2014/04/16

Aldrabas nas Cortes - Leiria






Ia eu a caminho da Sra. do Monte. Nem saí do carro... Sei que há mais, muitas mais... 
De há uns tempos a esta parte comecei a interessar-me por aldrabas.
Encontram-se perfeitas obras de arte...

2014/04/12

A frente ajardinada do Centro de Saúde Dr. Gorjão Henriques - Leiria (Unidade de Saúde Familiar D. Diniz)

 Uma tília, olaia em flor, choupos ainda despidos de folhagem
A Gazânea (Gazanea rigens) é uma planta perene de origem africana, excelente para bordaduras e que requer poucos cuidados. Resiste bem à seca e às baixas temperaturas, mas sendo regada e estando bem exposta ao sol floresce abundantemente. Há flores de várias formas e cores, como se vê por esta pequena amostra. O aspecto da folhagem também é variado. (copiei integralmente esta descrição do meu amigo Augusto Mota ).
 Fragmento de pormenor duma olaia; princípio do mês de Abril de 2014

Gazânea
                                               Gazânea
                                             Gazânea
 Pormenor da folha e princípio de floração da tília.
Uma tília, vendo-se em fundo o Instituto Politécnico de Leiria.
-
Fotos tiradas no princípio de Abril de 2014 na frente ajardinada do Centro de Saúde Dr. Gorjão Henriques em Leiria 
(Unidade de Saúde Familiar D. Diniz)
- Pode-se  consultar muita e valiosa informação na área da Saúde Familiar, lendo a publicação mensal "JORNAL", edição deste excelente Centro de Saúde Pública. 
*
Ver também no Facebook 

2014/04/08

No 85º aniversário de Jacques Brel


Jacques Romain Georges Brel (Ltspkr.png pronúncia do nome em francês) (Schaerbeek, 8 de Abril de 1929 — Bobigny, 9 de Outubro de 1978) foi um autor de canções, compositor e cantor belga francófono. Esteve ainda ligado ao cinema de língua francesa. Tornou-se internacionalmente conhecido pela música Ne me quitte pas, interpretada e composta por ele. (Wikipédia)



2014/04/03

Tanta fotografia! Tão pouco tempo para as admirar!


Esta fotografia tirei-a eu na rotunda dos peregrinos, em Fátima, no dia 29 de Março de 2014.
Tínhamos acabado de chegar de Alcanena e da Golegã, depois de mais um encontro de poetas do Grupo da Biblioteca Municipal de Alcanena. Eu, a Zaida e o Salvador Garcia Lax.

Tratei-a um pouco com o processador digital da Google+. 

Uma poupa e as antenas dum radioamador

Poupa... 
Precisamente na torre, cheia de antenas de radioamador, que há 20 anos instalei em cima do telhado cá de casa... 


O tempo tem andado numa sarabanda desgraçada, para esta altura do ano. Num momento de tréguas da chuva e granizo vim ao jardim fotografar uma camélia: a D. Herzília Magalhães... acabei por fotografar uma poupa...

Acabei, também, por fotografar a dita camélia; talvez já não valha a pena voltar a apresentá-la. Já aqui a mostrei.

2014/03/31

Poetrix - poema com um máximo de trinta sílabas métricas, distribuídas em apenas uma estrofe, com três versos (terceto) e título

No Edifício Equuslopis - Golegã
-
No passado dia 29 de Março de 2014 teve lugar no auditório deste empreendimento (da responsabilidade da Câmara Municipal da Golegã?) uma sessão aberta ao público, intitulada:

501 Poetrix
PARA LER ANTES DO AMANHECER 

O Grupo de Poesia e Cultura da Biblioteca de Alcanena fez-se presente, em força. Ou não tivéssemos no nosso seio  uma (pelo menos) amante acérrima deste estilo poético, Lúcia Perdigão.
Neste setor podem ver-se alguns dos elementos do Grupo de Alcanena. Aqui se pode ver a D. Lúcia Perdigão (de casaco laranja), uma incondicional seguidora do movimento Poetrix. A sua influência no Grupo de Alcanena talvez venha a dar os seus frutos... 
 A mesa da sessão, vendo-se à esquerda o "Duo Outrora" (Rafael Umbelino, Adolfo Mendes) acompanhados no canto por Ana Paula. Ou seja, estivemos na presença do "Grupo de Cantares d´Outrora). Fiz alguns vídeos...
 Dr. Anthero Monteiro (poeta e poetrix), convidado e dinamizador da sessão. A falar das diferenças entre Haiku e Poetrix. (cabe aqui um ligeiro parêntesis para referir que Zaida Nunes (Grupo de Poetas da Biblioteca Municipal de Alcanena) talvez tenha sido quem, pela primeira vez, abordou e já escreveu alguns ensaios poéticos em Haiku.
Pode ver-se Zaida Nunes, Salvador Garcia Lax, snr. Gouveia (de boina) e Carlos, na fila do lado esquerdo.
Um aspeto da sala. Alunos do GAP (alunos do Agrupamento de Escolas da Golegã), orientados pelos seus professores, preparam-se para ler poemas em Poetrix com acompanhamento musical pelo Duo Outrora.
 Carlos e Óscar Martins 
 Prof. Martinho Branco do GAP, grande ativista do MIP (Movimento Independente do Poetrix). Nos agradecimentos aos participantes referiu-se duma forma particular e elogiosa, ao Grupo de Alcanena e ao seu mentor, Dr. Óscar Martins.
 Um poema Poetrix a ser dito pelo autor. Anthero Monteiro tem um livro publicado.
Parte do Grupo de Alcanena, já no regresso. A Câmara Municipal de Alcanena disponibilizou duas carrinhas para a deslocação e participação neste evento. Eu próprio li um poema Poetrix...
-

2014/03/22

Cyrano de Bergerac - representação teatral de um fragmento da obra literária mundialmente reconhecida

 Cyrano (mmcruz) e Christien (antónio(eu))
 Cyrano a sussurrar ao ouvido do Christien para este dizer do seu amor pela Roxane...



A Zaida representou (e a preceito, manifestou-se a crítica) a Roxane
(fotos de Mara Simões de "A Roda" aroda.crds@gmail.com)

Tudo se passou no Clube Recreativo de Soutocico, sob a orientação cénica de Mário Marques da Cruz... O serão teve lugar no dia 17 de Março de 2014 e teve variadíssimas intervenções, dentre as quais sobressaem a apresentação de José Marques da Cruz sobre gastronomia e poesia... e muitas mais... música ... poesia ... etc etc   leiam "A Roda" (2), revista mensal da responsabilidade do Clube...

nb.: 
- quero ver se ainda aqui volto com mais material.  "À bientôt"...
(2)- Pode-se ler o nº 2 seguindo este link A Roda-  3ª edição (nota particular pp 5)

2014/03/19

O meu pai fez 90 anos em 13 de Março de 2014; juntámo-nos quase todos, em S. Pedro do Sul, na Adega do Ti Joaquim




A Sildina, a Lurdes, a Isabelita (a caçula dos irmãos), o Vitor e eu ... o nosso pai Daniel e a mãe Encarnação.



Quem sobe a EN que liga a Viseu ... o Rio Vouga
Já no regresso...


Indescritível a sensação destas linhas curvas a definir o horizonte serrano das terras desta zona de S. Pedro do Sul e Vale da Paiva.
A Serra de S. Macário, talvez também a Arada ou Montemuro...


O rio Vouga, ali vai em terras de S. Pedro do Sul

2014/03/14

Pormenores do Coreto de Sta Catarina da Serra - Leiria










Este coreto foi desmontado do jardim Luís de Camões em Leiria, em meados do séc. passado, e reinstalado em Santa Catarina da Serra. É uma verdadeira relíquia e está cuidado a primor.
É um regalo para os olhos. Em ferro forjado com as indicações "Casa Reis" e Massarelos - Porto. 
Provavelmente o ferro foi forjado na
A este propósito será uma boa pista seguir o link A ARTE DO FERRO FUNDIDO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX.
Pode-se observar este coreto, quando instalado em Leiria, em fotografias antigas. 
Está muito bem onde está, mas pode perguntar-se porque razão é que as pessoas de Leiria não protegeram o seu património arquitetónico de lugares públicos, como foram os casos do Teatro D. Maria Pia e deste coreto?