2011/08/06

Mário Zambujal em palestra no Centro Cultural da Nazaré


Mário Zambujal em conversa animada pelo jornalista Mário Galego

clique para ouvir Mário Zambujal - olhe que vale a pena!...

Mário Zambujal é uma daquelas pessoas - mediáticas, pode e deve-se dizê-lo - de quem é impossível não gostar.
Ontem à noite tive o privilégio de estar presente e participar numa conversa animada pelo jornalista Mário Galego, a pretexto do seu penúltimo  livro "Uma Noite Não São Dias(2009-ed. Clube do Autor). Já no final da sessão, entrei para uma fotografia ao seu lado. Lá me sentei na cadeira do Mário Galego enquanto Mário Zambujal se mantinha activo a escrever os seus inúmeros autógrafos em dedicatórias personalizadas aos seus leitores e admiradores.
Ofereci-me para lhe mandar a foto por mail, ao que ele me respondeu com um sorriso irónico e brincalhão bem ao seu estilo despretensioso mas experiente e humano. É que um dos temas que o Mário (assim o tratámos, como não podia deixar de ser) focou com particular ênfase, foi a sua aversão às máquinas e às sofisticadas tecnologias que estão cada dia que passa, a desumanizar mais e mais a vida das pessoas.
Gravei um pequeno excerto das suas palavras em que se pode avaliar da sua posição relativamente aos efeitos socialmente nefastos do uso indiscriminado das novas tecnologias e objectivamente na mira do lucro fácil. O bem estar psicológico do homem em geral - que é, naturalmente, o centro da vida em sociedade - é relegado para segundo plano na lista das prioridades. Está a perder-se a verdadeira noção de Felicidade.


Afinal a Felicidade não é o objectivo prioritário da vida?
@as-nunes
Posted by Picasa

5 comentários:

Rui Pascoal disse...

O Mário Zambujal é um "Bom Malandro" e tem-me deliciado com a sua escrita.
:)

Maria João disse...

É bem verdade. As máquinas têm vindo, paulatinamente, a desumanizar a vida. Mais cedo do que aquilo que pensamos, aquilo que é ficção cinematográfica, passará a ser a dura realidade.

Hilariantemente sérias estas palavras do Mário Zambujal.

Luís Coelho disse...

Vivemos num tempo em que corremos quase à velocidade da luz. A Net quer ser ainda mais rápida.
Amanhã não sabemos como será.
Nós todos estamos em mudança...e gostamos !
Preservar os nossos valores está ao alcance de cada um.
Viver com mais atenção e não se deixar mergulhar nas correntes de um idealismo fácil onde tudo é permitido

Eduardo Miguel Pereira disse...

Quando há 25 anos atrás decidi estudar informática, fi-lo, entre muitas outras razões, movido pela (agora cada vez mais) utópica ideia que estaria dessa forma a contribuir para um futuro onde as máquinas fariam muito do trabalho do homem, e que assim o deixariam com cada vez mais tempo livre para os aspectos humanos que o amigo António aqui defende, e bem.

Hoje, que levo 21 anos de vida profissional na área da informática, constato, diariamente, o quão enganado fui.
Não só se desumanizou a sociedade, como ajudámos (todos em geral, informáticos e afins em particular) a criar cada vez mais desemprego, através da substituição do homem por máquinas em muitas áreas de produção.

Vivam os "Mários" que lutam contra este estado de coisas.

as-nunes disse...

Sem dúvida, meus amigos.

O senso comum manda que a vida seja facilitada e não complicada desnecessariamente.
Haja senso, pensemos Global!

A começar pelas micro-comunidades em que estamos inseridos.