2008/02/22

Primavera e Poesia


Estava nas traseiras da casa................AS ANDORINHAS
Ouvi o trinar alegre duma andorinha......Como as tardes já fossem para amores
Vim cá fora, um recanto de alegrete......no doce Portugal, todas em bando
Antigo, cheio de recordações................voaram, nossas terras demandando,
Da Zaida, Paiva e minhas....................tão propícias às aves como às flores.
......................................................
Vi um ninho de muitos anos.................Procuraram beirais acolhedores
As aves a regressarem com o tempo.....onde seus ninhos fabricassem, quando
A fazer coro a evocar alguém...............o céu, há pouco tempo azul e brando,
Que da Poesia fez seu pensamento......de novo se cobria em negras cores.
.....................................................
A Zaida, pelo som familiar..................O bando, não supondo terminada
Eu porque com ela aprendi..................a chuvosa estação, de onde viera
Logo vimos como atalhar;...................já procurava a salvadora estrada;
Quem poderia ter cantado assim?.......
......................................................mas nisto, entre festões de folhas d´hera,
Não podia haver dúvidas....................debruçou-se à janela a minha amada
A música, bucólica, esplendorosa........e ele ficou: surgiu a Primavera!
Acácio de Sampaio Telles e Paiva.......
Ilustre Leiriense, na Poesia e na Prosa......... Acácio de Paiva
......................................................
Um ninho com anos e anos.................
Uma parede de lousa centenária..........
A andorinha que ainda desambientada..
Na sua silhueta foi captada.................
.......................................................
A casa "Pharmácia Leonardo Paiva"....................
No Largo da Sé, Leiria.........................
Onde nasceu em 14/4/1863.................
O insigne Poeta, Acácio de Paiva.........


antónio nunes
22/2/2008
Posted by Picasa

5 comentários:

Ana Ramon disse...

Ver a chegada das andorinhas é um momento sempre muito fascinante. Pelo menos para mim. Aqui também já chegaram :))
Bom fim de semana. Beijinhos

zé lérias disse...

Como sempre magníficas fotos a ilustrarem boa poesia.
Aina não as vi. às andorinhas.
Que falta nos estão fazendo neste tempo tão amargurado!

Bom fim-de-semana par todos vós e um abraço grande

as-nunes disse...

A vida no seu constante ciclo. Até quando? Fica-se assustado quando se lê e vê e se sente o que andamos a fazer de mal ao nosso Planeta!...
Vale-nos que, apesar de tudo, a vida continua, que a Natureza é duma beleza sem par. Que até parece obra de engenharia etérea? Mas o que é isso, de engenharia etérea?!
Quando um homem se põe a pensar!...
Será que o Mundo dá mesmo um pulo e avança?...
Bom fim de semana, caros amigos
António

Desambientado disse...

Meu caro amigo.
O bom gosto continua a imperar nas tuas escolhas e nas tuas ilustrações.
Leio-te com frequência no Planeta Açores, mas ultimamente anda desactualizado. É por essa razão que não salto aqui com comentários, pois o tempo, sempre o tempo, escasseia para dar conta dos recados.

Bom fim de semana.

Bichodeconta disse...

Que delicia, parabéns pela poesia e pela chegada das andorinhas que é sempre o renascer de um ciclo que nos tras felicidade.. um abraço e boa semana..