2008/02/29

Francisco Rodrigues Lobo e Camões

Esta foto foi tirada em Leiria, há 15 dias. Estamos a registar uma perspectiva do Jardim Luís de Camões (ameixieira de jardim, uma acer negundo,logo atrás uma grevillea robusta, uma pimenteira bastarda, estátua ao grande poeta bucólico Francisco Rodrigues Lobo, em ponto mais alto um freixo com perto de 100 anos seguramente, o chão remodelado mas que veio alterar drasticamente a configuração histórica do jardim alma de Leiria.
Ampliando-se, também se poder divisar a silhueta da Igreja do Santuário de N. Sra. da Encarnação.
Repisando o tema: Nota-se a falta das tílias monumentais que foram derrubadas há mais ou menos 2 anos. Quanto a mim, por pura incúria!
Não esquecerei essas tílias, a fragrãncia das sua flores, a sombra espantosa da sua copa, a sua presença imponente e pintada dum verde insubstituível que deixou de encher os nossos olhos...
Posted by Picasa

2 comentários:

Chanesco disse...

Meu caro António

A vida passa e as recordações ficam.
As tílias de que fala serão para sempre uma imagem a marcar-lhe os sentidos. A fragância de outras tílias nunca será igual à dessas.

Um abraço

Jofre Alves disse...

Sempre a mesma qualidade neste blogue, intimista e duma digna coerência e sensibilidade. Boa semana.