2015/04/22

Apelo ao Tempo.

Arredores de Leiria - Portugal

Apelo ao tempo...

Momentos dobados no tempo
Em perplexidades de vida
Sensação de perda e de torpor
Humanidade em transe e sofrida
O que somos  para onde vamos
Lugares comuns que nos perturbam
Sobre teses inacabadas meditamos
Na nossa insignificância cósmica

Que os deuses nos acudam
Rogamos nós com ansiedade
Deuses que não nos ajudam
Tresnoitados sem vontade

...

Valha-me Deus!...

as-nunes

4 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Boa fotografia de um povo marginalizado
Que mais poderei dizer??

Rogerio G. V. Pereira disse...

Ele há coisas do Diabo!

as-nunes disse...

Grande abraço, Luís'

as-nunes disse...

E com os. deuses tresnoitados e tresloucados pior aind!