intervenção com o título “O meu tio Jorge Estrela”, 
Vítor Serrão (3)

, que abordou o tema “Jorge Estrela, historiador e crítico de arte”, 
Sylvie Deswarte (4)

, sobre “Jorge Estrela. História de um encontro, 2013-2014”,
e ainda Marisa Castro (5)

, com uma intervenção com o tema “Jorge Estrela, artista também na micologia”.
Após uma pausa às 15:45, intervieram ainda Martinha Henrique (6)

, sobre o tema “Jorge Estrela, História da Arte e Dermatologia

, Rui Ribeiro (7) sobre “Um jardim para Leiria segundo Rodrigues Lobo
, e António Marques da Cruz (8)

, que apresentou “Jorge Estrela, um esteta do vinho”.
A sessão de encerramento teve lugar às 17:00, pelo Presidente da Câmara Municipal de Leiria, Raul Castro

altura em que foi feito o lançamento do livro/catálogo “Pintura Séculos XVI – XVIII. Museu de Leiria”, de Jorge Estrela.



Capa do Livro/Catálogo "COLEÇÃO DE PINTURA - SÉCULOS XVI-XVIII" - do Museu de Leiria.
Jorge Estrela, ed. Câmara Municipal de Leiria, Produção, montagem e Conceção gráfica: Textiverso - Leiria, 2016.
Coordenador de edição: António Luís Ferreira.
Superiormente prefaciado pelo Prof. Dr. Vítor Serrão, Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Permitam-me que deixe aqui como que um instantâneo da pertinência da seguinte interrogação com que o seu autor e cidadão ativo nas causas leirienses, Jorge Estrela, se abalançou a tamanha obra: "O que aconteceu às imagens pintadas em Leiria ou para Leiria durante os seus quase mil anos de existência?
-
Desde 1993 que Jorge Estrela se vinha dedicando ao estudo, restauro e classificação da colecção de pintura do Museu de Leiria, que acabou por dar origem à exposição “A Nova Vida das Imagens. Pintura em Leiria, Séc. XVI/XVIII”.
---
Notas:

Sob a forma de notas complementares vou tentar, à medida que para tal disponha de elementos, passar para este blogue referências aos intervenientes ativos desta tertúlia: 
- 2) Impossível  ficar indiferente ao seu emocional mas justo apelo a toda a plateia e às instituições administrativas (particularmente a Câmara Municipal de Leiria) para que o Jardim das Almoínhas, em curso, venha a constituir-se numa merecidíssima homenagem ao seu tio e fique com o nome "Jardim Jorge Estrela". De facto só quem não conhecer a vida e obra de Jorge Estrela é que não aceitará entusiasticamente esta proposta. Como tal deve este apelo ficar, desde já. Para ser tida em conta na devida oportunidade, em última instância,  na Assembleia Municipal de Leiria.  

nota à posteriori: (in FB de Inês Thomas Almeida)
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153034594598953&set=a.51481503952.49047.535148952&type=3&theater


3) A dado passo da sua intervenção, o Prof. Dr. Vítor Serrão falou dos Grafitos Medievais do mosteiro de Alcobaça, descobertos e primorosamente descritos por Jorge Estrela:



4) in Preguiça:
... (entrevista a Jorge Estrela):
 3. Diz-nos um autor que descobriste ultimamente e tens pena de não ter descoberto mais cedo.
A obra de Sylvie Deswarte, sobre Francisco de Holanda e a arte do Renascimento. Tive o prazer de conhecer a autora há pouco tempo e fiquei fascinado pelo rigor dos seus estudos. Desde então, li muitos dos seus livros e artigos, o que tem sido facilitado pelo facto de a autora me ter enviado grande parte dos seus trabalhos, que são peças fundamentais da cultura portuguesa.
7) Jorge Estrela fez vários estudos sobre a paisagem portuguesa e sobre jardins, incluindo o projecto “Um jardim segundo Rodrigues Lobo” para a Câmara Municipal de Leiria.







Alguns dos diapositivos apresentados pelo Arqº Rui Ribeiro no decorrer da tertúlia, que me permiti fotografar e deixar aqui publicados por me parecer que o autor não me lavará a mal esta ousadia tendo em conta o interesse flagrante da sua partilha pública.
-
Uma parceria Rui Ribeiro/Jorge Estrela, ganhou o concurso público para a reconversão do Mercado de Santana, em Leiria, já construído e inaugurado em 2003.
-
8) Em síntese eis o que António Marques da Cruz disse e também mostrou em oportunos e históricos diapositivos:
"O interesse epicurista do Jorge pelo vinho tornava o tema numa conversa de pendor intelectual, onde a estética do gosto e da apresentação eram procuradas. A sua colaboração nos raciocínios sobre o vinho ultrapassava o mero aspeto da imagem e abrangiam o valor e a moda como conceitos que informam a atividade artística. Conhecedor da História Mundial do vinho, era igualmente um conhecedor dos vinhos de Leiria, inclusive para a génese da CVR da Alta-Extremadura." 







Alguns dos muitos trabalhos da autoria de Jorge Estrela para os vinhos "Marques da Cruz".

-
Mais fotos em Leiriagenda

2 comentários:

Graça Sampaio disse...

Só hoje dei conta desta belíssima entrada do blog e achei extraordinária! Não tive hipótese de estar presente na homenagem e gostei de ver esta excelente reportagem. Muito obrigada.

Beijinho.

as-nunes disse...


Viva Graça. Hoje em dia já não há muitas pessoas a comentar nos blogues, ou melhor, no meu blogue.
Para além do mais, também não tenho sido um frequentador assíduo.

A 16 de novembro pf este comemora 10 anos de vida.

A minha neta Mafalda já me desenhou um Diploma para atribuir aos meus companheiros do blogue e, quiçá, do FB.
Beijinho também para si, querida amiga.