2017/03/22

Leiria na rota do 4º Aniversário do «Jornal Sem Fronteiras - Brasil e Comunidade de Língua Portuguesa por todo o Mundo.


Obrigado, prezado amigo e Dr. Arménio dos Santos Vasconcelos, por se ter lembrado deste sempre admirador da sua imensa obra em prol da Cultura e da Lusofonia.

Arménio Dos Santos Vasconcelos Antonio Nunes e Esposa, Zaida, cada um por si, irão ser justamente galardoados, no dia 23, pelas 15 horas, no Castelo de Leiria, com o Vereador da Cultura, Dr Gonçalo Lopes, o escritor Vieira da Mota, a artista Clotilde Fava, o homem do Leiria sobre Rodas, Filipe Vasconcelos e outros. Venham ao Castelo assistir !

(p. 8 do Diário de Leiria de 20 de março de 2017)
-
Em modo DISPERSO… (XXXIII)
(António Nunes)

Leiria na rota do 4º Aniversário do «Jornal Sem Fronteiras»
ACLAL, Mosteiro da Batalha, Castelo de Leiria

O que é o “Jornal Sem Fronteiras”, estará o leitor a perguntar? Qual a sua ligação com esta Região que justifique uma crónica no Diário de Leiria?
Antes de mais convém frisar que o «Jornal Sem Fronteiras» é uma iniciativa da escritora e jornalista brasileira Dyandreia Portugal. Enquadra um projeto de Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras  de envergadura notável, na medida em que está a conseguir o seu objetivo fundamental, que é a promoção de iniciativas editoriais e de eventos com vista à divulgação da Arte e da Cultura em todos os Estados Brasileiros e em mais 27 países onde se fala a língua portuguesa, predominantemente ou não. Esta iniciativa é fortemente apoiada em Portugal pela ACLAL – Academia de Letras e Artes Lusófonas, cujo Presidente da Direção é o Dr. Arménio Vasconcelos, com ligações íntimas e de longa data a Leiria, como advogado, empresário, escritor e amante das Artes e das Letras em geral. O autor desta crónica ocupa, presentemente, o cargo de Presidente do seu Conselho Fiscal.
O «Jornal Sem Fronteiras» possui tiragem bimestral e a sua presença não tem fronteiras estabelecendo-se por todo o mundo através dos seus colunistas, Galerias de Arte, Museus, Bibliotecas, Associações, Academias, Feiras Literárias, Exposições de Artes, Lançamentos Literários e outros Eventos Culturais.
O seu principal representante em Portugal, a ACLAL, tem sede em Além do Rio - Gafanhão – Castro Daire e foi constituída em 17 de Julho de 2009.  Ficaram registados para a posteridade como sócios fundadores, entre outros, os leirienses (por naturalidade ou por adoção), Arménio Vasconcelos, Adélio Amaro, António Nunes, Soares Duarte (já falecido mas para sempre lembrado), Vieira da Mota, Filipe Vasconcelos…
O «Jornal Sem Fronteiras» comemora este ano o seu 4º Aniversário, em Portugal, com um programa recheado de iniciativas culturais especialmente dirigido à sua numerosa comitiva que vem diretamente do Brasil e que se junta aos elementos que vêm de outros pontos do globo. Esta impressionante jornada Comemorativa e de cultura em Portugal terá, também,  a participação da APP – Associação Portuguesa de Poetas, Universidades de Lisboa e Coimbra, Instituto de Camões, Museus Maria da Fontinha e de Almofala, Mosteiro da Batalha, Castelo de Leiria – Câmara Municipal de Leiria, ABD – Associação Brasileira Desenhos e Artes Visuais, Cia Arte Cultura, ALAIS – Académie de Lettres et Arts Luso Suisse.
O ponto de encontro e início das comemorações é Lisboa. A esta comitiva inicial juntar-se-ão muitos portugueses,  particularmente ligados à ACLAL,  ao longo do percurso das várias atividades que ocorrerão entre Lisboa, Sintra, Cascais, Óbidos, Batalha, Leiria, Almofala, Coimbra, Viseu, Além do Rio, Porto, Braga.
As ações previstas decorrem de 16 a 31 deste mês, começando no Hotel Pestana (Palácio Valle Flor) com uma Festa de Gala de Aniversário e Cerimónia de Homenagens. No dia 17, no Museu da Farmácia, ainda em Lisboa, ocorre um Encontro de Escritores Lusófonos, com palestras, performances e apresentações musicais. Nesta oportunidade o Dr. Arménio Vasconcelos apresenta uma comunicação sobre farmácias, focando-se naquela que foi a mais antiga farmácia de Leiria e que permanece, com a sua vistosa fachada de azulejos azuis, como um dos principais ícones da cidade. A sua ligação íntima ao enredo de “O Crime do Padre Amaro”, ao grande Eça de Queiroz e ao lídimo poeta leiriense Acácio de Paiva, não podia ficar esquecida, evidentemente. Trata-se, como está bem de ver, da «Pharmácia de Leonardo da Guarda e Paiva», no Largo da Sé, na qual nasceram várias gerações de Paivas, de Telles e Paiva e de Paiva Nunes.
No dia 23 do corrente mês a caravana tem programadas duas sessões culturais e de entrega de Diplomas, de manhã no Mosteiro da Batalha e da parte da tarde, pelas 15 horas, no Castelo de Leiria. No decorrer desta sessão serão galardoados com Diploma de Reconhecimento ao Mérito, os seguintes ´leirienses`: António Nunes (escritor), Clotilde Fava (artista), Filipe Vasconcelos (Leiria-sobre-Rodas), Gonçalo Lopes (Vereador da CM Leiria), Vieira da Mota (escritor) e Zaida Paiva Nunes (escritora/poeta).
No dia 24, os académicos brasileiros e da ACLAL vão apadrinhar a inauguração e apresentação do Espaço Casablanca, em Almofala (distrito de Leiria), que se destinará à divulgação de produtos agro-silvo-pecuários daquela região e de todos os possíveis aspetos da cultura, v.g. poesia, livros de autores regionais, escritos de académicos da ACLAL, com tertúlias, reuniões e concertos. Um dos palestrantes neste evento será Prates Miguel, advogado, com crónica às segundas feiras no Diário de Leiria e Presidente da Mesa da AG da ACLAL.
-
António AS Nunes

 (nunes.geral@gmail.com)

2017/03/20

Família Nunes - Casal de Ribafeita - Viseu. Uma árvore cujos ramos se estão a entrelaçar fortemente com os ramos de outras árvores


No passado domingo, 19 de Março de 2017, que, por acaso também era o Dia do Pai, reuniu-se quase toda a família que teve como origem comum, o casal Daniel Nunes e Maria da Encarnação. A origem desta grande família está no lugar de Casal, freguesia de Ribafeita, concelho de Viseu. Estamos espalhados por Viseu, Coimbra, Covilhã, Leiria, Porto, e, até, Inglaterra. 
Um dia destes, espero ser capaz de começar a escrever uma monografia desta família e da sua ligação mais chegada aos Quintais, Maias, Victorinos. Já estamos espalhados pelo Brasil, Austrália, Inglaterra.
O ponto de encontro foi na «Taberna Bate-Mal», em Abravezes - Viseu, da gerência do Filipe Nunes (sobrinho) e fomos recebidos com uma qualidade de serviço e de cozinha fora de série.
Fiquei fã. 




2017/03/14

XIº ANIVERSÁRIO do blogue "DISPERSAMENTE". Já estamos em 2017. Cheguei a Leiria em 1966.

XIº Aniversário deste blogue

Agora que estamos a chegar ao 16 de Março de 2017.
Obrigado amigos de todo o mundo, que muito me têm honrado com a vossa visita/consulta, mesmo sem comentários, ao longo destes 11 anos de vida, do blogue e da minha própria.
Com isto tudo já cheguei aos 70 anos de idade.
Muito obrigado, queridos/as amigos/as.
Enquanto me sentir em forma física e mental podem contar comigo.
Um grande ABRAÇO. Do tamanho do Planeta e arredores até onde os sinais digitais da internet possam chegar no Cosmos!


Acabei de publicar um verbete no meu outro blogue "Dentro de ti ó Leiria", no qual me vou inspirar para esta publicação, agora que estamos a chegar ao dia 16 de março de 2017. A partir desta data estaremos no 11º ano de atividade incessante.
Assim:

Caros amigos navegantes da internet. Leirienses em particular. De todo o mundo em geral. Particularmente do Brasil onde reside uma comunidade imensa de familiares meus.
Escusado será dizer que, tendo eu chegado a Leiria em 1966, já decorreram quase 51 anos, se tivermos em conta que desembarquei nesta cidade em outubro desse longínquo ano.
Sempre me interessei por conhecer Leiria, a terra, as suas gentes, a sua beleza monumental e paisagística.
Hoje mesmo escrevi um comentário num ´post` do ´Facebook` em que faço referência a este meu blogue, como uma das referências mais antigas à presença de Leiria na internet. Claro, quem aqui chegar depara-se com um blogue praticamente inativo há já uns anos. Daí a razão deste registo que aqui vos deixo agora. 
Neste blogue concentrei as minhas energias com escritos, reportagens fotográficas de tudo e mais alguma coisa. Com Leiria sempre à flor da pele, como se pode notar nas várias entradas que cá tenho publicadas desde 2006. 
Tam aderi ao ´Facebook`em https://www.facebook.com/orelhavoadora.
Hoje em dia as iniciativas de divulgação de Leiria já são muitas, variadas e de alta qualidade, na sua conceção, juventude e técnica.
Enumerando algumas, as que me ocorrem no momento em que estou a escrever este artigo:
Estes são alguns links que me ocorreram na altura em que estava a escrever o tal comentário. Mas os sítios na internet em que se fala de Leiria já são inúmeros, podemos dizer mesmo inumeráveis até.
De qualquer modo estas indicações poderão servir de pista para outras consultas.
-
A título de curiosidade repare-se no rastreio das consultas ao meu blog "Dispersamente" nesta data. A mim espanta-me! Mas será de espantar?! 


MUITO OBRIGADO PELA VISITA.

Sparkline 450,892

Repare-se na lista de links abaixo com alguns registos que tenho publicado sobre Leiria neste  meu blogue:


Não querendo abusar da paciência de quem aqui chegou, repare-se também nas referências que, ao longo dos últimos 11 anos, tenho registadas  naquele blogue (DISPERSAMENTE) com a palavra LEIRIA












Isto sou eu que me apeteceu fazer um balanço rápido do que tem sido a minha atividade nas redes sociais, desde os "sites" no servidor leirianet.pt (1998) até à atualidade. Se considerarmos o período desde 1998 teremos já 2017-1998=19 anos. ?!!! 
São muitos anos!!!!!  
Ou seja, estou velho!  
Valha-nos que as gerações se estão a renovar, esperemos que também a regenerar para melhor!  
-

2017/03/07

Killing me softly - Roberta Flack - sequência fotográfica com flores do jardim cá de casa.


Miguel Esteves Cardoso apresenta na Antena Um, todos os dias úteis, pelas 17h50, o programa de mais ou menos 5 minutos, chamado "SOS Vinil". Hoje apresentou Roberta Flack, que em fevereiro fez 80 anos.

É pena não ouvirmos esta voz maravilhosa com mais frequência na rádio! Lembrei-me de aproveitar este ensejo para acompanhar a sua voz na revisita das flores do jardim cá de casa nesta altura do ano...

Também publiquei no meu FB.

A Alice Nunes nos seus 3 anitos



---
Aqui fica para memória futura.
Pode ser que venhas a achar piada, Alice, daqui a muitos anos.
Este é um fragmento de um vídeo realizado pela Inês Nunes
no decorrer duma reunião familiar, nos Lourais, por alturas do Carnaval de 2017.
O vídeo original tem 15 minutos, sempre em ação...
As filmagens foram interrompidas para descanso da equipa técnica, que a artista estava para continuar...
Temos atriz!... 

2017/03/03

Perspetivas dum mês de Março cheio de atividade. A propósito do 98º Aniversário de Eva de Sousa Esteves Paiva.


 Zaida e sua mãe Eva Paiva, no dia do seu 98º Aniversário, no Lar da Adesba - Barreira
 A Edite e a Zaida, primas como se fossem irmãs.

Foto em contraluz. O Álvaro Lucas Pereira, marido da Edite. Primo.
---
Texto originalmente publicado no meu FB
-
Este mês de Março perspetiva-se como um mês cheio... Pois que assim seja!
1- Ainda em fev(27) a minha sogra, Eva Paiva, entrou nos 98 anos de idade com o aspeto que se pode ver na fotografia abaixo, ao lado da sua filha Zaida;
2- Amigos meus vão apresentar um duplo CD com música e poesia;
São eles: Carlos Pires (Poesia) e Pedro Jordão (composição Musical);
3- Idem na organização e participação numa Ronda Poética em Leiria, coordenação de Paulo Costa;
4- O meu pai irá fazer 93 anos de idade;e a Ana Damaso e a Carolina também aniversariam neste mês;
5- O meu blogue "DISPERSAMENTE..." vai entrar no seu 11º ano de atividade;
6- O AQVS(*) vai de vento em popa...
7- A Tertúlia dos "Serões Literários das Cortes" do próximo dia 11 vai aflorar a questão essencial "Que é uma Coisa?";
8- A convite do meu amigo Arménio Dos Santos Vasconcelos e na qualidade de membros da Academia Aclal Letras Artes Lusófonas , eu e a Zaida, vamos participar nas comemorações do 5º aniversário dos Jornal Sem Fronteiras (Brasil e mundo lusófono), com sessões culturais e de homenagens em Lisboa, Mosteiro da Batalha, Castelo de Leiria, Figueiró dos Vinhos (Museu e Casa Cultural de Almofala), Museu Maria da Fontinha (Além-Rio- Castro Daire), etc
9- O meu amigo Carlos Lopes Pires vai lançar aos sete ventos um seu livro de poesia (mais um, mas sempre com a sua verve a fazer prevalecer o seu humanismo e a sua preocupação estética acima de tudo) que será já no dia 1 de abril. Mas é verdade, segundo afiança o autor e o editor (TextiVerso) corrobora.
... E assim vai o mundo ...

(*) movimento clandestino e ultrassecreto.(bolas! na ortografia antes do AO90 era ultra-secreto). Ironia nossa, do núcleo duro dos Serões Literários das Cortes. 

2017/02/26

A minha tia Alcina foi a sepultar hoje

A minha tia Alcina, irmã do meu pai Daniel, foi a sepultar hoje, 26 de fevereiro de 2017. Esteve em câmara ardente na Capela de S. Salvador, no Casal-Ribafeita-Viseu. Tinha 91 anos feitos há pouco tempo, comemorados com todo o entusiasmo e festa. Deu-se o caso de que fazia anos precisamente no dia do aniversário da locomotiva da CP onde viajou e confraternizou com cobertura televisiva e tudo. Como se pode ver abaixo.
Paz à sua alma, minha tia. O seu irmão, meu pai, pressenti-o bastante comovido ontem e hoje quando estive com ele ao telefone.
Tive, neste funesto ensejo, ocasião de falar, pela primeira vez, com a Teresa Lourenço, a minha prima Teresa (Teresinha como a trata carinhosamente o meu pai), filha da minha tia, Ficou combinado que havemos de nos encontrar mais vezes. Já não é sem tempo, digo eu, que tenho andado muito afastado da minha família, a que ficou pela nossa terra, Viseu, primos principalmente. Vim para Leiria em 1966 e por cá fui criando raízes próprias... Já vai em 4 netos.
Adeus tia...





A minha prima, Teresa Lourenço. No Facebook Teresa Amores.

"A família de uma idosa que celebra este sábado 91 anos escolheu comemorar o dia a bordo da locomotiva a vapor que circula no Douro, que tem a mesma idade. E assim a viagem do comboio histórico entre a Régua e o Tua virou uma festa." - in SicNotícias 27.08.2016 22h12.


Placa identifica da locomotiva da linha do Tua. 


 O meu primo Tozé Lourenço.

Link do vídeo



2017/02/22

Tertúlia Artes e Letras na AAL - Leiria


No passado sábado, 18 de fevereiro de 2017, teve lugar nas instalações da Associação de Artes e Letras de Leiria, uma sessão de lançamento duma nova Tertúlia em Leiria.
Da iniciativa de Mário Marques da Cruz e com o apoio dum grupo de amigos, entre os quais me incluo, realizou-se uma reunião/tertúlia com o seguinte formato:
- Apresentação a cargo de Mário Marques da Cruz;
- Distribuição de folhas diversas para se auscultar da constituição da equipa de coordenação, dum grupo de jograis e dos contactos dos aderentes à ideia;
- Preleção sobre literatura infantil a cargo dos convidados Prof. Cristina Nobre e Paulo Kellerman (escritores); 
- Mário Marques da Cruz apresentou os propósitos destas Tertúlias: 1) Poesia por quem quiser e trouxer fotocópias para distribuir pelos presentes; 2) Apresentação de Livros (pelo autor, pelo editor...); 3) Debates e Comunicações (história, literatura,música, pintura, sociologia...);
- Leitura de poemas.
- Música de guitarra por Bea Sá Vieira (guitarra clássica) e Paulo Costa (guitarra, poema cantado e por si musicado);

Cerca das 18h30 deu-se por encerrada a sessão, ficando a coordenação inicial a cargo de Mário M da Cruz e José Brites.
-
O autor deste blogue tirou algumas fotos e gravou 3 vídeos ligeiros. Algumas destas fotos foram utilizadas no vídeo acima.


2017/02/21

Como se fosse o eco de um poema: S.L. e BENFICA em tempos de Félix Bermudes... e de Acácio de Paiva.

Ainda na sequência dos ´posts` anteriores, a propósito de buscas na internet sobre Acácio de Paiva, eis que me deparei com este artigo delicioso sobre o glorioso BENFICA (temos que convir, sejamos ou não adeptos do SLB). Originalmente está publicado no blogue "O Indefectível" no link 
e foi escrito pelo meu primo, por afinidade que seja, Afonso de Melo, bisneto de ACÁCIO de PAIVA, por ser filho da neta Constância Paiva. Convém que se acrescente que veio parar àquele blogue por via de "O Benfica".
Estando seguro que o meu primo não se vai zangar com esta minha liberdade, aqui republico esse artigo histórico e brilhantemente evocador da origem de entusiasmo e de paixão do SLBenfica. Para que conste neste blogue dum viseense/portuense, tão leiriense como os que o são e Benfiquista desde sempre. E que tudo tem feito para que o nome do "Altíssimo Lírico e o Maior Humorista da Poesia Portuguesa", ACÁCIO de PAIVA, se mantenha vivo. Como bem merece.
---
Os jogos entre Benfica e Sporting voltaram a estar na moda. Talvez por razões menores que o tempo reduzirá à sua verdadeira dimensão. E se alguém julga que estes são dias conturbados, regressemos aos primórdios para comprar realidades incomparáveis.
antiga Marcolino Bragança

Os jogos entre Benfica e Sporting parecem estar de novo na moda.
Moda por moda, deixemos as modinhas mal ajeitadas dos bate-bocas de mau gosto e vamos dar uma volta a tempos que lá vão. E como vão...
O livro de Júlio Araújo, «Meio-século de Futebol (1888-1938)», é um grande repositório da realidade da primeira  década do Século XX. Também nos socorremos dele para ir tentando ficar com uma ideia clara de génese desta rivalidade que marcou até nos dias de hoje a vida do País. Nada como ir beber água fresca da mais pura das fontes.
Orgulhoso das suas instalações e da sua sede, com lugar num edifício que era propriedade da sua família, ali ao Lumiar, José Holtreman Roquete sonhava agora com um grande team de Futebol. O descontentamento dos jogadores da primeira categoria do Sport Lisboa entreabria-lhe uma porta que não tardou em abrir às escâncaras. De uma assentada, traz para o Sporting oito deles: José da Cruz Viegas, Emílio de Carvalho, Albano dos Santos, António Couto, António Rosa Rodrigues, Cândido Rosa Rodrigues, Daniel Queirós dso Santos e Henrique Costa.
Um autêntico terramoto! Deixem lá estas brincadeiras de Jesus para lá e de Jesus para cá. Isto sim: foi tremendo! Tonitruante!!!
Parecia o fim da linha para o Sport Lisboa, até porque a sangria não ficava por aqui. Manuel Mora, o guarda-redes, partiu para a Argentina (um destes dias trataremos aqui a história interessante desta figura, se tudo se encaminhar para tal); Fortunato Levy para Cabo Verde; outros optaram por seguir a sua carreira no Ginásio Clube Português, no Grupo Sport Benfica, no Cruz Quebrada, no Académico de Lisboa, no Nacional, etc.
Deserção? Dessedência? Traição?
Quem souber que responda. Mas com franqueza!

antiga Marcolino Bragança

A voz de Marcolino Bragança
Ao longo dos anos, este episódio da vida dos dois clubes foi visto por diversos prismas. Um deles, o mais curioso, assumido por Cândido Rosa Rodrigues, declarando que não se poderia falar em dissidência ou de traição até porque não existia rivalidade entre Sport Lisboa e Sporting, e apenas entre Sport Lisboa e Internacional, o velho CIF.
Temeu-se, assim pela vida do Sport Lisboa.
Ah! Como diria Mark Twain: «As notícias sobre essa morte foram manifestamente exageradas».
Terminada a época do Futebol, entrava-se na época dos desportos de Verão. Os protagonistas eram os mesmos. Isto é: jogador de Futebol que se prezasse, chegando o calor, dedicava-se a desportos sem botas, fosse ele a Natação, a Vela, o Ciclismo ou o Automobilismo.
E o sol parece ter auxiliado o olvido e cicatrizado feridas.
Era tempo para que se abrissem no azul claro do céu novos horizontes rubros. Vozes se levantaram; peitos encheram-se de esperanças; o mundo estava aí para os que usavam a gadanha da coragem.
Um belo dia, Marcolino Bragança, um dos melhores jogadores das segundas categorias do clube, ainda jovem estudante do 4.º ano do Liceu, lançou a ideia, tão óbvia que parecia pecado ninguém ter feito eco dela até aí:
- Ouçam lá, e por que é que não passamos o segundo team a primeiro?
Era bem visto, sim senhor. Não houve quem se pusesse. Pelo contrário.
Fez-se o apelo geral. Juntou-se a linha dura dos resistentes: pouco menos de 30 rapazes empenhados em continuar com o clube.
Houve até quem regressasse: gente que tinha ido para o Cruz Qubrada, o Sport Benfica, o Académico de Lisboa...
Os do Sporting não voltaram.
Félix Bermudes e Cosme Damião tomam as rédeas do clube que ressurgia. Todos se dispuseram ao pagamento da quota de dois tostões por mês. Félix Bermudes, escritor bem conhecido pelos seus poemas, peças de teatro e operetas - como foi o caso da famosa «O Timpanas», curiosamente grande amigo e tertuliano do bisavô deste que se assina, Acácio de Paiva -, um dos fundadores da Sociedade Portuguesa de Autores à qual presidiu durante 32 anos, num gesto magnânimo, ofereceu cinco mil réis para um boa nova.
Aqui sim, o Benfica, que ainda não era completamente Benfica, começava a ver medrar as suas raízes populares. Bem ao contrário do Sporting.
O tempo passou.
Houve lutas duras, combates violentos, jogos menos amigáveis do que outros e até uma final da Taça de Portugal em que os adeptos do Sporting fizeram parte da falange encarnada que bateu o FC Porto no Estádio Nacional.
Benfica-Sporting ou Sporting-Benfica: leiam como quiserem - é como se fosse o eco de um poema...
antiga 1907 - segunda equipa Benfica

De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Defesa e guarda-redes: Henrique Teixeira, João Persónio e José Neto; Avançados: Félix Bermudes (capitão), Eduardo Corga, Leopoldo Mocho, António Meireles e Carlos França; Médios: Luís Vieira, Cosme Damião e Marcolino Bragança."

Afonso de Melo, in O Benfica