2009/08/21

A Rádio Batalha: Soares Duarte à conversa com...

O meu amigo Soares Duarte, um veterano destemido, andarilho da Rádio, desde os tempos da antiga Emissora Nacional, um profissional de reconhecidos e multifacetados méritos nas áreas da comunicação. No sentido mais lato possível que se pode atribuir a esta expressão. Pelo que sei, no percurso da sua vida pessoal e profissional esteve sempre a sua vontade indómita de participar na nobre e ciclópica missão de informar e partilhar ideias e conhecimentos acumulados ao longo de várias décadas.
Mesmo agora, que podia descansar de todas as deambulações duma vida sempre em acção, cá temos no ar ou no palco, a presença incontornável deste grande senhor da cultura e da comunicação. É vê-lo, de gravador ou microfone em punho, sempre na busca de motivos de intervenção na vida do homem em sociedade.
E a declamar poesia? Sua e de outros autores! A última vez que o ouvi, podem crer, senti que chorava o sentir do poema que dizia. Sem chorar, chorava, acompanhando o espírito do poeta!...

Actualmente faz um programa na Rádio Batalha (*), 104.8 FM, às quartas-feiras, das 15 às 17 horas. Lá temos, a sua voz característica, a propalar através do éter, as ideias dos seus convidados, sempre no intuito de manter os seus ouvintes informados do que as pessoas dos mais variados quadrantes sociais, têm para dizer no sentido do fomento da Cultura, da Arte, da vida do homem em sociedade, enfim.

Na última edição, como se pode ver na composição fotográfica acima, esteve à conversa com Zaida Paiva Nunes, poetisa e pessoa interessada na divulgação dos sãos princípios da formação humana, tendo sempre como alvo preferencial, o aperfeiçoamento espiritual de cada um de nós, através da Cultura, particularmente através da Poesia. E foi assim que muito falaram sobre Acácio de Paiva, um dos poetas de referência, nascidos em Leiria e que, como ela própria não se cansa de dizer, um dos Ilustres Esquecidos desta cidade. Porque, na verdade, pouco se tem feito no sentido da divulgação da sua actividade literária, apesar de a sua qualidade estar mais que reconhecida, pela versatilidade dos seus poemas, das suas críticas literárias, da sua propensão para o Teatro, quer escrevendo peças, quer através da sua actuação na imprensa nacional da primeira parte do século passado. Ora apresentando-se com um estilo bucólico e romântico, ora através da ironia da sua fina crítica à sociedade de então.
Mesmo ali, em plena emissão, ficou lançado um repto vigoroso, não só às autoridades competentes, mas também à restante família e a todos os interessados, no sentido de que se comece, desde já, a preparar um evento suficientemente honroso, tendo em vista não se deixar cair no esquecimento tão ilustre personagem.

Como não podia deixar de ser, no meio de vários outros temas, veio à liça, a referência aos livros que Zaida Paiva Nunes, já escreveu, 3 de poemas e um ensaio biográfico e monográfico sobre o seu pai, José Teles de Almeida Paiva, já falecido em 1994 e à própria cidade de Leiria.

Muito mais se poderia continuar a relatar deste meritoso trabalho de Soares Duarte.
Mas porque já vos ocupei muito tempo, nada melhor para terminar por agora, que um poema inédito do próprio Soares Duarte.
(clic para melhor ler)
.
(*) Consultar e ouvir on-line em http://www.radiobatalha.com/)


Posted by Picasa

2 comentários:

citadinokane disse...

A Zaida é tua esposa, não?
Eis aí a poesia dominando a tua vida meu caro António...
abraços,
Pedro

Anónimo disse...

imparato molto