2010/01/19

LEIRIA - Mas que má sina a deste Largo da Sé




Peço-lhe o favor de tirar o som para não se sujeitar à tortura de ouvir o apresentador deste vídeo (tem que se ter em conta que se trata de um estagiário nesta área da comunicação. Para a próxima promete que vai preparar um vídeo profissional).

Se, mesmo com esta recomendação, ouvir o narrador, rapidamente se aperceberá da vergonha que se está a passar nesta Zona Histórica de Leiria. Inacreditável que se tenha deixado degradar até este ponto uma das áreas mais representativas do que poderia ser o Centro Histórico da cidade de Leiria.
O mais grave é que parece que ninguém se manifesta publicamente contra este estado de coisas. 
Segundo consta, a actual Câmara Municipal, manifesta-se impotente para fazer algo de positivo para reavivar esta Zona da cidade. Diz que está sem dinheiro, endividada até mais não. 
Acredito que sim, que esteja endividada, que tenha recebido de herança um passivo incomportável para as contas do Município. Mas há um mínimo de obras de manutenção que têm que ser orçamentadas e executadas em conformidade. A não ser que esteja completamente falido e as receitas mal cheguem para pagar ordenados!...
Às tantas!...

8 comentários:

maria teresa disse...

Parece o cenário de um país do terceiro mundo ( coitados), nunca a visão de uma cidade de um país europeu.
A maior culpa não será da Câmara?
Abracinho

as-nunes disse...

Olá maria teresa

Claro que é da Câmara. Não se compreende porque é que esta obra de requalificação do prédio cujos andaimes caíram com a força do vento e a deficiente instalação, não teve o devido andamento.

Por várias vezes que já esteve em obras e, ora porque se impunham alterações de última hora ao projecto aprovado, ora porque o empreiteiro desistia do trabalho, a verdade é que as podemos comparar às afamadas "obras de Santa Engrácia".

É urgente que se levantem vozes para protestar contra o abandono a que se está a votar o Largo da Sé.

Até nos faz lembrar aquelas velhas fotografias da II Guerra Mundial em que se mostram cidades em ruínas após bombardeamentos intensos da aviação.

Abraço

Anónimo disse...

Caro Vizinho, para quando as obras no seu Predio velho e decadente, a C.M.Leiria não é responsavel pelo estado que ele chegou, ou é ? Vai dizer que o predio não é seu, ou só é seu quando interessa e quando não interessa é da SOGRA amiga. Falar é facil, fazer que é bom...

Anónimo disse...

Caro Vizinho, para quando as obras no seu Predio velho e decadente, a C.M.Leiria não é responsavel pelo estado que ele chegou, ou é ? Vai dizer que o predio não é seu, ou só é seu quando interessa e quando não interessa é da SOGRA amiga. Falar é facil, fazer que é bom...

as-nunes disse...

O caro Anónimo deve ser ceguinho de todo. O prédio está bem à vista. Faça um ângulo de 360 graus a partir do centro do Largo da Sé e veja com olhos de ver. O prédio é antigo, sim senhor, mas é o que melhor se apresenta. A não ser que esteja a trocar-se de olhares e vesgamente esteja a reparar no prédio onde está a Tinturaria, a cair de podre, propositadamente, segundo julgo saber. Não tem telhado, a chuva está a infiltrar-se nas paredes do prédio ao lado, a fazer apodrecer todo o interior a ponto de qualquer dia termos a lamentar algum desastre grave. Nessa altura sempre quero ver de quem será a responsabilidade.

Ora aqui temos um acérrimo defensor do Dr. Raul Castro na sua qualidade de Presidente da Câmara Municipal de Leiria!...
Sabe que mais?

"Não há machado que corte a raiz ao pensamento!"...

E mais. Nada me move contra o actual Presidente da Câmara ainda que nunca tenha sido seu apoiante de última hora, como acontece com muitas pessoas que eu bem conheço e que se empoleiraram na onda que avassalou o Concelho para se alcandorarem a lugares nos serviços da Câmara!...

Anónimo disse...

caro Vizinho.

o machado pode não cortar a raiz do pensamento, mas corta de certeza a má lingua e o mau vento que sopra ora de norte ora de sul, como o meu bom amigo, onde o seu blog é prova disso mesmo. Dizer mal de todos e de tudo é o seu lema.

as-nunes disse...

Ámen.

rouxinol de Bernardim disse...

Meu caro:

A «pesada herança» a fazer valer os seus créditos...

Quando se olha para o passado e se analisa um despesismo faraónico (o estádio e outras «elefantes»...) há que colher ensinamentos.

Quem vier atrás que feche a porta?

Será esse o vaticínio do presidente de Gaia?!

Há quem diga que a hipoteca do futuro está florescente, galopante! Será?